TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

O HOMEM E A PROFISSÃO DE SECRETARIADO EXECUTIVO

Pesquisas Acadêmicas: O HOMEM E A PROFISSÃO DE SECRETARIADO EXECUTIVO. Pesquise 788.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  13/11/2014  •  2.741 Palavras (11 Páginas)  •  5.115 Visualizações

Página 1 de 11

O HOMEM E A PROFISSÃO DE SECRETÁRIADO EXECUTIVO

1 – INTRODUÇÃO

Devido à regulamentação da profissão de secretária e à criação do curso superior de Secretario Executivo no período pós-1985, o mercado de homens nesta profissão avançou e atraiu o curso para varias universidades. O fato é que secretariado ficou muito fortemente associado às mulheres.

No entanto a realidade hoje e que os homens estão invadindo os cursos de secretariado, onde os mesmos se encaixam mais nas áreas de assessoria parlamentar, mas também podem ser vistos em grandes empresas. Nestes termos observa-se que a profissão tem deixado de ser taxada como feminina. Essa é uma tendência mundial. Hoje, é raro falarmos em profissões femininas ou masculinas.

Diante do exposto este projeto busca elaborar uma analise sobre como a profissão de Secretariado Executivo Homem esta atuando no Município de Macapá-AP dentro do setor público e privado, apresentando desta forma, a fundamental passagem do homem por essa função. Sendo que o mercado de trabalho exige da profissão de Secretario Executivo grande profissional em virtude da pouca demanda de homens disponíveis para o cargo.

A partir de então este projeto tende a refletir a passagem do homem pelo curso de Secretariado Executivo ao longo da historia, sua evolução, e como se comporta atualmente esse gênero perante o mercado especificamente no setor público e privado.

Ferreira (2010, p.64) relata que no decorrer dos anos, a área de Secretariado Executivo passou por um processo de transformação, deixando de ser uma profissão técnica para se transformar em uma função gerencial.

Em outros termos, o Secretariado Executivo atual, tanto participa do gerenciamento da informação como interliga equipes nas empresas, deixando de exercer atividades técnicas e executivas, esse novo perfil é o resultado do desenvolvimento de novas tecnologias, da política de qualidade nas empresas, da competitividade existente no mercado e da globalização.

Entretanto além dessas abordagens, o objetivo central desta pesquisa é analisar e demonstrar a participação do homem na evolução do Secretariado Executivo ao longo da história, passando por um processo de transformação deixando de ser uma profissão técnica para uma função gerencial. E com isso ele vem ocupando cada vez mais espaço evidente no mercado e na estrutura organizacional.

Nesse contexto, estão inseridos os profissionais de Secretariado Executivo do gênero masculino. Pensa-se ainda, qual é o perfil atual desse profissional, quais são os preconceitos enfrentados, qual é a procura e a demanda existente desse profissional no mercado de trabalho, procurando demonstrar a realidade atual, em que o homem retorna a profissão com maior força, dedicação e profissionalismo.

Assim a historia dessa profissão vivida e exercida primeiramente pelos escribas (homem), demonstra que a base da profissão era exercida pelos homens e que se faz necessário a volta deste para enriquecer ainda mais a diversidade de atuações da assessoria secretarial.

2 – JUSTIFICATIVA

A Profissão de Secretário Executivo encontra-se, como as demais profissões, que vem ao longo dos anos sofrendo diversas mudanças, num momento em que a competência e a excelência profissional tornam-se exigentes no mercado de trabalho cada vez mais competitivo.

Por ser um profissional chave em qualquer estrutura empresarial, considera-se o Secretario Executivo parte fundamental de uma empresa, nestes termos o presente projeto justifica-se pela necessidade de se analisar a atuação dos profissionais de Secretariado Executivo Homem nas entidades públicas e privadas no Município de Macapá.

Essa analise julga-se de extrema importância visto que a prática dessa profissão envolve uma serie de funções que para serem desempenhadas necessitam de um perfil fundamentado nos valores éticos, no comportamento do profissional, nos desafios e oportunidades oferecidos pelo mercado, sendo que, a Profissão de Secretariado Executivo é exercida em sua maioria por mulheres embora observe um crescente retorno da atuação do gênero masculino ao universo secretarial.

Esta pesquisa torna-se relevante, já que no mercado de trabalho do município de Macapá-ap, observa-se uma grande e crescente necessidade de profissionais atuantes na área, no que diz respeito aos setores públicos e privados. Nota-se também a falta de oportunidades para os profissionais de Secretariado Executivo tanto do sexo feminino como do masculino.

