TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

O Artigo Cientifico Ensino Infantil

Por:   •  3/8/2022  •  Trabalho acadêmico  •  2.606 Palavras (11 Páginas)  •  46 Visualizações

Página 1 de 11

CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL UNINTER[a]

 

ARTIGO CIENTÍFICO – ESTÁGIO SUPERVISIONADO EDUCAÇÃO INFANTIL

                                                             

                                                     SANTINI, Júllia Santos, Licenciatura em Pedagogia

                                                   No Centro Universitário Internacional Uninter.

EDUCAÇÃO INFANTIL EM TEMPOS DE PANDEMIA

RESUMO

Este artigo, tem como principal objetivo buscar compreender a Educação Infantil em Tempos de Pandemia, o que a pandemia causou nas escolas do ensino para crianças pequenas, como os professores, gestores e coordenadores lidaram com as tecnologias e os alunos diante do distanciamento social.

PALAVRAS-CHAVES:

Pandemia, educação infantil, ensino no Brasil

INTRODUÇÃO

É na educação infantil que se configura o primeiro contato da criança, de zero a cinco anos, com a escola, onde os vínculos iniciais são formados. Hoje, no Brasil a educação infantil inicia-se aos 4 anos, uma das razões pela qual a demanda por creche é maior que a oferta do sistema. Em 2020 vimos que a pandemia proporcionou o fechamento de comércios e escolas, e com isso pais se viram com seus filhos pequenos dentro de casa. Foi visto que as atividades mais simples que ajudam a criança na estimulação como pintar, desenhar, recortar e ouvir histórias foram sendo feitas com mais frequência nas famílias com um nível socioeconômico mais alto. Podemos perceber que as dificuldades das famílias com baixa renda foram a acessibilidade com a internet, que muitos não a tinham ou possuíam algum tipo de dificuldade, prejudicando assim as crianças a participarem das aulas online. É importante observar as vantagens e desvantagens que a pandemia causou na educação infantil e no sistema de ensino online, na falta de internet nas famílias com baixa renda e a desatenção das crianças pequenas durante aulas online. Documentos afirmam, que as atividades online não podem ser assumidas na educação de crianças, desde de pequenos pois não possibilitar que as brincadeiras e as interações norteiem os processos pedagógicos. Além dos documentos que temos, as Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Brasil,1996) diz que o uso de atividades e práticas semelhantes na Educação a distância dentro da Educação Infantil. Essa foi a grande dificuldade que as escolas encontraram, no tempo de afastamento social.

As propostas dentro do cenário online não pareciam ser adequadas para um vínculo afetivo na faixa etária de crianças pequenas, não havia uma segurança do papel ativo das crianças, na vivencias que poderia ser proporcionada a elas. Dentro das questões, que foram abordadas precisamos reconhecer que a tecnologia, que teve um papel fundamental nesse período de isolamento social, considerando que uso exagerado não é indicado para crianças tão pequenas. As escolas precisaram se reinventar, pensar juntos, com os familiares e os educadores, gestoras e diretores, sobre os novos caminhos que as escolas precisavam tomar diante de um ano tão atípico, procurando sempre respeitar o projeto político pedagógico da escola, que foi construído por toda comunidade escolar. Com isso, as tecnologias foram os recursos a serem utilizados durante o tempo que as escolas permaneceram fechadas, mas foi possível aproveitar de uma maneira cautelosa e responsável. Uma das maiores dificuldades está relacionada ao acesso à internet, segunda a pesquisa realizada pelo (CETIC, 2019), mostrou que 29% dos domicílios, aproximadamente 19,7 milhões de residências, não possuem acesso à internet. Dentre esses que não estão conectados, 59% disseram que não contratam o serviço de internet, por achar caro e não ter condições financeiras para pagar. Ainda nessa pesquisa, ela destacou que 25% não possuem cabos e nem rede em suas localidades, os outros 41%, disseram que não possuem computador e nem o aparelho celular, para que seus filhos possam ter acessos as aulas remotas.

