TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Tarefa 4.2 - 3 - Prevenção e Controle de Riscos em Máq, Equ e Inst II

Por:   •  10/9/2019  •  Trabalho acadêmico  •  817 Palavras (4 Páginas)  •  6 Visualizações

Página 1 de 4

TAREFA 4.2

Curso: Engenharia de Segurança do Trabalho

Disciplina: Prevenção e Controle de Riscos em Máquinas, Equipamentos e Instalações II

Tutor: Vágner Lisoski Duarte

Aluno: Vitor Damasceno Carlos

Discorra sobre como os profissionais de segurança do trabalho devem atuar a fim de prevenir acidentes de trabalho e assegurar a saúde dos trabalhadores em canteiros de obras que apresentem instalações elétricas temporárias.

A RTP 05, documento da FUNDACENTRO, vinculado ao Ministério do Trabalho e Emprego, elucida as recomendações técnicas para as instalações elétricas temporárias em canteiros de obras. Logo, todo o raciocínio para responder tal questão será com base na RTP 05.

Sobre os choques elétricos: como já estudado, a medida prioritária contra choques elétricos é a desenergização da rede. Devem ser tomadas medidas a fim de evitar o choque por contato direto e também indireto, ou seja, o choque por contato direto em parte viva ou o choque por meio de algum equipamento que esteja em contato com alguma parte viva.

Para evitar tais acidentes é importante o isolamento, este é feito através da isolação das partes vivas, criação de barreiras ou invólucros, instalação de obstáculos e colocação fora do alcance.

As partes vivas, como a conexão de dois cabos, devem ser isoladas com fita isolante, por exemplo.

Trabalhos em altura, próximos a rede de alta tensão, devem ser isoladas com a instalação de barreiras entre o local de trabalho e a rede. O trecho da rede, próximo a área de trabalho, também deve ser isolado por meio de invólucros. Lembrando que para fazer este tipo de procedimento, a rede deverá estar desenergizada. Desta maneira, em um canteiro de obras, evitamos qualquer tipo de acidente, como o trabalhador encostar na rede, encostar alguma ferramenta que esteja manuseando, deixar cair algum material que possa encostar na rede e causar acidentes.

Também há o isolamento por meio de obstáculos, instalação de grades e portões, por exemplo, de modo que garanta apenas acesso às pessoas autorizadas a entrar naquele espaço. Este caso, pode ser utilizado na alimentação elétrica da obra, que chega diretamente da rede pública.

Outro meio de isolar, é deixar a instalação elétrica fora do alcance, ou seja, instalação de postes. Neste caso, é importante ter o conhecimento de todos os serviços, equipamentos e maquinários da obra, pois deve-se deixar espaço livre suficiente para garantir a passagem sob a rede.

Para garantir a proteção contra os contatos indiretos, ou seja, quando a pessoa encosta em algum equipamento que está sob tensão recebe a descarga elétrica, é importante a instalação de DR. O diferencial-residual, conhecido como DR, é a maneira mais eficaz de proteção contra choques elétricos. Sua aplicação é específica na proteção contra a corrente de fuga e seu uso não dispensa a utilização de disjuntores e fusíveis.

Também deve ser considerado, para os canteiros de obra, o esquema de aterramento TT. O aterramento consiste em uma ligação intencional com o solo, através do qual a energia pode difundir-se. O sistema de aterramento pode utilizar-se de hastes cravada no chão de forma única, dispostas em triângulo, quadrados, alinhadas, em placas metálicas, em fios ou cabos enterrados com várias configurações, etc. Importante é que o projeto de aterramento seja desenvolvido de acordo com as normas da ABNT.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (5.4 Kb)   pdf (62.7 Kb)   docx (9.2 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com