TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Contribuição Da Família No Processo Ensino Aprendizagem

Por:   •  24/1/2014  •  2.265 Palavras (10 Páginas)  •  472 Visualizações

Página 1 de 10

2 A FAMÍLIA E SUAS ATRIBUIÇÕES NO PROCESSO EDUCACIONAL

A Constituição Brasileira de 1988, nos autos de suas atribuições aborda a questão da família nos artigos 5°, 7°, 201, 208, 226 a 230, trazendo inovações principalmente no artigo 226 ao conceituar a família como: união estável entre homem e mulher e a comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes. Sabe-se que a família é a primeira instituição ao qual o indivíduo tem seus primeiros contatos, aprendizagens e socializações com o mundo externo. Como define Cynthia Andersen Sarti (2004, pág. 17):

A família é o lugar onde se ouvem as primeiras falas, com as quais se constrói a auto-imagem e a imagem do mundo exterior. Assim, é fundamentalmente como lugar de aquisição de linguagem que a família define seu caráter social. Nela, aprende-se a falar e, por meio da linguagem, a ordenar e dar sentido às experiências vividas. A família, seja como for composta, vivida e organizada, é o filtro através do qual se começa a ver e a significar o mundo. Esse processo que se inicia ao nascer estende-se ao longo de toda a vida, a partir dos diferentes lugares que se ocupa na família.

Todavia, na contemporaneidade não cabe continuar com a definição trazida na Constituição de 1988, uma vez que as mudanças ocorridas como: difusão da pílula anticoncepcional, trabalho remunerado da mulher e ampliação da inseminação artificial e a fertilização in vitro deixam visível que a família não é concebida apenas de modo natural, permitindo que a mulher tenha sua sexualidade desvinculada da reprodução como afirma Sarti (2000, p. 195) apud Strathern (1995): […], as novas tecnologias reprodutivas, [...], provocaram outras mudanças que afetaram a identificação da família com o mundo natural, que fundamenta a idéia de família e parentesco do mundo ocidental.

As discussões sobre as transformações do conceito de família têm permitido diversas reflexões e compreensão a respeito da estrutura familiar que muda à medida que a historia do homem acontece ou em função das próprias transformações sociais causada por eles. É notório na própria definição de família que não há uma configuração familiar ideal. Segundo Dessen; Polonia (2007) apud Strarron (2003): há diversas configurações familiares: nuclear tradicional, recasada/reconstituída, mono parentais, homossexuais, dentre outras combinações. Considera-se nuclear tradicional o grupo familiar formado por pai, mãe e filhos. Recasada/reconstituída formada por um dos pais ou parente, padrasto/madrasta e filhos; mono parental formada por um dos parentes; homoafetivas com duas pessoas do mesmo sexo. Mesmo que não haja causalidade determinista entre estilos de cuidados parentais e personalidade dos filhos, como ressaltam Lordelo, Carvalho e Koller (2002), a estrutura emocional do espaço privado deve ser levada em conta. As pesquisadoras sugerem que deve haver algumas configurações ambientais que favoreçam mais o desenvolvimento do que outras, o contexto indica diferentes condições de vida em que as crianças nascem, vivem e se desenvolvem em ambientes aversivos não propiciam o capital psicológico (BASTOS, ALCÂNTARA e FERREIRA-SANTOS, 2002), que se conceitua como comportamentos, conceitos, vínculos relacionados à saúde emocional dos membros da família, no caso os filhos.

3 A RELAÇÃO ENTRE FAMÍLIA E ESCOLA E SUAS INFLUÊNCIAS NO DESEMPENHO

A escola é uma das principais instituições sociais responsável pela socialização de conhecimento e ensinamentos das matérias, como define Ximenes (2000): a escola pode ser definida como uma instituição de ensino coletivo, ou ainda como um espaço composto por um conjunto de alunos, professores e também, o pessoal de apoio. Este lugar de ensino coletivo pode ser divido em dois momentos. Primeiro momento considera a Educação Infantil - crianças de 0 a 6 anos ou ser definido em dois períodos: creche atende crianças de 0 a 3 anos e pré-escola atende crianças de 4 a 6 anos. Estas instituições são muito importantes para o desenvolvimento da criança porque permitem aprendizagem através das leituras de diversos gêneros textuais, descoberta de sua importância para a humanidade, familiariza-se mais cedo com a leitura e escrita, alem de aprender a lidar com as diferenças culturais, entre outras funções, a definição trazida por Sônia Kramer (1999):

Creches e pré-escolas são modalidades de educação infantil. O trabalho realizado no seu interior tem caráter educativo e visa garantir assistência, alimentação, saúde e segurança com condições materiais e humanas que tragam benefícios sociais e culturais para as crianças.

Por

...

Baixar como (para membros premium)  txt (14.9 Kb)  
Continuar por mais 9 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com