TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ABORDAGENS PSICOLÓGICAS E REFLEXÕES COM O LIVRO ‘Pinóquio às avessas’ de Rubem Alves

Por:   •  25/3/2019  •  Projeto de pesquisa  •  2.183 Palavras (9 Páginas)  •  57 Visualizações

Página 1 de 9

Universidade Paulista – UNIP - Brasília

Disciplina: Psicologia do Desenvolvimento e Teorias da Aprendizagem

Professora Dra. Luciana Bareicha

ABORDAGENS PSICOLÓGICAS E REFLEXÕES COM O LIVRO ‘Pinóquio às avessas’ de Rubem Alves

Cláudia Soares Parreira RA: N37968-5                            Turma: PS1P30

Clemência Rodrigues da Silva Santos RA: T7680G-7      Turma: PS1P30

Jordana Gleyce Melo Nassar RA: D78IAI-0                      Turma: PS1P30

Kathlen Lorrayne da Cruz Silva RA: N37595-7                 Turma: PS1P30

Brasília

Setembro/2018

O livro Pinóquio às Avessas fala sobre Felipe, uma criança que está próximo da fase de alfabetização e como toda criança tem extrema curiosidade sobre a escola, sobre as novas experiências e aprendizados. Rubem Alves traz esse livro com intuito de criticar a história original do Pinóquio, de que a criança tem obrigação de ir para a escola para ter uma identidade válida. A fim de ilustrar sua crítica, o autor reescreve o livro do Pinóquio, uma criança de verdade que vai à escola e vira um burro.

        Ao decorrer do livro é possível observar três abordagens pedagógicas, elas sendo a tradicional, comportamental e humanista. Cada abordagem tem suas características, sua visão de mundo e homem, também traz outros traços que determinam como o conhecimento é levado e dado ao aluno e além disso traz a respeito sobre a relação aluno - professor.
        A abordagem tradicional traz a noção de que o adulto é a sua profissão e o que está escrito em seu diploma é sua essência. Para essa abordagem o homem é uma tábula rasa no início de sua vida e só a partir do acúmulo de conhecimento que ele adquire do mundo externo. A escola tem um ambiente físico rígido e é a garantia da manutenção de ideias, sem crises. A relação de aluno e professor conta com uma distância entre eles, além da ideia de que o professor é a autoridade máxima e moral para o aluno. É muito comum usar o professor usar o verbalismo e aos alunos resta apenas memorizar. A decoração é um mecanismo comum nessa abordagem (MIZUKAMI, 2001).
        Outra abordagem também encontrada no livro é a comportamentalista que traz alguns reflexos da abordagem tradicional, porém traz uma visão nova sobre o assunto. Para os comportamentalistas o conhecimento é empírico, quer dizer, ele vem direto de uma experiência. Isso implica na relação aluno - professor, que não deixa de ser com o professor como um mentor, mas agora ele precisa planejar sua aula de forma que maximize a aprendizagem do aluno. O professor utiliza de elogios, notas e prêmios para condicionar os alunos e perpetuar comportamentos, como método de ensino (MIZUKAMI, 2001).
        A última abordagem é a humanista que é conhecida também como terceira força da psicologia e quebra totalmente com as duas outras abordagens. A interpretação humanista de aprendizagem é de colocar o aluno no centro e com isso a posição do professor se torna apenas um auxiliar do saber. O ambiente escolar deixa de ser um ambiente austero e passa a ser um espaço propício para a autonomia do aluno e a metodologia não enfatiza uma técnica ou um método para simplificar a aprendizagem. A avaliação dessa abordagem é totalmente contrária às outras, partindo do princípio que as pessoas aprendem somente o que tem interesse e muitas vezes isso não pode ser avaliado (MIZUKAMI, 2001).


        Logo no início do livro vemos a abordagem tradicional de forma bem clara quando o pai termina de ler o livro do pinóquio e explica as metáforas contidas nele.

        (...) Quem não vai à escola fica burro. Ainda bem que a Fada Azul veio em         seu auxílio. Se não fosse por ela, ele teria ficado burro pelo resto da vida.         Passaria a vida puxando carroças. É preciso ir à escola para não ficar                burro, para ser gente de verdade…

        Essa noção do aluno ser uma tábula rasa pronto para recebimento e acúmulo de matérias também pode ser visto no trecho em que o pai explica a Felipe sobre a escola:


        
É assim: você vai entrar para a escola no primeiro ano. Lá vão lhe ensinar         muitas        coisas. Se você aprender e tirar boas notas, passará para o segundo         ano. No segundo ano, vão lhe ensinar muitas outras coisas. Se você as         aprender e tirar boas notas passará para o terceiro ano. E assim você vai         aprendendo coisas e tirando boas notas e passando de ano (...) É o                diploma que diz o que você é.

        Essa abordagem pode ser reconhecida em outros trechos do livro como quando os pais de Felipe não sabem responder algumas perguntas feitas por ele.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (9.8 Kb)   pdf (100.8 Kb)   docx (17.2 Kb)  
Continuar por mais 8 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com