TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO; O PENSAMENTO PEDAGÓGICO; ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO E PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO E DA APRENDIZAGEM

Por:   •  2/4/2017  •  Monografia  •  2.753 Palavras (12 Páginas)  •  142 Visualizações

Página 1 de 12

[pic 1]t

UNIVERSIDADE/FACULDADE ANHANGUERA – UNIDERP

CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 2ª SÉRIE

ANA PAULA ALFF DOS SANTOS – RA: 3333455631

MONALISA TEREZINHA RIEGER – RA: 3504650993

SAMANTA VERIDIANA DUARTE SOUZA – RA: 3319479631

DISCIPLINAS NORTEADORAS:

FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO; O PENSAMENTO PEDAGÓGICO; ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO E PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO E DA APRENDIZAGEM

TAQUARA – RS

NOVEMBRO/2016

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO         3

2 O BULLYING NA ESCOLA E NA EDUCAÇÃO FÍSICA         4

3 COMO O PROFESSOR DEVE PROCEDER COM O BULLYING         7

4 PLANO DE AULA         9 

4.1 TEMA: VÔLEI SENTADO         9

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS         10

6 REFERENCIAS        11 

1 INTRODUÇÃO

Este trabalho tem como finalidade trazer uma discussão acerca do fenômeno bullying nas escolas, como o mesmo se caracteriza, em sua inter-relação com a categoria gênero, nas aulas de Educação Física.

O termo bullying ainda é muito pouco observado no Brasil, e na Educação Física, ainda não se acha quase nada a respeito do assunto. Com este estudo, queremos dar uma pequena demonstração teórica e empírica sobre o assunto, que sempre existiu, porém, de forma não suficientemente visibilizada. Expressa a discriminação dos indivíduos por membros de seu grupo de convívio, e se traduz em vários graus de veemência, podendo causar exclusão dos mesmos.

Sobre nossa percepção, é a mais primária forma de violência, que pode se manifestar através de palavras, gestos e ações, e tem um palavreado gestual e verbal, sua concretização mais comum, pois geralmente começa pelos apelidos e humilhação verbal, podendo ou não vir acompanhada de ações que discriminam e atemorizam.

Representa uma ameaça inalterável para a família e, mais ainda, na escola. Porém, em casa é mais comum os pais flagrarem seus filhos em cenas de bullying através de codinomes ou as intimidações, na escola é quase sempre insignificante pelos educadores, porque a violência linguageira, as intimidações de molestação física e as próprias ações violentas se dão longe de seus olhos e ouvidos e, o que é pior, geralmente não deixa marcas no corpo dos indivíduos molestados.

2 O BULLYING NA ESCOLA E NA EDUCAÇÃO FÍSICA

É evidente que este fenômeno, para os alunos, não é visto como, algo alarmante, pois os causadores da molestação alegam que estão apenas brincando; e até mesmo aqueles indivíduos que são vitimas que passam por agressão ou abusos por partes dos colegas não os denunciam, provavelmente por medo de represálias dos mesmos.

Para Aramis Lopes, (2003, p. 13): pediatra e coordenador da pesquisa, os dados são semelhantes aos encontrados em outros países e revelam um quadro nada animador “Essa questão é uma preocupação mundial; mesmo porque não há como prever nem como avaliar a gravidade das experiências de bullying, como autor ou como alvo, na vida de cada criança ou jovem”.

Segundo os psicólogos, a agressão seria um comportamento antisocial, que para Rodrigues (2006), tem a intenção de causar danos, físicos ou psicológicos, em outro organismo ou objeto. “a intencionalidade da ação por parte do agente da agressão, e que só se caracteriza como agressivo o ato que deliberadamente se propõe a infligir um dano a alguém”.

Foi necessário criar um só termo para concentrar todas as características desse tipo de violência. É claro que o significado mais apropriado dessa palavra para o português é “intimidação” abreviar todo o processo, somente uma das suas características é o mesmo que acontece com a palavra ainda em inglês.

Mas, esse termo é importante, porque despertou a curiosidade das pessoas que um dia já sofreram esse tipo de agressão e que, além disso, só poderiam fazer referência a essas ações com a explicação de vários sinônimos, e agora podem facilmente dizer “eu já sofri bullying”. Também ocorre com os pesquisadores e estudiosos que poderão investigar com mais recorte e precisão sobre essa problemática.

No entanto, esta análise visa explicar algumas opiniões sobre o bullying, que atrasam o desenvolvimento do ser, enquanto ser social, principalmente no que diz respeito ao autoconceito vivido pelos obesos que sofrem com esse tipo de violência no âmbito escolar e também no contexto das aulas de Educação Física.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (18.1 Kb)   pdf (219.4 Kb)   docx (790.5 Kb)  
Continuar por mais 11 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com