TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resumo Escola Marginalista

Por:   •  11/6/2015  •  Artigo  •  990 Palavras (4 Páginas)  •  193 Visualizações

Página 1 de 4

KARL MARX (parte 3) – Aula 35

Capitulo 9 – HUNT

O VALOR DA FORÇA DE TRABALHO (FT)

Qual a fonte da mais-valia? A diferença ente o valor da força de trabalho (FT) e o valor da mercadoria produzida

  • O valor da força de trabalho é determinado pelo tempo de trabalho necessário para a produção e também para a reprodução desse artigo especial
  • Isso inclui as mercadorias necessárias a sua subsistência (obviamente, elas contêm trabalho)
  • Como a FT precisa ser substituída periodicamente, o valor da FT deve incluir tbm o total dos meios de subsistência não só do trabalhador, mas tbm de sua família.
  • A SUBSISTENCIA É UM PRODUTO DO DESENVOLVIMENTO HISTÓRICO (ex: a facilidade de se ter um celular e acesso a internet hoje em dia, se comparado com períodos anteriores)

TRABALHO NECESSÁRIO E TRABALHO EXCEDENTE

  • A força de trabalho é a capacidade de se trabalhar
  • E isso depende da pessoa e do tipo de trabalho, mas em geral é estabelecido uma quantidade de horas para o dia de trabalho (8, 10, 12, 14, 18...)
  • A parte do dia de trabalho durante a qual era produzido o valor da ft é o tempo de trabalho necessário
  •  No capitalismo, porem, o dia de trabalho sempre ia além do tempo de trabalho necessário
  • A diferença é o trabalho excedente, que é a base da mais-valia
  • Na fórmula do capital industrial, o capitalista compra ( no momento D-M) três mercadorias: Matérias-Primas, Instrumentos e FT
  • Os dois primeiros transferem seu valor as mercadorias, mas a f transfere tbm o valor excedente (a mais-valia); M’-M

A TEORIA DO VALOR TRABALHO

  • É O NÚCLEO DA TEORIA ECONOMICA DE MARX
  • A fim de entender a teoria do valor-trabalho de Marx, é preciso ter em mente que ele pertencia a uma escola de pensamento que vê uma distinção entre a aparência imediata e a sua substância ou essência profunda
  • A aparência imediata é a manifestação observável de um fenômeno social; a substancia ou essência profunda, menos visível, é, porém, mais importante
  • Para Marx, a alocação social do trabalho era uma necessidade universal de toas as sociedades. No capitalismo ela tinha lugar pela venda da ft
  • O trabalho abstrato é a substancia ou a essência do valor, enquanto o preço é manifestação empírica dessa substância ou essência das condições históricas da produção de mercadorias capitalistas
  • O “problema da transformação” trata de destrinchar as relações entre valores e preços a fim de encontrar mentalmente a relação quantitativa entre substancia (valor) e sua manifestação empírica (preço)
  • Essa relação é bastante complexa....
  • Uma vasta literatura ofereceu numerosas formulações matemáticas que em geral alardeavam estas mais próximas que as demais do espírito de Marx (Hunt, 2005)

PROPRIEDADE PRIVADA

  • A MAIS-VALIA É GERADA NA TROCA OU NO PROCESSO DE PRODUÇÃO?

- No processo de produção... Lembrar do trabalhador livre que vende dua forma de trabalho aos proprietários de capital

  • O capital é uma coleção de “coisas”?

- Não... o capital envolve um conjunto especifico de relações sociais. Uma coleção de “coisas” – o aspecto parcial do capital – existia em todas as épocas históricas

  • Já o capital em sua forma mais ampla, é específico do capitalismo.
  • Quais aspectos da propriedade eram peculiares e específicos ao capitalismo?

- O capital como uma força social cujo agente é o capitalista. A base legal do capital é a lei da propriedade privada, que garante o capitalista direitos de se apropriar do trabalho não pago.

  • O capital e as leis da propriedade privada tinham se tornado um mecanismo do modo de produção capitalista através...

ACUMULAÇÃO PRIMITIVA

  • Para Marx, as origens históricas do capital eram o comportamento econômico frugal e abstêmio de uma elite moral?

- Não!

  • O processo histórico pelo qual a classe operarias e a capitalistas foram criadas foi chamada acumulação primitiva
  • E seus métodos não tem nada de poéticos.. (Isso ocorreu por meio da “fora” -> roubo, escravidão, conquista, assassinato, etc... Ver pg. 222).
  • A história da acumulação primitiva foi “escrita nos anais da humanidade com letras de sangue de fogo”
  • Quando as relações de propriedade feudal foram destruídas e transformadas em relações de propriedade privada moderna, os agricultores foram tirados a fora das terras ...
  • A força das circunstancias transformaram a massa em mendigos, ladroes, desordeiros...
  • Na transição do Feudalismo para o capitalismo, a legislação, fortemente repressiva, remodelava os trabalhadores “livres” a aceitar “a disciplina necessária ao sistema salarial
  • No período de sua criação, o capital pregava sangue e mais algo pelos seus poros...

Acumuluçao de capital

  • Logo que a produção capitalista se forma por si mesma, não só mantem essa separação (operários x meios de produção), como tbm reproduz em escala sempre crecente
  • Esse sistema, a posição social do capitalista e seu prestígio

LEIS DO MOVIMENTO DO CAPITALISMO

  • O desenvolvolmento da produção capitalista torna semore necessário manter o aumento do capital aplicado – OU cresce, ou sai fora

QUATRO CONSEQUENCIAS IMPORTANTES DA CONCORRENCIA E ACUMULUAÇÃO

  • Concentração Economica: Riqueza e poder cresce cada vez mais. O grande absorve o pequeno. Com avanços tecnológicos há aumento do K
  • Tendência decrescente da tx de lucro: A composição do capital era determinada pela proporção em que ele era dividido em capital constante (c e variável (v). Aumento progressivo de K constante em relação a variável, diminui a taxa de lucro. Comercio exterior, pode gerar uma tx de lucro mais elevada -> Necessidade de um mkt sempre em expansão
  • Desequilíbrios setoriais e crises econômicas: Os salários tendem ao nível de subsistência cultural devido ao exercito industrial de reserva. Porém, com acumul de k aumenta semanda por trabalho e pode elevar os salários. Frente a isso os k’istas mudam as técnicas de produção, introduzindo novas maquinas poupadoras de MDO. Criação do desemprego tecnológico, que gera novos problemas. A expansão com enons empregos permitia o aumento da produção total, sem aumentas os salários pagos aos operários.
  • Mas quem comprava as mercadorias? – Marx dividiu a economia entre dois setores: Bens de capital e Bens de consumo
  • Alienação: O que Marx condenava, principalmente,e ra a degradação e a total

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6.4 Kb)   pdf (67.5 Kb)   docx (14.4 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com