TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Determinação De Teor De Umidade Em Estufa

Casos: Determinação De Teor De Umidade Em Estufa. Pesquise 787.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  30/6/2014  •  641 Palavras (3 Páginas)  •  1.331 Visualizações

Página 1 de 3

Escola Técnica Estadual de Suzano

Experimento nº11

DETERMINAÇÃO DO TEOR DE UMIDADE EM ESTUFA

Larissa Barros Santos Viana nº25

Turma: 1º QUIT

Tópicos em Química Experimental

Prof.ª Marli Emiliano

Data de entrega: 11/10/2013

Suzano, SP

2013

OBJETIVO

Este experimento têm como finalidade a determinação do teor de umidade em estufa de amostras de amendoim industrializado.

INTRODUÇÃO

A umidade é um dos parâmetros que atesta a qualidade de um material, ou seja ele um alimento, um medicamento, um cosmético ou um produto químico.

Quando a água faz parte da constituição do material, sua eliminação recebe o nome de DESISDRATAÇÃO. Caso a água esteja combinada com o material, sua eliminação recebe o nome de DESSECAÇÃO.

A dessecação pode ser feita em materiais sólidos, líquidos ou gases.

- Para dessecar líquidos, basta adicionar ao mesmo, substâncias dessecantes, como por exemplo: óxido de cálcio (CaO), cloreto de cálcio (CaCl2), carbonato de potássio (K2CO3), sulfato de cobre anidro (CuSO4), etc. Após a adição de agente dessecante, faz-se uma destilação da mistura.

- A dessecação de gases pode ser feita com agentes dessecantes sólidos ou líquidos, onde os gases atravessam torres contendo materiais dessecantes e saem na outra extremidades isentas de água.

- A dessecação de sólidos, em geral, é feita com o uso de calor, em estufas. Nesse caso o material perde a umidade e também os componentes voláteis, se houver. Caso o material sólido não possa ser aquecido, a dessecação pode ser feita em dessecadores, usando no fundo do recipiente um agente como sílica gel, carbonato de potássio, ácido sulfúrico, etc.

O excesso de umidade pode trazer alguns inconvenientes, dependendo do tipo de produto. No caso de produtos alimentícios, cosméticos ou medicamentos, eles podem deteriorar antes do prazo de validade, já que o aumento da umidade propicia o desenvolvimento de fungos; outro motivo é que comprarmos um produto, não queremos comprar água. No caso de produto químico, a umidade faz com que eles também vençam antes do prazo de validade atestado pelo fabricante, sem contar que, os produtos químicos utilizados nas análises (produtos p.a) são colocados em quantidades estequiométricas então, a água acaba sendo pesada em lugar do reagente.

PARTE EXPERIMENTAL

Materiais utilizados:

Cápsulas de porcelana

Dessecador

Balança Analítica (GEHAKA – AG 200 d=0,001g)

Estufa (NOVATÉNICA 50ºC à 180ºC)

Tenaz de aço

Reagentes:

Amendoim industrializado

Procedimento

Secaram-se 2 (duas) cápsulas de porcelana em estufa a 105ºC por 1 hora.

Resfriaram-se em dessecador com sílica gel azul, até que atingiu-se a temperatura ambiente (entre 10 e 15 min.).

Pesaram-se as cápsulas de porcelana vazios, enumerou-se cada um deles e anotou-se as suas massas.

Pesou-se de 2 a 3 g de amostra de amendoim em cada cápsula de porcelana na balança analítica, e anotou-se as suas massas.

Aqueceram-se em estufa a 105ºC por 3 horas;

Resfriaram-se no dessecador até a temperatura ambiente, pesaram-se e anotaram-se

...

Baixar como (para membros premium)  txt (4.7 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com