TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A SOLUÇÃO PARA REGENERAÇÃO DA PELE POR QUEIMADURAS UTILIZANDO PELE TILÁPIA (TILÁPIA DO NILO, OREOCHROMIS NILOTICUS)

Por:   •  5/1/2019  •  Projeto de pesquisa  •  3.086 Palavras (13 Páginas)  •  88 Visualizações

Página 1 de 13

SOLUÇÃO PARA REGENERAÇÃO DA PELE POR QUEIMADURAS UTILIZANDO PELE TILÁPIA (TILÁPIA DO NILO, OREOCHROMIS NILOTICUS)

AMANDA DA LUZ LAZZARETTI¹; ANA PAULA AZEVEDO²; JÚLIA CAROLINA POTHINᶟ; JÚLIA HAAG ZIMMER⁴; RENATA HARKSEN⁵

Alunas do 8º ano da Escola Estadual de Ensino Fundamental Willy Oscar Konrath¹ ² ᶟ ⁴

Professora de Ciências e Orientadora do projeto de pesquisa da EEEF Willy Oscar Konrath⁵

E-mail: rharksen@gmail.com⁵

INTRODUÇÃO

No Brasil, os números de queimados somam 1 milhão ao ano. Dado preocupante, uma vez que a demanda de bancos de pele encontra-se precários. Diante desta realidade, uma novidade científica foi divulgada por pesquisadores brasileiros cearenses com o estudo da utilização da pele da tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus), para regeneração de tecidos por queimaduras de forma eficaz e de baixa custo. (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2017; LIMA-JUNIOR, 2017).

O tratamento de queimaduras adotado nos serviços públicos de saúde do Brasil, em casos de queimaduras superficiais extensas e os mais graves, inclui a pomada Sulfadiazina de Prata. É uma pomada com uma boa cicatrização e antimicrobiana. (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2017). Alguns países da América do Sul, nos EUA e na Europa são realizados tratamentos com outros métodos, como a pele humana ou animal. (LIMA-JUNIOR, 2017). Conforme informações do Ministério da Saúde (2017), a situação de queimados no Brasil é muito grave, a maioria das vítimas são crianças e pessoas de baixa renda. (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2017) Em 2015, as pesquisas com o uso da pele da tilápia foram aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA, 2015 apud MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2017).

De acordo com o Ministério da saúde (2017), o Brasil conta com apenas três bancos de peles e que não suprem nem um por cento da necessidade de pele do país. Existe um atraso no investimento em pesquisa com peles para tratamento de queimaduras no Brasil, onde 97% da população de queimados não possui planos de saúde. Além destes aspectos, o trabalho abordará tipos de graus de queimaduras, como os de 1º, 2º e 3º graus. As lesões por queimaduras também são classificadas de acordo com a profundidade. Queimaduras de 1º grau atingem camadas superficiais da pele. As de 2º grau e 3º grau são os mais graves. Estes graus atingem as camadas mais profundas da pele e podem atingir até os ossos. (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2017).

Visando os benefícios da pele da tilapia, análises microscópicas foram realizadas para verificar suas camadas de tecido, sua composição e semelhanças com a pele humana. Estas análises foram estudadas através da literatura e investigada entre as autoras deste trabalho no laboratório de Ciências da Escola Estadual de Ensino Fundamental Willy Oscar Konrath.

Esta pesquisa tem como objetivos demonstrar as vantagens de se utilizar um produto totalmente natural como curativo, além de apresentar um baixo custo em seu processo de desenvolvimento e aplicação. Além disto, pretendemos analisar os resultados obtidos em pesquisas científicas com pele de Tilápia no tratamento de vítimas de queimaduras graves. Identificar os tipos e graus de queimaduras que podem receber este tratamento e o provável tempo de regeneração que cada um deve levar.

SOLUÇÕES PARA REGENERAÇÃO DA PELE, EM VÍTIMAS DE QUEIMADURAS UTILIZANDO PELE DE TILÁPIA

O uso da pele da tilapia tem sido uma novidade para o tratamento de lesões por queimaduras no Brasil. Em 2015, este método de tratamento foi desenvolvido por pesquisadores cearenses e que promete indicar uma alternativa no tratamento de lesões de queimaduras para os serviços de saúde. Trata-se de um curativo natural feito de pele de tilápia, peixe de água doce comum e exótico no país. O estudo apresentou bons resultados. (LIMA-JUNIOR et al., 2017).

O uso desse tipo de material como curativos para queimaduras é algo utilizado no mundo. Alguns países utilizam até pele humana, de suínos e de aves. É a primeira vez, que uma pesquisa usa pele de peixe. (JORNAL O TEMPO, 2017).

As vantagens de um curativo natural são o baixo risco de infecção, a facilidade do tratamento e a baixa perda de líquido na cicatrização. Na rede pública do Brasil, o tratamento (de queimaduras) é feito com uma pomada ou creme. Esses tipos de pomada só agem normalmente por 24 horas. (G1 CEARÁ, 2016). E após esse período, devem ser removidas, causando dor ao paciente e dificultando a cicatrização. Com a pele de tilápia, não necessitando uma troca de curativo, o que facilita muito na cicatrização. Outra vantagem do uso da pele de tilápia

...

Baixar como (para membros premium)  txt (21.3 Kb)   pdf (158.5 Kb)   docx (21 Kb)  
Continuar por mais 12 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com