TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Petição de Família

Por:   •  7/4/2021  •  Trabalho acadêmico  •  1.362 Palavras (6 Páginas)  •  4 Visualizações

Página 1 de 6

[pic 1]

ALUNO(a) Jeremias Lima Santos

CURSO: BACHARELADO EM DIREITO    TURNOS: MATUTINO/NOTURNO

SEMESTRE: 2020.2        PERÍODO: 6º

PROFª. DEISY SANGLARD

ORIENTAÇÕES GERAIS:

  • A petição deverá ser atender a todos os requisitos processuais e de organização; inclusive, indicar rol de documentos que deveriam instruí-la.
  • Para melhor auxiliá-los quanto à partilha de bens, fundamento jurídico: arts. 1658 a 1662,CC/02. Alimentos : art.1694, ss, CC/02, LEI DE ALIMENTOS 5478/68.

                   ATIVIDADE AVALIATIVA

1. ANTÔNIO PLOC, brasileiro, residente e domiciliado na Rua Campinas, nº 20, Bairro Jardim Sumaré, nesta cidade de Imperatriz-Ma e ROSIMEIRY PLOC, brasileira, empregada doméstica, portadora da Cédula de Identidade RG nº 17012772001-1, CPF nº 012.613.913-06, residente e domiciliada na Rua São José, nº 38, casa D, Bairro Vila Mariana, Imperatriz-Ma, sem e-mail,  casados, decidiram em comum acordo por fim ao casamento.

O casal contraiu núpcias no dia 23 de fevereiro de 2008, sob o regime de Comunhão parcial de bens, conforme Certidão de Casamento registrado às Fls. 211-V, livro 33, nº 14.184, em anexo.

Separados de fato desde Agosto de 2019, em razão da impossibilidade de conviver harmoniosamente.             Da união nasceram dois filhos: Ana e João, ambos menores, respectivamente com três e dois anos de idade.

Durante a constância do casamento as partes adquiriram um imóvel, no valor de R$300.000,00 a saber: (1º) uma Casa de alvenaria localizada na Rua Campinas nº 20, Bairro Jardim Sumaré, na cidade de Imperatriz-MA. Conforme comprova o documento que segue em anexo, Escritura do imóvel .

Ainda possuem um carro HB20, marca Hyundai, cor prata, ano de 2017, conforme cópia do documento que segue em anexo, valor R$ 20.000,00.

As partes concordam com a dissolução do vínculo e acordam o seguinte: Que a Requerente permanecerá com o automóvel comum ao casal; devendo o imóvel comum ser vendido e o valor dividido entre os ex-cônjuges, descontando o valor do automóvel da parcela que couber à Requerente.

No mais, fica estabelecido que a guarda será compartilhada entre os genitores; e o Requerente pagará pensão alimentícia aos filhos no valor de 2 dois salários mínimos.

A Requerente pretende voltar a usar seu nome de solteira: ROSIMEIRY LIMA.

DIANTE DISSO, ATUE COMO PROCURADOR E ADVOGADO DO EX-CASAL, INGRESSE COM A AÇÃO JUDICIAL CABÍVEL PARA HOMOLOGAR A DISSOLUÇÃO DO CASAMENTO NOS TERMOS ACORDADOS.

Obs: Indique rol de documentos que deveriam acompanhar a petição.

EXCELENTÍSSIMO (A) SENHOR (A) DOUTOR (A) JUIZ (A) DE DIREITO DE UMA DAS VARAS DE FAMÍLIAS DA COMARCA DE IMPERATRIZ –MA , A QUEM COUBER POR DISTRIBUIÇÃO LEGAL.

ANTÔNIO PLOC, brasileiro, residente e domiciliado na Rua Campinas, nº 20, Bairro Jardim Sumaré, nesta cidade de Imperatriz-Ma e ROSIMEIRY PLOC, brasileira, empregada doméstica, portadora da Cédula de Identidade RG nº 17012772001-1, CPF nº 012.613.913-06, residente e domiciliada na Rua São José, nº 38, casa D, Bairro Vila Mariana, Imperatriz-Ma, sem e-mail,  casados vem à presença de Vossa Excelência, por intermédio de seus advogados abaixo assinados, procuração anexa, proporem a presente ação, com base nos artigos 24 e seguintes, da Lei nº 6.515/77, e nos artigos 1.571 e seguintes, do diploma civil, com base nos fatos e fundamentos a seguir aduzidos:

AÇÃO DE DIVÓRCIO DIRETO CONSENSUAL

I – DA ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA

Inicialmente, necessário destacar que os requerentes declaram não possuir, no momento, condições financeiras para arcar com as despesas processuais e os honorários advocatícios sem prejuízo do seu próprio sustento ou da sua família.

Desta feita, requer o consentimento dos benefícios da Justiça Gratuita, nos termos do artigo 98 do Código de Processo Civil, garantindo-lhe, deste modo, o efetivo acesso à justiça.

II – DOS FATOS

Os autores são casados civilmente, sob o regime de comunhão parcial de bens, desde de Agosto de 2019, conforme cópia da certidão de casamento em anexo.

Da união nasceram dois filhos: Ana e João, ambos menores, respectivamente com três e dois anos de idade.

Durante a constância do matrimônio não foram constituídos bens materiais.

Os requerentes manifestam a vontade livre e consciente pela dissolução da sociedade conjugal, sendo inviável a reconciliação, o que enseja a presente ação.

III. DOS FUNDAMENTOS JURÍDICOS

Os cônjuges pretendem, por mútuo consentimento, dissolver a sociedade conjugal, através do DIVÓRCIO DIRETO CONSENSUAL previsto tanto na Lei nº 6.515/77, quanto no art. 226, § 6º, da Carta Magna, este último dispondo sobre a dissolubilidade do casamento civil pelo divórcio, sem a necessidade de comprovação do lapso temporal da separação.

Quanto aos ALIMENTOS, esse direito decorre do poder familiar e do grau de parentesco, conforme disposto no art. 1.694, Código Civil, in verbis:

"Art. 1.694. Podem os parentes, os cônjuges ou companheiros, pedir uns aos outros os alimentos de que necessitem para viver de modo compatível com a sua condição social, inclusive para atender às necessidades de sua educação".

Ademais, é bom enfatizar que os alimentos devem ser pactuados na proporção da necessidade do impúbere e dos recursos da pessoa obrigada (artigo 1694, § 1º). Neste diapasão, considerando as condições dos requerentes; considerando a necessidade mínima do infante, fruto do enlace matrimonial; considerando que é obrigação do Sr. ANTONIO PLOC, como pai, contribuir, para o sustento de seu filho. Pugna, assim, os requerente pela homologação do presente acordo no que tange aos alimentos aqui exposto, na forma abaixo descrita, especificamente no item III.3.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (9.1 Kb)   pdf (165.5 Kb)   docx (30.7 Kb)  
Continuar por mais 5 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com