TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Clima organizacional

Tese: Clima organizacional. Pesquise 803.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  7/5/2013  •  Tese  •  1.779 Palavras (8 Páginas)  •  426 Visualizações

Página 1 de 8

1 INTRODUÇÃO

Mediante uma sociedade, onde as organizações estão passando por grandes transformações, a questão investir e motivar as pessoas está em alta, ou seja, Murrell (1997, p. 45) ensina que “[...] motivar é ter motivos. Ter motivos para trabalhar, para se dedicar, para se comprometer, para quem quer vencer, para querer aprender, para se dedicar àquilo que faz, em busca de resultados.”

Desta forma, percebe-se que as organizações estão inseridas num ambiente caracterizado por fortes turbulências e mudanças constantes, surgindo à necessidade de se buscar soluções para aumentar sua eficácia e sobreviver no mercado cada vez mais globalizado e competitivo.

Ciente deste contexto, torna-se cada vez mais importante que as empresas invistam em seus colaboradores, para que estes cada vez mais efetivem seu comprometimento com aquilo que executam e, ao mesmo tempo, estejam cientes da necessidade da busca de uma maior qualificação profissional como forma de se manterem no mercado, ajudando assim as empresas a conseguirem obter os resultados pretendidos.

De acordo com Harman e Horman (1990), o resgate do sentido do trabalho traz ao homem a formação da auto-identidade e imagem pessoal, pois esse não pode ser mera atividade que tenha como objetivo assegurar apenas o futuro econômico do cidadão.

Os autores mencionam ainda que, no mundo moderno, o homem necessita encontrar um sentido para as tarefas que realiza, para assim poder desenvolver todo o seu potencial criativo e produtivo objetivando o incremento do seu desenvolvimento tanto pessoal quanto profissional e descobrindo sua verdadeira missão com o mundo e com os outros.

Assim sendo, pode-se concluir que, tudo isso tem profunda ligação com a busca da realização do homem como ser humano e profissional e, consequentemente, da tão almejada qualidade de vida.

As empresas atualmente estão cada vez mais interagidas com seus colaboradores e o meio social, visando sempre o bem comum de seus clientes internos, externos e de toda a sociedade.

Davis e Newstrom (1992) afirmam que, só o conhecimento profundo do ser humano e sua interação com o meio organizacional é que proporciona uma empresa a ser competitiva, aliando real comprometimento de todos os envolvidos, a busca de uma melhor qualificação, com consequente índice de satisfação, baixa tensão organizacional, onde a ênfase do espiritual sobre o material é uma das receitas para a competitividade neste novo milênio.

Contudo, não existe ciência hoje no mundo com uma fórmula para se engajar eficazmente as pessoas, já que um indivíduo é completamente diferente do outro, em suas necessidades, desejos e anseios.

Portanto, deve-se ressaltar que cabe aqui um papel fundamental de cada um na mudança das próprias atitudes. Para Bridges (1995), acreditar em si mesmo, comprometer-se com o que faz parece ser um caminho viável nessa caminhada árdua, mas possível, na qual a satisfação e o bem estar do ser humano é um dos grandes desafios deste século.

Hoje nas empresas, para introduzir maior dose de motivação, é necessário, e é de grande importância o investimento nos funcionários, que consiste em deliberadamente ampliar a responsabilidade, os objetivos e os desafios das tarefas do cargo, contudo não haverá motivação para o trabalho se não houver um clima organizacional satisfatório.

Assim, é fácil compreender que, pessoas desmotivadas realizam suas tarefas com pensamento voltado para seus problemas pessoais, ou o que poderiam estar fazendo de melhor naquele momento. O funcionário satisfeito estará sempre motivado, aumentando sua produção e estará também, sempre interado entre a organização.

Drucker (1995) enfatiza que, à medida que o ambiente organizacional e as demandas impostas continuarem a crescer em complexidade e desafios, as organizações dependerão cada vez mais de um desempenho de alta qualidade em todos os níveis hierárquicos.

Assim, acredita-se que toda empresa, independente de seu tamanho deve estar preocupada com seus funcionários, proporcionando um ambiente tranquilo e agradável, conhecendo e satisfazendo as necessidades dos mesmos, pois se estes se sentirem realizados poderão proporcionar a empresa mais lucro e consequentemente enxergar o significado do trabalho de uma forma mais rica e abrangente.

Nesse sentido, pode-se afirmar ainda que é imperativa a gestão do clima organizacional, sendo indispensável conhecer o que os funcionários pensam sobre a empresa e qual a sua atitude em relação ao trabalho. Só assim é possível melhorar a qualidade do ambiente de trabalho, a qualidade de vida das pessoas no trabalho e, consequentemente, a qualidade dos serviços prestados pela empresa.

Sem dúvida, o clima organizacional influencia o comportamento dos membros da empresa, podendo afetar seus níveis de motivação e satisfação no trabalho. Assim, Luz (apud Balducci e Kanaane, 2007, p. 136), muito bem coloca que “é o reflexo do estado de espírito e de ânimo das pessoas que predomina numa organização em um determinado tempo”.

Portanto, a intenção primordial deste é desenvolver um trabalho que contribua com informações acerca da importância do investimento e qualificação das pessoas dentro de uma organização como forma de se possibilitar adquirir o verdadeiro comprometimento do indivíduo.

2 OBJETIVO

Hoje, um dos desafios mais importantes e abrangentes enfrentados pelas organizações é a diversidade da força de trabalho. As organizações estão se tornando mais heterogêneas em termos de raça, etnia e sexo de seus participantes. Antigamente, os administradores só tinham de introduzir programas importantes de mudança uma ou duas vezes a cada década. Hoje, a mudança é uma atividade contínua para a maioria deles. Administrar, hoje em dia, poderia ser definido como longos períodos de mudanças constantes, interrompidos ocasionalmente por curtos períodos de estabilidade.

Atualmente, o mundo enfrentado pelos administradores e trabalhadores é de permanente temporariedade. Todas as atividades realizadas pelos trabalhadores estão em permanente mudança e eles precisam continuamente atualizar seus conhecimentos e habilidades para atender as novas exigências do trabalho.

As próprias organizações estão constantemente reorganizando suas divisões, desfazendo-se de negócios que não têm bom desempenho, fazendo novas operações, subcontratando serviços e substituindo os funcionários.

Enfim, é visto que o estudo do clima organizacional pode ajudar a entender de um mundo profissional em contínua mudança, a aprender a superar as resistências à mudança e a criar uma cultura

...

Baixar como (para membros premium)  txt (12.1 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com