TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Educação Através da Arte

Por:   •  11/5/2015  •  Trabalho acadêmico  •  1.372 Palavras (6 Páginas)  •  82 Visualizações

Página 1 de 6

INTRODUÇÃO

Através deste trabalho conhecemos a vida e a obra da artística Tarsila do Amaral, pintora e desenhista brasileira, uma das figuras centrais da primeira fase do movimento modernista no brasil.

Com a apreciação de suas obras, elegemos uma delas para fazermos uma releitura da obra de arte, técnica esta, aprendida neste 4° semestre de pedagogia.

Também através desta pesquisa, empreenderemos uma atitude investigativa sobre o lúdico, a história da arte e a organização didática, ampliando conceitos sobre a arte e a cultura e a importância da disciplina de artes no currículo escolar.

DESENVOLVIMENTO

Tarsila do amaral

Nasceu em 1° de setembro de 1886 em uma fazenda em Capivari, interior de São Paulo, era filha de José Estanislau Do Amaral filho e Lídia Dias De Aguiar, e neta de José Estanislau do Amaral, rico fazendeiro da região, possuíam grande fortuna em fazendas do interior paulista.

Passou a infância na fazenda de seus pai, uma menina que adorava brincar, ouvir músicas e histórias e que aos poucos vai descobrindo o desenho e a pintura e cresceu juntamente com seus sete irmãos.

Sua primeira maestra, a belga Marie Van Varem Berg D’ Egemont, ensinou-lhe a ler, escrever, bordar e falar francês. Sua mãe passava horas ao piano enquanto seu pai recitava versos em francês.

ESTUDOS EM SÃO PAULO E BARCELONA

Tarsila do Amaral estudou em São Paulo, em um colégio de freiras e completou seus estudos em Barcelona, na Espanha.

PRIMEIRO CASAMENTO E MATERNIDADE

Ao chegar da Europa em 1906, casou-se com o medico André Teixeira Pinto, seu noivo. Rapidamente, o primeiro casamento da artista chegou ao fim. A diferença cultural do casal era grande O marido se opunha ao desenvolvimento artístico de Tarsila, já que ele era considerado como os demais homens da época, que acreditavam que a mulher devia somente cuidar do lar. Revoltada, ela se separa e volta a morar com seus pais na fazenda, levando consigo a única filha que teve, a menina Dulce, nascida no mesmo ano do casamento. Alem de uma grande e talentosa artista, consta que Tarsila do Amaral era uma mulher extremamente bela.

INICIO DA CARREIRA

Começou a aprender pintura em 1917 com Pedro Alexandrino Borges. Em 1920 viaja a Paris e frequenta a academia Julian, onde desenhava nus e modelos vivos intensamente. Apesar de ter tido contato com as novas tendências e vanguardas, Tarsila somente aderiu as ideias modernistas ao voltar para o Brasil em 1922.

Em 1923, na Europa, Tarsila se uniu a Oswald De Andrade e o casal viajou por Portugal e Espanha. De volta a Paris, estudou com artistas cubistas, conheceu Pablo Picasso e tornou-se amiga do pintor Fernand Leger, mestre do cubismo, de que Tarsila conservou varias técnicas de pintura.

FASES

Em 1924 iniciou sua fase artística ‘’Pau Brasil’’ e ‘’antropofagia’’ dotada de cores e temas tropicais com destaque para fauna e flora brasileira.

Sua primeira exposição individual foi em Paris na Galeria Percier em 1926. Em julho de 1929 Tarsila expõem suas telas pela primeira vez no Brasil no Rio de Janeiro. No mesmo ano perde sua fazenda em virtude da crise de 1929 e se separa de Oswald de Andrade, entregando-se ainda mais ao seu trabalho no mundo artístico.

Em 1931 viaja com seu novo marido, o Psiquiatra Osório César para a União Soviética, onde entrou em contato com Pensamentos Político-sociais.

Novamente em Paris em sem dinheiro, pois perdera praticamente todos seus bens e fortuna, trabalhou como operária de construção, pintora de paredes e portas. Quando conseguiu dinheiro necessário, volta ao Brasil e participa de reuniões políticas de esquerda e é presa, suspeita de subversão. Em meados dos anos 30, se separa de Osório e se casa com o escritor Luiz Martins, vinte anos mais jovem, com quem vive até os anos 50. Expõe nas 1ª e 2ª Bienais de São Paulo e é tema da Bienal de São Paulo em 1963, no ano seguinte apresenta-se na 32ª Bienal de Veneza.

ÚLTIMAS DÉCADAS: 1960 E 1970

Em 1965, separada de Luís e vivendo sozinha, foi submetida a uma cirurgia de coluna, e um erro médico a deixou paralítica, permanecendo em cadeira de rodas até seus últimos dias.

Em 1966 Tarsila perdeu sua única filha, Dulce, devido a um ataque de diabetes. Nestes tempos difíceis se aproxima do espiritismo, doando parte de seu dinheiro com a venda de quadros, a uma instituição

...

Baixar como (para membros premium)  txt (9 Kb)   pdf (56 Kb)   docx (16.2 Kb)  
Continuar por mais 5 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com