TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

CONTIBUIÇÔES DA PSICOLOGIA PARA A EDUCAÇÃO (Liv Vygotsky, Wallon, Jean Piaget,Freud )

Dissertações: CONTIBUIÇÔES DA PSICOLOGIA PARA A EDUCAÇÃO (Liv Vygotsky, Wallon, Jean Piaget,Freud ). Pesquise 788.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  9/11/2013  •  3.417 Palavras (14 Páginas)  •  571 Visualizações

Página 1 de 14

CONTIBUIÇÔES DA PSICOLOGIA PARA A EDUCAÇÃO

Nesse tema, serão abordadas as diferentes teorias de desenvolvimento humano em todos seus aspectos, percorrendo desde o nascimento até a idade adulta. Assim, o desenvolvimento humano diz respeito tanto ao desenvolvimento mental como ao crescimento orgânico. Apesar de seu caráter global, o desenvolvimento tem sido estudado a partir de quatro aspectos, todos os presentes em todas as situações vivenciadas: aspecto físico-motor, aspecto intelectual, aspecto afetivo-emocional e aspecto social.

Ao falarmos em desenvolvimento, também é necessário considerar os fatores que o influenciam: hereditariedade, crescimento orgânico, maturação neurofisiológica e meio. A partir dessa introdução sobre o desenvolvimento humano, vamos agora apresentar a teorias estudadas.

Sigmund Freud, médico vienense, nasceu em 1856 em Friember, faleceu em 1939 após passar dois anos em coma, vítima de câncer. Especializou-se em doenças mentais, no tratamento de problemas do sistema nervoso seu interesse era nas chamadas desordens neuróticas, caracterizada por ansiedade excessiva e em alguns casos depressão, fadiga, insônia ou paralisia, que são sintomas atribuídos a conflitos ou estresse, seu objetivo era ajudar as pessoas que sofriam. Ao tratar de problemas neuróticos, Freud descobriu uma nova pratica médica, recorreu à hipnose. Com a hipnose Freud percebeu que se criava uma forte ligação entre paciente e médico, por isso ele abandonou a hipnose e passou a trabalhar com a psicanálise.

Na Educação a teoria psicanalítica sofreu varias mudanças muitas criticam em relação à postura repressora que a educação faz a frente à sexualidade o que propiciaria a neurose e a inibição. Anos depois ele apostou em medidas preventivas na educação através da formação psicanalítica e da analise dos professores

Nos últimos estudos de Freud já não havia mais a medida educativa profilática. Educar retomava o lugar de profissão impossível ao lado de governar e curar. A psicanálise poderia ajudar a educação a compreender a criança, mas não teria a pretensão de substituí-la. A partir das conclusões entre inibição, sexualidade, e educação Freud afasta a psicanálise dos demais saberes e foca na análise das dificuldades partindo de cada sujeito, da singularidade como cada um é estruturado psiquicamente. Segundo Freud o ser humano terá aprendizado pleno, devido a constante luta entre suas forças internas e externas, na construção do ego. Para a psicologia da educação Freud trouxe estudos e teorias que auxiliam pais e professores a procurar saber como é cada criança tendo facilidade em lidar com crianças de diferentes áreas sociais, e também com adultos já que cada um possui um histórico diferente.

Aspectos relevantes da Teoria de Freud

Pensamento e Linguagem

Para Freud os pensamentos humanos são desenvolvidos, obtendo então à consciência, por vários processos diferenciados, relacionando a sistemática do nosso cérebro trabalhando essencialmente com o campo da semântica, isto é, a mente desenvolve os pensamentos num sistema de linguagem baseados em imagens.

Teoria da representação

O fenômeno psíquico está relacionado ao sistema nervoso humano. Para Freud, são analógicas e imagéticas, onde se inter-relacionam através de redes associativas. As redes associativas são provenientes do processo fisiológico cerebral, no qual gera uma rede de neurônios. A representação de objeto, também chamada de representação da "coisa", “é um complexo de associações, formado por uma grande variedade de apresentações visuais, acústicas, táteis, cenestésicas e outras", de acordo com Freud.

Teoria do Processo de Pensamento

Segundo Freud, o processo de pensamento é a ativação ou inibição dos complexos de sensações associadas ao possível o fenômeno representacional psíquico. Podemos distinguir, neste processamento, um primário e um secundário:

- Processo Primário: Associado ao inconsciente, o processamento primário do pensamento é aquele que dirige ações imediatas ou reflexas, sendo associado, assim, ao prazer.

- Processo Secundário: O processo secundário, por outro lado, está associado ao pré-consciente, também chamado de "ação interiorizada" ou, ainda, de "processo racional do pensamento". A relação entre os tipos de representação formam as ideias, ou seja, as relações associativas contidas nas representações de objeto formam os complexos de sensações.

Jean Piaget nasceu em Neuchâtel 9 de agosto de 1896 e morreu em Genebra 16 de setembro de 1980, foi um epistemólogo suíço, sendo um dos mais importantes pensadores do século XX. Defendeu uma abordagem interdisciplinar para a investigação epistemológica e fundou a Epistemologia Genética, teoria do conhecimento com base no estudo da gênese psicológica do pensamento humano.

Jean Piaget mostra-nos a relação da criança com o mundo físico e social. Promovendo seu desenvolvimento de raciocínio e aprendizagem, passando por vários estágios. Piaget divide o desenvolvimento humano em quatro grandes períodos são eles:

Período Sensório-motor (0 a 2 anos): neste período a criança desenvolve a percepção e os movimentos conquistando o ambiente. Passam a agir não mais apenas por reflexo, mas direcionam seus comportamentos tendo objetivos a alcançar.

Período Pré-Operatório (2 a 7 anos): o aspecto mais importante desse período é o aparecimento da linguagem. É aqui que ocorre o completo desenvolvimento da coordenação motora.

Período das Operações Concretas ( 7 a 11/12 anos): este período é caracterizado pelo inicio da construção do raciocínio lógico, permitindo que a criança coordene diferentes pontos de vista, integrando integrando-os de modo lógico e coerente.

Período das Operações Formais (11/12 anos em idade): nesse período ocorre a passagem concreta para o abstrato, ou seja, aqui o adolescente já é capaz de realizar as operações no plano das ideias, sem a necessidade da manipulação de objetos concretos. Gradualmente, passa a dominar a capacidade de abstração, generalização, criando teorias sobre o mundo. Suas relações sociais passam a se caracterizar e, num primeiro momento, isso faz com que o adolescente busque certo distanciamento dos demais, refletindo sobre a sociedade e, então, atingindo um equilíbrio entre seu pensamento e a realidade. Afetivamente, deseja ser aceito pelos adultos, tentam libertar-se desses, mas ainda depende deles.

Henri Wallon nasceu em 1879, em Paris, e morreu em 1962

...

Baixar como (para membros premium)  txt (24 Kb)  
Continuar por mais 13 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com