TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Amplie A Pesquisa Identificando Estudos De Caso Sobre A Aplicação Das Ferramentas De Gestão BSC E Seis Sigma. Encontre: ¤ Um Caso De Sucesso. ¤ Um Caso Em Que Tenha Ocorrido Alguma Implicação Durante A Aplicação De Cada Ferramenta

Por:   •  31/5/2013  •  1.773 Palavras (8 Páginas)  •  745 Visualizações

Página 1 de 8

SUMÁRIO

CAPÍTULO 1 – RESUMO.............................................................................................4

CAPÍTULO 2 – PERGUNTAS.......................................................................................10

3 - REFERÊNCIAS.......................................................................................................12

1 – RESUMO SOBRE O LIVO:

“Superdicas para se tornar um verdadeiro Líder”

O livro Superdicas para se tornar um verdadeiro Líder, escrito por Paulo Gaudêncio, traz instruções para aqueles que pretendem exercer um cargo de liderança. Gaudêncio é médico psiquiatra e, portanto, aborda aspectos emocionais necessários para ser um líder, sem deixar de lado os aspectos racionais. De acordo com o autor: “De nada adianta aprender e treinar os comportamentos corretos para cada situação se a pessoa não estiver emocionalmente pronta para liderar.” (GAUDÊNCIO, p. 12)

A partir desse argumento, ele define liderança como habilidade que as pessoas podem desenvolver, contanto que aprendam a lidar com suas próprias emoções de forma madura. E define o líder em sua essência: “O líder sabe o que quer. O líder quer o que sabe.”.

Questionando sobre gerenciamento e liderança, o autor conclui que são habilidades diferentes, mas complementares, podendo ser desenvolvidas por líderes e gerentes. A liderança está diretamente relacionada ao Q.E. (coeficiente emocional), distinguindo-se do gerenciamento, o qual a relação se faz com o Q.I. (coeficiente intelectual). O sucesso do líder dependerá do seu autoconhecimento e do amadurecimento de suas emoções. Gaudêncio justifica sua fixação pelo emocional nas atitudes necessárias de um líder. Destaca como primeira característica a coragem:

“Lidar de forma madura com as emoções é saber lidar com o medo e com a agressividade, de maneira tal que as decisões sejam sempre corajosas ou prudentes. Jamais covardes ou irresponsáveis.” (GAUDÊNCIO, p. 24).

Com isso, o líder consegue comprometer as pessoas com seu “sonho”, tratando-as como pessoas e não como objetos, respeitando a dignidade delas, sabendo ouvir e sendo humilde o bastante para não querer ser seguido, mas colocando ênfase na concretização do sonho. É preciso também que o líder seja íntegro, sentindo, pensando, agindo e falando da mesma forma.

Para pôr em prática o que foi citado anteriormente, o líder conta com alguns instrumentos gerenciais. Um deles é a delegação, em que é preciso seguir um roteiro para ser adequada. Primeiramente, o líder treina alguém para a tarefa. Em seguida, acompanha de perto as etapas da execução do projeto e, finalmente, a delegação da tarefa por completo, à medida que o outro está apto para cumpri-la. E para que o profissional sinta-se comprometido é interessante que se delegue desafios, atividades em que a habilidade e a dificuldade estão em equilíbrio, pois funcionam como fatores motivacionais.

Outro instrumento é o feedback. Não se trata de uma avaliação, mas de um depoimento sem julgamento, um diálogo. É imprescindível no desenvolvimento profissional, contudo tem sido mal-empregado no mundo corporativo por desconhecimento. Deve acontecer o tempo todo e o líder deve estar preparado para as possíveis respostas de seus subordinados, tomando cuidado para não projetar no outro a emoção reprimida. O autor exemplifica o feedback como uma situação que ocorre entre amigos: “Se eu estiver errado, um amigo fala para mim. Inimigo fala de mim.” (GAUDÊNCIO, p. 45 e 46).

Gaudêncio também ensina como o feedback deve acontecer e ressalta a importância de reconhecer o mérito alheio. “Um bom líder reconhece um trabalho bem feito e não causa em seus liderados nenhum tipo de ressentimento.” (GAUDÊNCIO, p. 54).

Para que a liderança alcance seus objetivos, é necessário que o líder desenvolva seu autoconhecimento, que funcionará como um “termômetro” e o ajudará a identificar seu estilo de liderança, avaliar suas habilidades e o que precisa ser melhorado.

Há quatro estilos de líder, segundo Mary BlitzerFields. São eles:

SISTEMÁTICO DIRETIVO PONDERADO INSPIRADOR

Foco no processo Foco nos resultados Foco na harmonia Foco na interação

Metódico

Analítico

Detalhista

Lento

...

Baixar como (para membros premium)  txt (13.1 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com