Nestes termos considera-se a pesquisa de suma importância para os profissionais, uma vez que a sociedade na qual este profissional está inserido sofre preconceitos e limitações, este fator decorre pelo motivo de épocas remotas, onde era predominada pelo gênero masculino, e devido à criação de paradigmas, onde enfraqueceram a presença do mesmo na profissão fazendo existir a dificuldade de atuação do profissional homem na área, o que define que, a manutenção de uma pratica profissional e ética é vista nos setores públicos e privados como um desafio para essa classe.

3 – OBJETIVOS

3.1 - Objetivos Gerais

• Fazer um levantamento sobre os Secretários Executivos, do gênero masculino, que exercem as atribuições da profissão em instituições públicas e privadas no Município, capital do Estado do Amapá.

3.2 - Objetivos Específicos

• Abordar, historicamente, a presença masculina na profissão de secretários, voltados para a questão do gênero, ressaltando as mudanças de perfil da profissão ao longo do tempo;

• Demostrar casos de secretários homens que desempenham a função pelo país, conforme levantamentos bibliográficos;

• Abordar as contribuições, preconceitos, vantagem e limitações no exercício da profissão de secretariado por homens do município de Macapá.

• Identificar algumas das varias funções e aspectos da profissão;

• Analisar a necessidade de conhecimento e comportamento, por parte dos profissionais, baseando-se nos princípios éticos e na lei regulamentar do curso;

4 - REFERENCIAL TEÓRICO

4.1 – HISTÓRIA DO SECRETÁRIADO EXECUTIVO

Segundo estudiosos, a palavra secretária tem origem no Latim e deriva dos seguintes termos: Secretarium – lugar retirado; Secretum – retiro; Secreta – particular segredo. Com o tempo, ocorreram mudanças tanto no significado como na grafia desses termos, surgindo assim, secretária (o). Em 1760 durante a Revolução Industrial chegou o desenvolvimento de máquinas e indústrias, onde a Nova Estrutura Empresarial exigia as funções de assessoria administrativa, consolidando o papel do secretário, em que a função era exercida quase que exclusivamente por homens.

Nos anos 70 mudanças significativas começaram a ocorrer na profissão de secretariado. O profissional passou a ser visto como um membro ativo de gerencia participando de programas de desenvolvimento. As associações de classe começaram a atuar em todo o Brasil, buscando imprimir uma nova imagem e uma nova visão profissional.

Natalense (1998, p. 04) entende que “o antepassado do profissional secretário foi à escriba profissional de atuação destacada em toda a Idade Antiga, junto aos povos que desenvolveram a escrita e o comercio.

De acordo com o autor a historia registra que o provável antepassado do secretário teria sido o escriba, exercida pelo sexo masculino, profissional de atuação destacada em toda a Idade Antiga, pela descrição do trabalho do escriba observa-se que existem semelhanças com o trabalho do secretário, resguardando obviamente as características de cada época como: O escriba oriental era o homem que dominava a escrita classificava os arquivos, redigia as ordens, aquele que era capaz de recebê-las por escrito e que, por conseguinte foi naturalmente encarregado de sua execução.

Durante a Idade Média a profissão de Secretário praticamente desapareceu, com o fato dos homens serem convocados a abandonar suas vidas em favor da guerra, onde são literalmente extintos do mercado profissional. A profissão ressurgiu apenas no início da Idade Moderna em decorrência da Revolução Comercial e do mercantilismo quando ainda a profissão era exercida exclusivamente por homens.

Porém, após as duas guerras mundiais, com o desenvolvimento da estrutura organizacional das empresas e a crescente necessidade do trabalho desenvolvido pelo secretário, a ausência da mão de obra masculina possibilitou às mulheres serem incorporadas às atividades da profissão. Anos mais tarde, a classe feminina passou a ter o domínio da profissão e tiveram seu reconhecimento registrado pelo fato histórico que homenageou o centésimo aniversário da filha do inventor da máquina de escrever, data a qual, comemora-se, hoje, o dia da Secretária – 30 de setembro.

De acordo com Natalense (1998) O papel do secretário, porém, ressurge durante a Revolução Comercial (1400-1700) por meio do trabalho de assessoria a comerciantes, banqueiros e armadores. Com a evolução e o reconhecimento da profissão atribuíram à Secretária (o) um novo perfil, ou seja, mais competências e mais responsabilidades o que, no atual cenário globalizado, exige muito além de servir cafezinho, atender telefone e cuidar de agendas, porque, a era da informação exige profissionais da área secretarial com competências e técnicas globalizadas, bem como comportamentos que contemplam o “fazer” e o “assessorar” e que desenvolvem habilidades de comunicação, relacionamento e administração de conflitos.