METODOLOGIA

A metodologia utilizada para a confecção deste artigo foi a de referência [b]bibliográfica, em busca para saber como a educação infantil lidou com a pandemia da Covid-19, seus efeitos, vantagens e desvantagens. Os critérios utilizados nesta busca foram de artigos que traziam temas relacionados ao assunto proposto e que fossem publicados em instituições e revistas acadêmicas no Brasil no ano de 2020, primeiro ano da pandemia.

REVISÃO BIBLIOGRÁFICAS

A importância da Educação Infantil para as crianças de 0 a 5 anos se dá para desenvolver a escrita, fala e o desenvolvimento cognitivo através de atividades lúdicas. Araújo e Oliveira (2020, p. 30) afirmam que “a criança aprende a seguir regras, conviver em sociedade, ter respeito, aprender a lidar com as frustrações do dia a dia, saber dividir e compartilhar, desenvolver a coordenação motora, aprender novas formas de pensar e o principal a aprendizagem dentro da diversidade’’. 

No Brasil, desde o primeiro caso da covid-19, as atividades educacionais na educação infantil tiveram que ser suspensas. Com a incerteza sobre a duração da pandemia e a suspensão das atividades educacionais nas instituições de ensino, se levantou vários questionamentos e desafios para os educadores, gestores e outros profissionais da educação, pais e crianças. De um lado existe uma preocupação com o vínculo que se cria com as crianças desde de bebês e do outro lado a impossibilidade de um atendimento diário e um equipamento, que além de ser um espaço da educação, e também um espaço, onde as crianças vítimas de suas mazelas no seu contexto de vida. Com isso, Anjos e Pereira Deise 2020, p. 33) ressaltam que na educação infantil é onde a criança tem o primeiro contato com a escola, sendo assim considerado uma importante etapa da formação da criança por ser onde inicia-se o convívio com pessoas fora do ambiente familiar.

Podemos analisar que muitos pais, precisaram em sua maior parte trabalhar fora ou em home office, fazendo com que a atenção que eles tinham que dar aos seus filhos ficasse de lado, sendo voltada essa atenção apenas para os finais de semana. Podemos perceber que STRASSBURGER, 2021.pg. 63:  ‘’O primeiro fator que precisamos analisar é que muitos pais necessitaram, em sua maior parte, trabalhar fora ou em home office, deixando a atenção para com seus filhos de lado, voltada apenas aos finais de semana. Com isso, as crianças não conseguiam aprender, sendo essa uma dificuldade que a pandemia trouxe complementada pela falta de internet pois muitos alunos não tinham como ver as aulas online, prejudicando assim o seu aprendizado, maior percentual destes alunos sendo da rede pública. Outro ponto levantado foi que as crianças pequenas têm maiores dificuldades com o foco, conseguindo realizar apenas as atividades lúdicas como brincar, cantar e contar histórias.  Na Educação Infantil o ensino acaba não cumprindo com seus preceitos, onde os professores não tinham como intervir com os alunos através dos vídeos das aulas online, na opinião de PEREIRA, Elizabeth, 2020, pg.23: ‘’podemos perceber que o ensino não cumpre com seus preceitos. Nas vídeo-aulas, os professores não tinham condições de intervir nas situações de desconforto e desmotivação de seus alunos, mesmo assim com todas as dificuldades que tiveram, faziam o seu melhor para trazer o melhor conteúdo, para seus alunos, sendo que muitas vezes o retorno que tinham não era o esperado. Algumas famílias, não tinham condições financeiras para oferecer o melhor da tecnologia, para que seus filhos tivessem acesso às aulas com mais facilidade.’’

...

Baixar como (para membros premium)  txt (16.7 Kb)   pdf (91.5 Kb)   docx (279.9 Kb)  
Continuar por mais 10 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com