TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resenha: Fundamentos da Educação

Por:   •  10/8/2015  •  Relatório de pesquisa  •  1.526 Palavras (7 Páginas)  •  155 Visualizações

Página 1 de 7

Capitulo 3 do livro “ Fundamentos Filosóficos da Educação”

Augusto Comte , pensador da primeira metade do século xix , marcou o inicio de filosofia positivista com seus escritos . Segundo ele as sociedades humanas estão em continuo processo de evolução no qual elas passam por necessariamente por três processos: teológico, metafísico e positivo.Teológico no qual as pessoas buscam por explicações sobrenaturais. E para os mistérios da natureza metafísica nos quais os fenômenos são explicados à partir da natureza das próprias coisas.Positivo ou cientifico o espírito humano reconhecendo a impossibilidade de obter de obter noções absolutas renuncia a procura a origem e o destino do universo. Para Comte a sociedade apresenta duas leis fundamentais : a estatística e a dinâmica sociais.De acordo com a lei da estatística social, o desenvolvimento só pode ocorrer se a sociedade se organizar de modo a evitar caos e confusão. O positivismo valoriza a disciplina, pois entende que é a partir da “ordem”que a sociedade pode avançar rumo ao “progresso”. O ideal é formar o espírito cientifico nos jovens de modo a superar a superstição e o irracionalismo ainda presente na sociedade.O positivismo teve impacto profundo na sociedade , principalmente no meio estudantil .No fim de sua vida criou uma religião da humanidade no qual cultivava a ciência em templos positivistas. HERBERT SPENCER ,em particular desenvolve uma filosofia na qual integra o otimismo cientificista e a noção de progresso de Augusto Comte como as teorias evolucionista no Comte no campo da biologia em especial a teoria da seleção natural de Charles Darwin. O resultado disso é a criação do evolucionismo social. O evolucionismo social já existia antes de Spencer. Mas o filosofo inglês renova essa tradição intelectual ao incorporar o principio da seleção natural à mudança social. Seu objetivo é o de produzir um “sistema de filosofia sintética”, isto é um sistema de pensamento que possa explicar ou forma corrente ou integrada, todos os fenômenos, tanto da ordem física quanto a ordem social ou mental. Segundo Emile Durkheim, os fatos sociais devem ser estudados como coisas. Em outras palavras, o pesquisador deve colocar de lado seus preconceitos e estudar os fenômenos ocorridos na sociedade humana quase do mesmo modo como analisa um fenômeno da física e da Biologia. Ele argumenta que embora seja formada a partir dos indivíduos, ela é algo mais do que a soma deles.Suas teorias pedagógicas estão associados a uma concepção que atribui a primazia social em detrimento do individual. A relação entre professor e aluno ou a relação entre pais e filhos são estritamente falando, exemplos de atividade educacional, e uma descoberta espontânea, mesmo envolvendo aquisição de conhecimento não é, em si mesma, parte do progresso educacional.O positivismo e o funcionalismo foram e ainda são correntes filosóficas intensamente influentes nas teorias e práticas educacionais. Valorização do conhecimento científico e suas conseqüentes implicações para o currículo os mais importantes ligados positivistas para a educação escolar.

Capitulo 4 do livro “ Fundamentos Filosóficos da Educação”

Para Augusto Conte e Hebert Spencer é importante impor a disciplina aos alunos, uma vez em que a “ordem” é precondição para o progresso. De modo que para Durkheim, a ênfase recai sobre a funcionalidade ao sistema social. Para Hegel, como o pensamento e a realidade são a mesma coisa, a dialética se trona não somente um método mas também a lógica inerente ao próprio processo histórico. Para Karl Marx e Friedich Engels os planos socialistas que buscavam maios pacíficos para transformação da sociedade não passam de utopias.Para eles, a contínua exploração do trabalho assalariado levaria a sociedade capitalista a uma crise econômica sem precedentes, chegando a esse ponto, ocorreria necessariamente uma revolução proletária. Segundo a interpretação dos filósofos, desenvolve as “ideologias”, que consistem em conjuntos de conhecimentos, crenças e valores criados pelos capitalistas, más assimilados pela classe dominante. Marx e Engels defendem uma interpretação dialética da realidade social, mas em alguns aspectos o pensamento dos filósofos é francamente anti - dialético.No campo da evolução a contribuição mais importante de Althusser é o conceito do ideológicos do estado. De maneira simples , isso significa que a sociedade é concebida com uma série de conjuntos interligados – economia, ideologia e política, na qual cada elemento é causa dos demais e, ao mesmo tempo efeito do conjunto. A educação em geral, são veículos de transmissão da ideologia dominante cujo objetivo é o de garantir a manutenção do controle social nas mãos da classe burguesa. Desse modo em um processo revolucionário da educação escolar é condição necessária para emancipação da classe trabalhadora. Gramsci critica o sistema educacional de sua época, que mantinha dois tipos de ensino formal : academicista de maior duração e nível de profundidade mais voltado à formação das elites; e o outro profissionalizante voltado as camadas populares visando dar-lhes o mínimo de qualificação profissional . Gramsci era ainda um intelectual extremamente preocupado com o papel da cultura que ele chamava de civilitá nas transformações sociais . Aqui cabe destaque ao intelectual orgânico um intelectual em sintonia com a classe social determinada, procurando torna - la coesa, fomentando uma consciência de classe.

Capitulo 5 do livro: Fundamentos filosóficos da Educação.

Neste capitulo veremos três das muitas vertentes da filosofia contemporânea.

FENOMENOLOGIA

Esta teoria busca descrever, compreender e interpretar os fenômenos que se apresentam à nossa percepção.

Na prática da fenomenologia é realizado o processo de redução fenomenológica o qual permite atingir a essência do fenômeno. Segundo Husserl as coisas são caracterizadas por serem inacabadas, ou seja, por sempre serem novas, em constante modificação.

A Grande Questão da Fenomenologia

Toda nossa relação com o mundo não teria razão se não começasse pela percepção, ou seja, pelos sentidos. Nós é que buscamos o sentido daquilo que se mostra, cabe nos refletir...

...COMO SE MOSTRA?

... O QUE É O SER HUMANO?

... COMO CONHECÊ-LO?

Perguntas norteadoras feitas pelo filósofo alemão Edmund Husserl (1859-1938)

Husserl descobre um conceito central importante para a filosofia fenomenológica, que é o conceito da intencionalidade da consciência.

O Conhecimento não é apenas algo que acontece no sujeito, mas é o sujeito que faz acontecer. Toda consciência é consciência de algo.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (10.5 Kb)   pdf (72.8 Kb)   docx (15.3 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com