TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

CRIMES CONTRA A DIGNIDADE SEXUAL (213 AO 234B)

Por:   •  11/5/2016  •  Trabalho acadêmico  •  9.608 Palavras (39 Páginas)  •  681 Visualizações

Página 1 de 39

[pic 1]

EMENTA:

CRIMES CONTRA A DIGNIDADE SEXUAL (213 AO 234B); CRIMES CONTRA A FAMILIA (235 AO 249); CRIMES CONTRA A INCOLUMIDADE PÚBLICA (250 AO 285);; CRIMES CONTRA A PAZ PUBLICA (286 A0 288); CRIMES CONTRA A FÉ PÚBLICA (289 AO 311ª); CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (312 AO 359H).

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

AS MISÉRIAS DO PROCESSO PENAL, FRANCESCO CARNELUTTI http://ricardo.br.com/AsMiseriasDoProcessoPenal.pdf

CRIMES CONTRA A DIGNIDADE SEXUAL (Art. 213 ao 234b do CP)

Estupro

Art. 213. Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso:

Pena - reclusão, de 6 (seis) a 10 (dez) anos.

§ 1º Se da conduta resulta lesão corporal de natureza grave ou se a vítima é menor de 18 (dezoito) ou maior de 14 (catorze) anos.

Pena - reclusão, de 8 (oito) a 12 (doze) anos.

§ 2º Se da conduta resulta morte

Pena - reclusão, de 12 (doze) a 30 (trinta) anos.

Os crimes sexuais vem sofrendo ao longo do tempo algumas modificações, como ocorreram com a Lei 11.106/05 e as mais recentes introduzidas pela lei nº 12.015/09.

Dentre as principais mudanças destacam-se:

  1. Modificação do título sexto da parte especial de crimes contra os costumes para crimes contra a dignidade sexual. Essa mudança evidencia uma nomenclatura mais aproximada do garantismo penal;
  2. Nova redação dada ao crime de estupro previsto no artigo 213 do CP e revogação dos artigos 214 e 216;
  3. Previsão de um capítulo específico para tratar dos crimes sexuais contra vulnerável, tipificados nos artigos 217a a 218b do CP;
  4. Modificação da regra da ação penal passando da iniciativa privada para a ação penal pública condicionada a representação, devendo ser observado o art. 225 caput e seu parágrafo único, além da súmula 608 do STF;
  5. Modificação do capítulo V do título VI da parte especial do CP passando a vigorar com a seguinte redação “do lenocínio e do tráfico de pessoa para fim de prostituição ou outra forma de exploração sexual”;
  6. Previsão legal de novas causas de aumento de pena do agente, inseridas nos incisos III e IV do art. 234a do CP;
  7. Determinação de segredo de justiça para os processos que envolvam os crimes contra a dignidade sexual, conforme artigo 234b do CP.

Estudo do Crime de Estupro

O crime de estupro é classificado como crime comum (pode ser praticado por qualquer pessoa), é crime material (pois exige a produção de um resultado), é comissivo (pois é praticado através de ação). É também um crime doloso, porém pode ser preterdoloso quando qualificado pela lesão grave ou pela morte. O crime se consuma com a pratica do ato libidinoso, em que o agente utiliza de violência ou grave ameaça contra a vítima. Para alcançar seu intento, entretanto é admissível tentativa c/c Art. 14, II CP. Se houver qualificadora (vítima maior de 14 e menor de 18 / lesão grave) art. 213, §1º CP e art. 213, §2º CP (morte). Lei de crimes hediondos, lei 8.072/90 (art. 1º, V).

Estupro de vulnerável

Art. 217-A. Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos.

Pena - reclusão, de 8 (oito) a 15 (quinze) anos.

§ 1º Incorre na mesma pena quem pratica as ações descritas no caput com alguém que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência.

§ 2º (VETADO)

§ 3º Se da conduta resulta lesão corporal de natureza grave:

Pena - reclusão, de 10 (dez) a 20 (vinte) anos.

§ 4º Se da conduta resulta morte:

Pena - reclusão, de 12 (doze) a 30 (trinta) anos.

Estudo do Crime de Estupro de vulnerável

O crime de estupro é classificado como crime comum (pode ser praticado por qualquer pessoa), é crime material (pois exige a produção de um resultado), é comissivo (pois é praticado através de ação). É também um crime doloso, porém pode ser preterdoloso quando qualificado pela lesão grave ou pela morte. O crime se consuma com a pratica do ato libidinoso contra a vítima. Para alcançar seu intento, entretanto é admissível tentativa c/c Art. 14, II CP. Se houver qualificadora (lesão grave) art. 213, §1º CP e art. 213, §2º CP (morte). Lei de crimes hediondos, lei 8.072/90 (art. 1º, V).

O núcleo do tipo estupro de vulnerável é o verbo TER, diferente do estupro comum que é o verbo constranger, que significa coagir, forçar, obrigar, exigindo neste caso a violência ou a grave ameaça.

Para a prática do estupro de vulnerável basta que o agente tenha (pratique) qualquer ato libidinoso com a vítima. No artigo 217a o sujeito passivo obrigatoriamente precisa ser pessoa vulnerável, ou seja: os menores de 14 anos, os enfermos ou deficientes mentais, e aqueles que não puderem oferecer nenhuma resistência, como por exemplo a pessoa em estado de embriaguez completa. Para o legislador os vulneráveis não possuem capacidade de discernimento sobre a prática do ato libidinoso ocorrido.

[pic 2]

19.FEV.2013

Violação sexual mediante fraude

Art. 215. Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com alguém, mediante fraude ou outro meio que impeça ou dificulte a livre manifestação de vontade da vítima:

Pena - reclusão, de 2 (dois) a 6 (seis) anos.

Parágrafo único. Se o crime é cometido com o fim de obter vantagem econômica, aplica-se também multa.

Assédio sexual

Art. 216-A. Constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se o agente da sua condição de superior hierárquico (cargo público) ou ascendência (emprego privado) inerentes ao exercício de emprego, cargo ou função

...

Baixar como (para membros premium)  txt (61.4 Kb)   pdf (361 Kb)   docx (53.3 Kb)  
Continuar por mais 38 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com