TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ANALISAR A TRANSIÇÃO DO PARADIGMA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL NO MODELO SEGREGADO A PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO BRASIL

Por:   •  12/10/2015  •  Trabalho acadêmico  •  1.582 Palavras (7 Páginas)  •  798 Visualizações

Página 1 de 7

[pic 1][pic 2][pic 3][pic 4]

[pic 5]

[pic 6]

[pic 7]

[pic 8][pic 9]

[pic 10]

[pic 11]

[pic 12]

[pic 13]


SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO                                                                                04

2 DESENVOLVIMENTO                                                                        05

3 CONSIDERAÇÕES FINAIS                                                                08

4 REFERENCIAS                                                                                    09

1 INTRODUÇÃO

Ao se falar em Educação inclusiva na educação de alunos com necessidades especiais pautava-se num modelo de atendimento tradicional segregado. Mais nas últimas décadas houve uma revolução educacional que adquiriu muita força com a visão da Educação Inclusiva, a qual passou a permitir que todas as diferenças e necessidades fossem tratadas não mais com atitudes discriminatórias.

Trata-se de um ensino adequado às diferenças e necessidades especiais em um mesmo ambiente de ensino regular, construindo uma sociedade inclusiva para que se possa atingir a educação para todos.

2 DESENVOLVIMENTO.

Por muito tempo a educação especial se configurou em um sistema paralelo ao ensino e o seu papel vem se redimensionando aquele papel antes exercido apenas com atendimento direto dos educandos com necessidades especiais para atuar diretamente como suporte às escolas regular para receber este alunado.

A educação de alunos com necessidades especiais nas últimas décadas tem se voltado para a educação inclusiva que ganhou força nos últimos séculos através da Declaração de Salamanca a qual propõe que as crianças e jovens com necessidades educativas especiais devem se adequar a escolas regulares, no intuito de combater as atitudes discriminatórias, construindo uma sociedade inclusiva onde haja educação para todos. Os primeiros a despertarem para a necessidade de escolarização dessa clientela foram os médicos que se encontravam nos hospitais psiquiátricos. A Educação Especial se constituiu originalmente a partir de um modelo médico ou clínico.

A institucionalização da Educação Especial em nosso país iniciou-se nos anos 70, com a preocupação do sistema educacional público em garantir o acesso à escola aos portadores de deficiências, mais apesar de todo avanço, este modelo não garantiu o ingresso desses alunos com deficiência no sistema de ensino a qual funcionava como um serviço paralelo próprio. Os recursos e métodos de ensino mais eficazes proporcionaram às pessoas com deficiências maiores condições de adaptação social.

A educação especial com o seu modelo segregado passou a buscar alternativas pedagógicas para a inserção de todos os alunos, mesmo aqueles portadores de deficiências severas preferencialmente no sistema regular de ensino, essa integração vem se instituindo e até hoje é o que mais prevalece em nossos sistemas escolares.

A escola inclusiva implica numa nova postura da escola regular, que deve propor ações que favoreçam a inclusão social e práticas educativas diferenciadas que atendam a todos os alunos, valorizando a diversidade garantindo também a educação de qualidade para todos os educandos, inclusive portadoras de necessidades especiais para isso a escola deve capacitar professor preparar-se, organiza-se e adaptar-se a essa realidade.

2.1. Compreensão do texto.

No artigo "Da Educação segregada à educação inclusiva: uma breve reflexão sobre os paradigmas educacionais no contexto da educação especial brasileira", Rosana Glat e Edicléia Mascarenhas Fernandes explicam: “Neste contexto é que se descortina o novo campo de atuação da Educação Especial”. Não visando importar métodos e técnicas especializados para a classe regular, mas sim, tornando-se um sistema de suporte permanente e efetivo para os alunos especiais incluídos, bem como para seus professores. Como mencionado, a Educação Especial não é mais concebida como um sistema educacional paralelo ou segregado, mas como um conjunto de recursos que a escola regular deverá dispor para atender à diversidade de seus alunos.

Há uma reflexão onde as autoras relaram os caminhos da Educação Especial no Brasil e toda trajetória e dificuldades encontradas até nos dias atuais, considerando os paradigmas teóricos vigentes e políticas educacionais em voga. Frisam cuidadosamente que as novas propostas não tornam as anteriores encerradas ou esgotadas, mais se somam em buscas a coexistência com modelos já impetrados em nosso panorama educacional, já que as dificuldades de recursos institucionais e humanos são totalmente impositivas.

Na atualidade o crescente reconhecimento da educação inclusiva ainda não se constitui em nosso país como uma proposta educacional difundida e compartilhada, pois a grande maioria das redes de ensino carece das condições institucionais necessárias para sua viabilização.

 


2.2. Função social da escola.

A crescente transformação sofrida no decorrer da história, a escola representa a instituição que a humanidade escolheu para socializar o saber sistematizado, afirmando dessa forma que é o lugar onde é difundido o conhecimento que a sociedade estima necessário transmitir às novas gerações.

O homem no processo de transformação da natureza instaura leis que regem a sua convivência com os demais grupos, cria estruturas sociais básicas que se estabelecem e se solidificam à medida que se vai constituindo em locus de formação humana.

O crescente reconhecimento da educação inclusiva ainda não se constitui em nosso país como uma proposta educacional difundida e compartilhada, pois a grande maioria das redes de ensino carece das condições institucionais necessárias para sua viabilização.


2.3. Educação especial pautada no modelo segregado e configuração da educação inclusiva.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (9.6 Kb)   pdf (129.7 Kb)   docx (28.8 Kb)  
Continuar por mais 6 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com