TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Diversidade Da Psicologia (Psicanalize)

Por:   •  25/9/2013  •  1.426 Palavras (6 Páginas)  •  411 Visualizações

Página 1 de 6

PSICANÁLISE

1-A Europa no fim do século XIX – O surgimento da psicanálise

O período que antecede o século XIX foi marcado por grandes acontecimentos como por exemplo o inicio da Idade Moderna, Reformas Religiosas, Revolução Francesa etc.. Com esse desenvolvimento abriu-se portas para novos modos de conhecimento e a valorização do conhecimento cientifico em contraposição ao conhecimento teológico. Ou seja, a ciência começa a tentar explicar o que até então a teologia explicava. A revolução francesa, abriu espaço para o desenvolvimento das ciências humanas, até mesmo da psicanálise.

Mais precisamente, em Freiberg, na antiga Checoslováquia, atualmente Pribor, em 6 de maio de 1856 nascia o homem que 40 anos mais tarde daria impulso a um sistema de pensamento chamado Psicanálise. Mas a teoria só nasceu em Viena, onde Freud e sua família estabeleceu residência a partir de 1860.

O século XIX, foi marcado como um período de diversas revoluções e lutas. Surge então na Alemanha, um problema que já havia sido resolvido pela França e Inglaterra: a qualificação de mão de obra. Surge então caminhos distintos, mas paralelos de conhecimento; a produção de conhecimento no âmbito das ciências naturais, a física, a biologia, a química, e o desenvolvimento do conhecimento como especialização e formação profissional para o povo trabalhar em industrias.

Prolifera-se então as Universidades tendo como docentes e estudiosos pessoas de classes favorecidas que passaram a desenvolver estudos visando a produção cientifica para prevenir e solucionar problemas.

Com o desenvolvimento da industria surge a consciência de que o coletivismo prevalece sobre o individualismo e a proximidade entre os trabalhadores possibilita assim conversas e leva a conclusão de que os problemas são de todos, surge então as reivindicações coletivas, e surge também o capitalismo.

Nesse cenário de constantes conflitos e mudanças que viveu Sigmund Freud, que teve muitas dificuldades para que a teoria da psicanálise fosse reconhecida. Uma causa dessas dificuldades fora a ênfase dada a sexualidade por intermédio da Psicanálise, algo que ofendia a burguesia de Viena.

Freud optou pela medicina como profissão especializando-se em neuroanatomia e doenças orgânicas do sistema nervoso.

Ao longo de seu trabalho e experiências como a hipnose e a base sexual dos distúrbios, a já fundada Psicanálise freudiana começa a ganhar seguidores, alguns, rompem com Freud por discordar de seus pensamentos.

Em 1920, o sistema freudiano passa a englobar não somente o tratamento de distúrbios, mas também estudos sobre a personalidade humana.

Em 1933, a Psicanálise é condenada pelo poder totalitário nazista por super valorizar a vida sexual.

2-A Epstemologia

A psicanálise emerge não só como uma revolução de conceito, mas principalmente como uma “ruptura” em relação ao conhecimento predominante. “Ruptura” que envolve relações entre Freud, o positivismo e o projeto de psicologia proposto por Wundt.

O positivismo tem sua origem no século XIX com o francês Auguste Comte (1798-1857), que é marcado pelo predomínio da observação em relação á imaginação e a argumentação, que ficam subordinadas aquela.

Se existem nas obras de Freud influencias mecanicistas como o Complexo de Édipo, o positivismo também é uma marca de sua produção, de forma que encontramos uma analogia entre ciências positivas (química, física) e pontos da psicanálise. Isto se dá pela constante tentativas de Freud de equiparar o psiquismo a algo orgânico.

Freud instaurou um trabalho de analise pois acreditava que sempre há uma causa para qualquer evento ocorrido na vida de um individuo e a análise trata de “decompor os elementos mínimos que motivaram a formação de sintomas, afim de encontrar sua origem.

O método de investigação, ou seja a observação utilizado por Freud faz com que a Psicanálise tenha uma colocação cientifica, não mais especulatória.

Entretanto Freud chega a uma conclusão de que não há comprovações a cerca de uma relação verídica entre o que é dito e o que realmente é vivido pelo paciente.

As regras de interpretação passam a ser fundamentais para a psicanálise já que a mesma atravessa a fronteira da biologia e vai em busca de interpretação de símbolos.

Franz Bretano (1838-1917) que tinha como representante Wundt, apresentou um projeto de uma psicologia cientifica a necessidade de observação semm que fosse necessário a experimentação.

A partir daí que podemos fazer uma ligação

...

Baixar como (para membros premium)  txt (9.2 Kb)  
Continuar por mais 5 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com