TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resenha Critica: Livro de Brandão. Carlos Rodrigues. O que é Educação.

Por:   •  10/11/2015  •  Resenha  •  1.628 Palavras (7 Páginas)  •  3.338 Visualizações

Página 1 de 7

__________________________________________________________________

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO NORTE-UERN

CAMPUS AVANÇADO DE PATU-CAP

DEPARTAMENTO DE EDUCACÃO-DE

CURSO DE PEDAGOGIA

_________________________________________________________

                                                         Prof.ª :Ms Gercina Dalva

Acadêmicos: Aline Pereira da Silva e Francisco Erivanaldo Oliveira

Resenha Critica: Livro de Brandão. Carlos Rodrigues. O que é Educação.

BRANDÃO. Carlos Rodrigues. O que é Educação. 41°Ed. São Paulo, Brasiliense 2007.

O autor é natural do Rio de Janeiro graduado em psicologia pela PUC, tem o mestrado em Antropologia pela UNB e o doutorado em Antropologia USP. Foi professor universitário na UNB (Universidade de Brasília) da UFG (Universidade Federal de Goiás) e pela UNICAMP (Universidade Federal de Campinas).

Entre suas principais obras são: Os Deuses do Povo: Uma introdução às religiões, Diário de Campo: Antropologia como alegoria, Educação como cultura, Educação Popular, Identidade e Etnia, O que é folclore entre outros.

Em nove capítulos o autor passa as varias formas de educação existente desde os primórdios até os dias atuais, levantando questionamentos sobre os vários tipos de educação existente, e mais a desconstrução que educação só aprende na escola.

Primeiro capítulo, Educação? Educações aprendendo com os Índios (P.7 – 12) o autor argumenta que ninguém pode escapar da educação, pois ela esta em todos os Lugares, esta presente nas Igrejas, em casa, nas ruas, escolas, e ressalta dizendo que a escola tanto pode ser para ensinar quanto para aprender, e vem com o questionamento sobre o conceito educação, chamando de EDUCAÇÕES, no plural, pois em todos os lugares pode se aprender e ensinar algo. Carlos Brandão diz que a educação é a construção social de um povo, o autor toma como exemplo a carta que ficou famosa em que os índios Americanos escreveram para os Colonizadores, quando os mesmos ofereceram sua educação para os índios da tribo, agradecendo pelo convite, mas a educação dos colonizadores não serviam para os seus homens, pois os que foram voltaram inúteis para sua realidade, mas também ofereceu a sua educação para os colonizadores, dizendo que se tornariam uns verdadeiros guerreiros, o autor afirma que a educação de um povo é a formado a partir da sua vida em sociedade, e que são distintas umas das outras, e que existem varias educação, como educações.

No segundo capítulo, Quando escola é a Aldeia (P.13 – 26) a educação existe também em lugares onde não se tem escolas, o saber de alguns povos são passados de gerações a gerações, mesmo não tendo um modelo formal de ensino, pois os homens conseguem transmitir seus conhecimentos no dia a dia no convívio em sociedade. O autor ainda coloca em exemplos, os bichos que muitas vezes observam e repetem situações que garantem a sobrevivência da espécie e aprendem a se defender. Os antropólogos em suas pesquisas em tribos primitivas já viam formas de ensinamento passadas de geração a geração, mas nunca era chamada de educação, nesse capitulo entende-se que o modo de ensino já existia  há muito tempo, desde os primórdios da humanidade, mas se tinha uma necessidade de se passar o conhecimento de uns para os outros.

No terceiro Capítulo, Então surge a escola (P.27-35) observou também que quando os povos tradicionais conseguiram compreender que se podia transmitir o conhecimento a outro individuo, começa assim a transmitir os conhecimentos dos mais velhos para os mais novos, e formando assim uma Hierarquia que surge na divisão desses grupos de saberes, relata também que  através de observações já se diziam que a educação esta em todos os lugares, e que a escrita surgiu de um povo centralizador, com o passar do tempo observaram  que a educação era visto como um sinal de respeito e status na sociedade, assim surgiu a invenção da escola.

No quarto capitulo Pedagogos, Mestres-escolas e sofistas (P.36-47), Brandão fala sobre a educação na antiguidade clássica, como pastores e camponeses souberam lidar com educação, e descreve como a Grécia preparava seus homens para a vida na Polis, para se tornar homens livres, formando bons cidadãos, esse modo de educação busca-se a verdade e a beleza por meio de estudos da filosofia, arte e ginástica. Os primeiros pedagogos da época eram os escravos que conduzia as crianças ate a escola para receber os ensinamentos, com isso ganhavam conhecimentos mesmo não participando do meio social nobre da época. Já os homens livres tinham sempre por perto um professor para repassar o seu saber, um privilegio apenas dos nobres, pois os pobres da época não tinha direito a educação devido não poder pagar o professor, com isso Brandão conclui esse capitulo que o grande legado que a civilização Grega deixou para a civilização ocidental é que, os mesmo esqueceram que a educação não é feita por partes e que a escola vai além da convencional, que a educação existe em cada membro de uma sociedade, e é dessa forma que se constrói a educação de um povo.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (9.9 Kb)   pdf (117 Kb)   docx (14.7 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com