Em resumo, ao longo da historia , percebe-se que, até o inicio do século XX, à profissão de secretariado era eminentemente masculina, a profissão acompanhou as transformações sociais, políticas, econômicas, e mercadológicas praticamente na mesma velocidade em que elas ocorriam, conquistou e estruturou sua posição atendendo as qualidades mercadológicas exigidas no mundo todo, correspondendo ao desenvolvimento e peculiaridades de cada país. Acompanhou a história e não se abalou com a temida globalização ao contrário, aliou-se a ela e adaptou-se às inovações e automações tecnológicas, superou as infundadas previsões de extinção e consolidou-se como uma profissão estruturada, consistente, atual e em constante desenvolvimento e adaptação, sendo uma das profissões que mais cresce no mundo.

Do ponto de vista de Natalense (1998):

“No Brasil, a profissão também acompanhou seu desenvolvimento econômico, empresarial, industrial, tecnológico e político-social através de muita luta de seus profissionais sempre buscando a atualização, o conhecimento, seus direitos e o desempenho ético de seus deveres e responsabilidades. A representação da classe e, acima de tudo, o respeito e o reconhecimento da profissão pela sociedade em geral” (NATALENSE, 1998, p. 7-10).

Entretanto, o desenvolvimento da profissão de Secretariado Executivo no Brasil acompanha o desenvolvimento gerencial e revela as características organizacionais, sociais e mercadológicas de cada década, fato que na década de 70 com o reconhecimento da profissão houve uma sutil, porém relevante volta do homem a esta profissão exercendo cargos secretariais e assessoria em todas as esferas do setor público e privado. Desde então ocorreu uma ampliação considerável na participação masculina no assessoramento secretarial, principalmente no âmbito intelectual. Na década de 80 ocorreram algumas conquistas importantes para o profissional de secretariado a mais importante delas foi à promulgação da Lei de regulamentação nº 7377/85.

4.2 PARTICIPAÇÃO MASCULINA NA PROFISSÃO DE SECRETARIADO

Como já foi abordada a profissão de Secretariado Executivo percorreu um processo de evolução ao longo dos anos, principalmente, considerando sobre a atuação do gênero masculino na profissão. Com a criação de paradigmas a presença do homem na profissão enfraqueceu, fazendo assim com que as dificuldades atuais de aceitação do profissional do gênero masculino na área existissem. Tal visão cultural deu-se, principalmente, durante a Segunda Guerra Mundial.

Para FIGUEIREDO (1987):

“Após a Segunda Guerra Mundial, a profissão adquiriu melhores perspectivas. A catástrofe dizimou milhares de bons profissionais nos campos de batalha e muitos dos que tinham conseguido regressar, estavam tão mutilados ou neuróticos, que já não podiam mais reassumir as antigas tarefas”. (FIGUEIREDO, 1987, p. 14)

Observa-se atualmente que ressurgimento da figura do homem no exercício da profissão de secretariado surgiu com a necessidade do mercado, em virtude da globalização, da dinâmica administrativa, com o avanço da globalização, da economia, e das necessidades cotidiana e rotineira no ambiente de trabalho. Os mercados se deparam com a evolução e a presença da mão de obra masculina na profissão de secretariado, juntamente com essa necessidade surgiu também os seus preconceitos encontrados no meio acadêmico.

Conforme Carvalho e Grisson (1998, p. 463), o profissional secretário participante do processo de globalização, desenvolve é aprimora diariamente suas habilidades de comunicação.

No entanto ele é visto como um navegador de informações, freqüentemente interpretando e traduzindo a multidiversidade de culturas e linguagem, sendo o elo entre a tecnologia e a realidade do mercado. Alguns homens acreditam na oportunidade que a profissão de Secretariado Executivo hoje oferece, pois e uma das profissões que mais cresce no Brasil e no mundo, formando profissionais com aptidões polivalentes.

Desta forma, o público masculino procura conhecer melhor esta profissão e passa a se identificar mais com ela, resta ainda uma parcela da sociedade com a visão errada em relação ao profissional de secretariado, pois não conhecem a história e as funções que englobam esta profissão. Já outra parcela, mais informada e imersa na nova era da globalização e no comportamento mercadológico existente, demonstra total confiança e aceitação da profissão tanto exercida por mulheres como por homens.

