TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Uso de Psicofármacos nos Transtornos Depressivos, Transtornos de Ansiedade, Transtorno Bipolar Esquizofrenia

Por:   •  22/11/2018  •  Artigo  •  1.059 Palavras (5 Páginas)  •  40 Visualizações

Página 1 de 5

USO DE PSICOFÁRMACOS NOS TRANSTORNOS DEPRESSIVOS, TRANSTORNOS DE ANSIEDADE, TRANSTORNO BIPOLAR E ESQUIZOFRENIA

1. Tratamento dos Transtornos Depressivos

        O tratamento dos transtornos depressivos envolve objetivos de eliminação ou redução dos sintomas e efeitos adversos, a adesão ao tratamento, retorno ao funcionamento adaptável do paciente e a evitação de episódios depressivos recorrentes, para tanto, pode ser feito mediante a administração de psicofármacos, psicoterapia ou na combinação de ambas.

  1. Psicoterapia na depressão

Recomenda-se a psicoterapia para os diversos níveis da depressão, porém, em casos mais graves com sintomas psicóticos, a utilização de medicação é de fundamental importância para o bom desenvolvimento do tratamento, além de propiciar ao paciente a identificação do seu estado, conscientização sobre a sintomatologia depressiva e desenvolvimento de estratégias de adaptação e habilidades pessoais e interpessoais para a convivência no dia-a-dia.

  1. Tratamento farmacológico

O tratamento através de medicamentos mudou de forma significativa o curso da depressão devido a nova geração de antidepressivos com perfil farmacocinético mais favorável e a redução de efeitos adversos dos medicamentos mais antigos, assim, atualmente os antidepressivos denominados como Inibidores Seletivos de Recaptação da Serotonina (ISRS) se configuram como os mais utilizados hoje.

  1. Classificação e características dos antidepressivos
  1. Antidepressivos tricíclicos (ATCs)

Esta classe de antidepressivos possui uma estrutura semelhante a dos antipsicóticos e trazem uma série de efeitos secundários devido ao seu uso. Dentre esses efeitos podem ser citados a sedação, retenção urinária, confusão, aumento de peso, obstipação e hipotensão ortostática.

A literatura aponta que os fármacos ainda utilizados atualmente são a Imipramina (Trofanil®), Clomipramina (Anfranil®), Amitriptilina (Tryotanol®), Nortriptilina (Pamelor®), Maprotilina (Ludiomil®) e Doxepina (Sinequan®).

  1. Antidepressivos Inibidores da Recaptação da Serotonina (ISRS)

Os ISRS tornaram-se os antidepressivos mais utilizados atualmente e devido à melhor tolerância e segurança por parte dos pacientes, apesar de terem um princípio ativo mais lento e aparentarem ser menos eficazes especialmente nos sintomas físicos da depressão quando comparados a outros ATC.

Os efeitos colaterais mais comuns devido ao seu uso são alterações gastrointestinais, cefaleia, tontura, agitação, insônia e disfunção sexual, sendo mais frequentes nas duas primeiras semanas, mas com tendência à redução conforme continuação do tratamento.

Atualmente, os ISRS mais utilizados são Fluoxetina (Prozac®), Sertralina (Zoloft®), Paroxetina (Aropax®), Citalopram (Cipramil®), Escitalopram (Lexapro®) e Fluvoxamina (Luvox®).

2.Tratamento dos Transtornos de Ansiedade

        O tratamento dos transtornos de ansiedade depende, principalmente do diagnóstico, para escolha do processo de intervenção terapêutica devido cada transtorno possuir geralmente um curso crônico, neste caso o uso de fármacos associado a psicoterapia demonstra-se mais eficaz do que somente uma das modalidades isolada.

  1. Psicoterapia para Transtornos de Ansiedade

A psicoeducação, característica das Terapias Cognitivo-Comportamentais bastante utilizadas no tratamento de Transtornos de Ansiedade, mostra-se como uma das principais ferramentas para compreensão dos mecanismos envolvidos na ansiedade, portanto, quando associada a ferramentas e técnicas como controle do estado emocional atual, identificação de pensamentos disfuncionais, entre outros, podem ajudar na adesão ao tratamento por parte do paciente.

  1. Tratamento farmacológico

Para cada tipo de transtorno há um objetivo específico referente ao uso de medicação nos transtornos de ansiedade, por exemplo, no transtorno de pânico busca-se o bloqueio dos ataques que estão diretamente ligados a disfunções na distribuição da serotonina. De forma geral, os fármacos denominados como benzodiazepínicos, parecem ser os mais adequados ao tratamento de ansiedade devido oferecer ação rápida e efeito máximo a partir de duas semanas, apesar de ocasionalmente haver uso associado de algum tipo de antidepressivo.

  1. Benzodiazepínicos

Os Benzodiazepínicos (BDZ) são fármacos de ação sedativa e hipnótica muito utilizados no manejo da ansiedade e da insônia, também pela propriedade de relaxantes musculares e anticonvulsivante. Sua ação se dá sob a potencialização do sistema gabaérgico, que é o principal neurotransmissor inibitório do Sistema Nervoso Central.

Especialmente nos primeiros dias de uso, os efeitos colaterais mais evidentes são sonolência excessiva diurna, piora na coordenação motora fina e na memória, tontura, zumbidos, mas que desaperecem conforme adaptação do uso.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (7.7 Kb)   pdf (96.5 Kb)   docx (14.3 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com