TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resenha Capítulo 3 - Livro Desenvolvimento Econômico Brasileiro

Por:   •  21/6/2015  •  Resenha  •  864 Palavras (4 Páginas)  •  1.172 Visualizações

Página 1 de 4

Universidade Federal Rural de Pernambuco
Departamento de Ciências Domésticas
Disciplina: Economia e Administração Familiar I
Profª: Fátima Massena
Aluna: Camila Pereira da Costa e Silva

Resumo Capítulo 3 - Livro Desenvolvimento Econômico Brasileiro

        A crise de transição da década de 1920 marcou a passagem de um modelo para o outro. Nessa década ocorreu o esgotamento da estrutura da sociedade após a independência. A nação viveu sua primeira grande crise global aguda. A Crise foi caracterizada como um período de crescente insatisfação, descontentamento e tomada de consciência de que a continuidade do status é inviável. É sempre um período fecundo de idéias e busca de saídas, porque se não há crise não há mudança.

A Primeira Guerra Mundial ajudou a despertar a consciência nacional. Mostrou que os países necessitavam de poderosas forças armadas e que a segurança nacional dependia também do seu desenvolvimento econômico e social. O Brasil começou a perceber-se periférico e dependente. A consciência vem da insatisfação com isso. A Independência tinha que ser econômica e cultural. Para isso, tinha que se apontar no rumo da industrialização.

As mudanças que aconteciam: O processo de industrialização da economia ganhava impulso; Novas classes sociais emergiam no cenário social e político (burguesia e proletariado); Legitimidade do sistema político (dominado pela aristocracia agrária exportadora) passa a ser questionada; Mudanças ideológicas operam entre as elites intelectuais – debate e busca de novos rumos para o país; Nova concepção literária e artística, voltada para a descoberta do Brasil e comprometida com o seu destino.

1922 foi o ano chave dos Movimentos de alto valor simbólico: Semana de Arte Moderna; Fundação do Partido Comunista do Brasil (PCB); Criação do Centro D. Vital, e revista A Ordem, de orientação católica e a Revolta do Forte de Copacabana (julho).

Os três acontecimentos de maior relevo foram: 1) O deslocamento definitivo do poder, no mundo capitalista, da Europa para os EUA; Desgaste das grandes potências européias com a guerra (Inglaterra, França, Alemanha e Itália), e declínio do seu poder de influência; EUA emerge como potência mundial capitalista, e lidera a segunda fase da Revolução Industrial. 2) A Europa em efervescência sociopolítica; Aumenta a insatisfação dos trabalhadores com as suas condições de vida e trabalho; Enfraquecimento dos governos (devido à Guerra) – Democracia mostrou-se incapaz de superar os problemas; Ascensão de regimes totalitários: nazismo, fascismo, salazarismo; Revolução Socialista na Rússia (1917) Socialismo deixa de ser apenas uma teoria. Ganha corações e mentes na perspectiva da internacionalização. 3) Revolução Socialista na Rússia (1917) Socialismo deixa de ser apenas uma teoria. Ganha corações e mentes na perspectiva da internacionalização.

Inquietações na ordem capitalista pelo lado dos empresários capitalistas: No pós-guerra, acelerou-se o processo de monopolização da economia; Pelo lado dos trabalhadores: Emergência e crescente afirmação do operariado como ator político de peso. As mudanças econômicas que operaram no Brasil se deram com o esgotamento do crescimento da produção de bens primários, particularmente o café; e a intensificação do processo de industrialização, a partir da Primeira Guerra Mundial.

As principais mudanças sociais operadas foram: O surgimento no cenário nacional de novas classes sociais – burguesia e proletariado; A ascensão das camadas médias; O início das reivindicações operárias e da luta social; O processo de urbanização e o início do processo de emancipação feminina.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6 Kb)   pdf (79.4 Kb)   docx (12.4 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com