TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

SUBSÍDIOS PARA A REFORMULAÇÃO DA EXTENSÃO RURAL NO CONTEXTO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL DA AMAZÔNIA

Por:   •  28/5/2013  •  1.624 Palavras (7 Páginas)  •  604 Visualizações

Página 1 de 7

I - INTRODUÇÃO

As conclusões relatadas neste documento são fruto de discussões realizadas em três

diferentes grupos de trabalho, reunindo profissionais de variadas origens e profissões,

sobre os papeis a serem desempenhados pelos serviços de extensão rural no Plano de

Desenvolvimento Regional da Amazônia. Partem, portanto, das necessidades concretas

identificadas através de uma visão multidisciplinar e prospectiva da realidade regional,

tendo como referências básicas os desafios impostos ao País e à Região por um ambiente

econômico, social e político em rápida transformação.

Por ser uma síntese, o relatório não pretende refletir a riqueza e a complexidade dos

debates efetivados no interior dos grupos. Tem como objetivo central fornecer subsídios

práticos e factíveis às decisões estratégicas sobre o tema que devem ser tomadas, em

futuro próximo, pelas autoridades e instituições responsáveis pela promoção do

desenvolvimento regional.

A premissa consensual de todas as recomendações é a de que os conhecimentos

efetivamente aplicados aos sistemas produtivos constituem o elemento fundamental para

se assegurar a competitividade dos agentes econômicos face a uma economia cada vez

mais aberta e integrada aos mercados mundiais; e que desta competitividade depende o

alcance dos benefícios sociais associados ao desenvolvimento, como a geração de renda e

de empregos, a eliminação da pobreza e a diminuição progressiva das desigualdades

sociais e regionais. Por este motivo, dificilmente se poderá esperar sucesso de políticas

públicas de desenvolvimento que não incluam medidas explícitas e efetivas para se

aumentar a eficácia e abrangência dos "sistemas de conhecimento" existentes, como a

educação, a pesquisa e, particularmente neste momento, a extensão rural.

II - ANTECEDENTES E TENDÊNCIAS

• A Extensão Rural brasileira teve o seu início formal em 1948, no Estado de

Minas Gerais. Na Amazônia, estes serviços foram iniciados em 1965, com a

fundação da ACAR-Pará. A partir destas datas, no País e na Região, foram

constituídos serviços semelhantes em todas as Unidades da Federação, que

2

vieram a constituir o Sistema Brasileiro de Assistência Técnica e Extensão Rural

(SIBRATER), coordenado nacionalmente pela Associação Brasileira de Crédito

e Assistência Rural (ABCAR) e, posteriormente, pela Empresa Brasileira de

Assistência Técnica e Extensão Rural (EMBRATER).

• Em virtude principalmente da credibilidade profissional dos extensionistas junto

aos produtores, comunidades e autoridades locais, de um sistema permanente de

capacitação e atualização técnica, da agilidade administrativa das instituições e

de uma extraordinária capilaridade dos serviços, este Sistema veio a representar,

em poucos anos, a maior, mais bem preparada e descentralizada rede técnica de

apoio ao desenvolvimento rural e do agronegócio brasileiro.

• Durante praticamente toda a sua existência, e por exatamente estes motivos, os

serviços de extensão rural forneceram a mais completa e interiorizada base

executiva e de apoio operacional para virtualmente todas as políticas públicas de

desenvolvimento orientadas para o meio rural, fossem elas federais, estaduais ou

municipais.

• As primeiras crises institucionais do Sistema

...

Baixar como (para membros premium)  txt (12.4 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com