TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Tratamentos Medicos Para Acne

Casos: Tratamentos Medicos Para Acne. Pesquise 834.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  24/3/2014  •  2.850 Palavras (12 Páginas)  •  670 Visualizações

Página 1 de 12

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO 03

2. REVISÃO DA LITERATURA...................................................................................04

3. CONCLUSÃO..............................................................................................................13

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...........................................................................14

1. INTRODUÇÃO – ASSUNTO, TEMA E PROBLEMATIZAÇÃO

A pele é o órgão mais extenso do corpo humano e equivale a 5% a 10% do peso corpóreo. Ela é desmembrada em três camadas principais: epiderme, derme e hipoderme; cada uma contendo composições distintas. A derme é subdividida em papilar, reticular e adventícia (MONTAGNER, 2004; AZULAY, 2004).

A acne é o problema mais frequente que acomete a pele humana, inicia-se na puberdade e agride de 80% a 95% dos adolescentes e adultos jovens regredindo ou desaparecendo na fase adulta (NAKATSUJI et al, 2009).

É determinada como um distúrbio dos folículos pilossebáceos, podendo proporcionar-se com inflamação crônica, comedões, pápulas, pústulas, cistos e nódulos (KAMINSKY, 2005).

Os fatores principais etiopatogênicos são a proliferação da bactéria Propionibacterium acnes no canal pilossebáceo, hiperceratose folicular, hipersecreção sebácea e a liberação de mediadores inflamatórios (AZULAY, 2004; KAMINSKY, 2005).

A acne pode ser qualificada em não inflamatória (grau I ou comedogênica) e inflamatória (grau II ou papulopustulosa; grau III ou nódulo-abscedante e grau IV ou conglobata) (Porto, C. C., 2007). As lesões inflamatórias da acne são as que mais atentam os pacientes, pois delas podem proceder cicatrizes permanentes (NAKATSUJI et al, 2009).

As cicatrizes pendem da profundidade, intensidade e duração do processo inflamatório, podendo abordar até a derme e, até mesmo, à hipoderme. Elas podem apresentar –se com a perda de colágeno (atróficas) ou com o aumento dele (hipertróficas ou queloides) (ALAM, 2005).

2. REVISÃO DA LITERATURA

2.1 DERMOABRASÃO

Dermobrasão, é um lixamento da pele que pode atingir as camadas mais profundas da derme, é considerado um peeling mecânico invasivo. (SBCD) & (BHARTI, & C. N. Kirman, 2002).

Logo após o lixamento a epiderme inicia um processo de regeneração com uma remodelação organizada da derme surgindo uma pele jovem, firme e macia, deste modo, suavizando as cicatrizes (SBCD; BHARTI, & C. N. Kirman, 2002).

Procedimento de dermoabrasão.

A dermobrasão é indicada para rugas superficiais ao redor dos lábios e para eliminar cicatrizes de acne, mas por ser considerada um peeling profundo, somente esta apropriado para o uso medico, exigindo grande controle na aplicação (MACEDO, 1988). Tal procedimento sangra bastante, tornando-se imprescindível a anestesia local e grande perecia por parte do medico responsável. Seu resultado permite respostas duradouras (MACEDO, 1988).

Passado 10 a 15 dias inicia-se o desprendimento das crostas formadas provenientes dessa terapêutica, surgindo, então uma nova pele com coloração rosada e levemente macia e uma recuperação gradativa (FONSECA, 1984).

Pacientes submetidos à dermobrasão devem permanecer em casa por aproximadamente um mês, ate que a crosta formada após a aplicação venha a cair e apresente uma pele renovada. Inicialmente, essa nova pele apresenta-se bastante fina e sensível, sendo contraindicada a exposição solar ou a aplicação de cosméticos, sem o devido acompanhamento médico. O uso de antibióticos é recomendável para evitar infecções. (MACEDO, 1988).

A dermoabrasão deve ser evitada em pacientes de pele negra, pois quanto mais ativos forem os melanócitos, maior será a probabilidade de a região ficar manchada após o lixamento (MACEDO, 1988).

Para se ter melhores resultados devem-se fazer sessões repetidas de dermoabrasão ou sua associação com outros procedimentos, como retoques cirúrgicos, laser de CO2 e preenchimentos cutâneos (KAMINSKY, A & SARACENO, 2005; BHARTI, & C. N. Kirman, 2002).

Antes e depois do procedimento de dermoabrasão.

A dermoabrasão tem caído um pouco devido ao aparecimento de novas técnicas, mais seguras e com melhores resultados, como os peelings químicos e os lasers (BHARTI, & C. N. Kirman, 2002).

2.2 PEELING QUÍMICO

Aplicação de substância química ácida sobre a pele, com objetivo de remover as camadas externas da pele e estimular a renovação celular (MARZULLI & MAIBACH, 1996).

O peeling químico é técnica usada para melhorar a aparência da pele. Uma solução química é aplicada na pele, provocando a sua separação, descamação e o surgimento de uma nova pele, mãos lisa e menos enrugada que a pele antiga. E ela ainda pode ser igualada na cor (FITZPATRICK TB & FREEDBERG IM & EISEN AZ, 1999).

O peeling químico é usado para tratamento de rugas finas, especialmente debaixo dos olhos e em volta da boca. As rugas causadas pelo sol, idade e fatores hereditários podem ser reduzidas ou mesmo eliminadas por esse procedimento. As depressões, saliências e rugas mais profundas não respondem ao peeling e podem necessitar de outros procedimentos cosméticos ou cirúrgicos. Um dermatologista pode ajudar a determinar o tipo de tratamento mais apropriado para cada caso (COLEMAN WP & BRODY H J, 1997).

Cicatrizes leves e certos tipos de acne também podem ser tratados com o peeling químico. Além disso, a pigmentação da pele na forma de: manchas solar; manchas por causa da cidade; manchas por causa do fígado; manchas por causa da pílula anticoncepcional; pele sem brilho e pele sem textura; sardas. Podem ser beneficiadas pelo peeling químico. As áreas da pele que foram danificadas pelo sol e lesões escamantes também melhoram após este peeling. Filtros e bloqueadores solar diminuem as chances do reaparecimento

...

Baixar como (para membros premium)  txt (19.9 Kb)  
Continuar por mais 11 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com