TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

"Moçambique A Porta De Entrada E Saída Dos Países Do Interland Na África Austral".

Ensaios: "Moçambique A Porta De Entrada E Saída Dos Países Do Interland Na África Austral".. Pesquise 793.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  17/12/2014  •  4.724 Palavras (19 Páginas)  •  5.724 Visualizações

Página 1 de 19

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MOÇAMBIQUE

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E POLÍTICAS

“Moçambique a porta de entrada e saída dos países do interland na África Austral”.

Messias Luís Cipriano Uarreno

Mestrado em Ciências Políticas: Governação e Relações Internacionais

Relações Internacionais Contemporâneas

2014

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MOÇAMBIQUE

FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E POLÍTICAS

“Moçambique a porta de entrada e saída dos países do interland na África Austral”.

Messias Luís Cipriano Uarreno

Mestrado em Ciências Políticas: Governação e Relações Internacionais

Relações Internacionais Contemporâneas

Docente: Prof. Dra. Sónia Ribeiro

2014

Resumo

No sentido de responder a questão “Qual é o papel do mar moçambicano para a afirmação do poder de Moçambique face aos estados vizinhos?”, recorremos a diversas bibliografias e colhemos as várias opiniões sobre a importância do mar baseadas nos teorizadores do poder marítimo. Em seguida demos uma olhada aos países vizinhos de Moçambique no intuito de perceber sobre as suas reais necessidades no desenvolvimento das actividades comerciais ligadas ao mar (utilização de portos em particular) e olhamos de igual modo a localização geográfica de Moçambique para perceber as suas vantagens do acesso ao mar face aos países vizinhos do interland o que nos permitiu concluir que este país, Moçambique, possui sim uma grande oportunidade de utilizar o mar (Oceano Índico) para desenvolver intensamente a actividade comercial através da vias marítimas (seus portos) e se afirmar como uma potência na região da África Austral, mas infelizmente, a psicologia nacional e as características do governo não são ou não estão muito direccionadas a este sector desperdiçando assim uma óptima oportunidade não apenas para o seu reconhecimento regional mas também internacional.

Palavras-Chave: Moçambique – Poder marítimo – Afirmação de Poder

Índice

Introdução 5

1. Teorizadores do poder marítimo 6

2. Os países vizinhos de Moçambique e a necessidade de acesso ao mar 9

2.1. O Caso do Malawi 10

2.2. O caso da Zâmbia 11

2.3. O caso do Zimbabwe 12

2.4. O Caso do Botswana 13

2.5. O caso da Suazilândia 14

2.6. O caso do Lesoto 15

2.7. O Caso da Africa do Sul 15

3. A Importância da posição de Moçambique 16

3.1. Porto de Nacala 17

3.2. Porto da Beira 18

3.3. Porto do Maputo 19

Conclusão 21

Bibliografia 23

Anexo 25

Anexo 1 25

Anexo 2 26

Introdução

As Relações Internacionais visam ao estudo sistemático das relações políticas, económicas e sociais entre diferentes países cujos reflexos transcendam as fronteiras de um Estado, as empresas, tenham como locus o sistema internacional. Pode se focar tanto na política externa de determinado Estado, quanto no conjunto estrutural das interacções entre os atores internacionais.

Considerando o mar como uma das fontes estruturais do poder, além da terra, ar e ciberespaço, ele foi alvo de várias teorias. Assim, os designados teorizadores geopolíticos clássicos elaboraram as suas teorias valorizando uma delas como factor determinante para o “domínio do mundo”, sendo catalogados com teorizadores dessa fonte estrutural.

No presente trabalho pretendemos relevar a excelência da posição geográfica moçambicana, argumentando a importância e extensão do “mar moçambicano” e como o poder político o poderia utilizar para desenvolver a economia e, concomitantemente, a sua liberdade de acção, ou seja, a afirmação do seu poder face aos estados vizinhos.

A importância geopolítica do meio marítimo parece óbvia, muito embora a valia relativa das razões de que decorre possa, ao longo dos tempos, ter vindo a ser alterada, por questões que se prendem com a evolução do conhecimento na sua generalidade, com a evolução tecnológica, com as diferentes modificações no sistema económico, com a projecção de poder, com a demografia, com as diferentes escolas no âmbito das relações internacionais, da ciência política, da estratégia, entre outras. (Dias, 2005)

Inicialmente os teorizadores do poder marítimo (Mahan e Castex), no sentido de compreendermos melhor a importância do mar e as políticas de aproveitamento do mar. Seguido das necessidades que o país do “hinterland” (os países vizinhos de Moçambique) tem no acesso ao mar para o seu desenvolvimento em geral e no desenvolvimento das actividades económicas em particular. Segue-se a importância da posição moçambicana e as formas de “valorizar” o mar. E em jeito de conclusão, analisamos como Moçambique pode usar da vantagem do acesso ao mar para se afirmar como potência face aos países vizinhos na África Austral.

1. Teorizadores do Poder marítimo

Os teorizadores do poder marítimo consideravam o mar como a principal fonte estrutural do poder, uma vez que aquele que a dominasse controlava o mundo. Neste domínio, dois importantes pensadores

...

Baixar como (para membros premium)  txt (31.1 Kb)  
Continuar por mais 18 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com