Entretanto diante das analises histórica, observa-se que a evolução secretarial vem ampliando os conhecimentos sobre Secretario Executivo bem como a ascensão que esta profissão conquistou, no qual, foi exposto o berço da profissão tendo como percussores os escribas na profissão. Entende-se que na contemporaneidade mercadológica, ser profissional de Secretariado Executivo independe do gênero. Pois essa é uma profissão que acompanha as evoluções do mercado globalizado, o qual, sem duvida, demanda por profissionais extremamente não mais por gênero, mas os melhores e mais competentes, sendo que ambos os gêneros tem a capacidade de exercer o mesmo.

5 – METODOLOGIA

Esta pesquisa descritiva foi realizada através de uma revisão bibliografia sobre o tema proposto. Em cunho quantitativo foi escolhida a técnica de levantamento de dados e analises sistemático através da aplicação de questionários, e de pesquisa de campo sobre a questão masculina na profissão de Secretariado Executivo nas instituições público e privada em Macapá-ap.

A Pesquisa bibliográfica foi realizada em diversas fontes de estudos de pesquisa na área de secretariado. Como bibliografia foi utilizada para fundamentar a pesquisa, os conceitos e abordagens de alguns autores que serão citados no decorrer do projeto. Em seguida foi feito um estudo da historia da Profissão de Secretariado Executivo, que irá ressaltar as atividades especificas do profissional homem dessa área, bem como a importância da presença deles dentro dos setores público e privado.

Para o levantamento de dados foi escolhido o Município de Macapá-ap, por ser a cidade natal das pesquisadoras e pelo interesse das mesmas em verificar o trabalho e a postura dos profissionais de Secretariado Executivo nessa cidade, uma vez que as autoras do projeto terão em breve formação na área pesquisada.

A pesquisa será direcionada à secretários Executivos homens formados e atuantes no mercado de trabalho, dos mais diversos setores públicos e privados, será também direcionado um questionário para colegas de trabalho desses secretários e chefes, que possibilitará a analise do comportamento, princípios éticos, preconceitos e evolução que irá enriquecer a pesquisa. Tal pesquisa se baseou na utilização de materiais que pudessem auxiliar o tema e desenvolver o projeto, pois na maioria dos casos, para se conhecer fatos, é necessário uma base de dados secundários, portanto durante a realização da pesquisa, foram analisados artigos, sites, livros e revistas.

Pois conforme OLIVEIRA (1997):

“A pesquisa bibliográfica pode ser encontrada em locais que sirvam como fontes de informações para o levantamento do documento, no sentido de possibilitar o encontro de uma serie de informações para comprovar a existência ou não de uma determinada hipótese que é ou foi objetivo de estudo de outros pesquisadores”. (Oliveira, 1997, p. 119).

Entretanto a analise dos dados coletados trata do levantamento de material já publicado em relação ao assunto estudado e tem como objetivo colocar o pesquisador em contato direto com aquilo que está pesquisando. Este ensaio interessa-se em investigar as noções universalistas dos homens na área secretarial, visto que existem concepções naturalizadas de que as mulheres possuem vocação para o exercício da profissão de Secretariado Executivo, eximindo os homens da execução dessas mesmas atividades.

Por esse motivo, utilizou-se a linguagem como ferramenta para analisar o gênero no contexto laboral. Para atingir o objetivo do projeto será utilizado três corpus: as ofertas de emprego oferecidas para os profissionais graduados em Secretariado Executivo, a Lei 1.421, de 26 de outubro de 1977 que oficializa o dia da secretária, e os questionários que serão respondidos por profissionais atuantes, colegas de trabalho e a chefia.

6 – CRONOGRAMA

Cronograma de prazos para o cumprimento de cada etapa mencionada anteriormente.

Data Dez Jan Fev Mar

Definição de tema; x

Levantamento bibliográfico; x x

Elaboração do Pré Projeto e analise bibliográfica; x x

Digitação, revisão e elaboração de questionários; x

Entrega do Projeto. x

7 - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CARVALHO, Antonio Pires da Silva; GRISSON, Diller. Manual do secretariado executivo. 2ª ed. revisada. São Paulo: D’Livros, 1998.

FIGUEIREDA, Vânia. Secretariado: dicas e dogmas. Brasilia: thsaurus, 1987, 160p.

NATALENSE, Maria Liana. A secretária do futuro. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1998.

OLIVEIRA, Silvio Luiz de. Tratado de metodologia cientifica: projetos e pesquisas, TGI, TCC, monografias, dissertações e teses. São Paulo: Pioneira, 1997

REVISTA SUPER INTERESSANTE. Jean-Francois Champollion: o último escriba dos faraós. Edição 58, p.72-77, Julho 1992.

REVISTA EXCELÊNCIA, Homens no secretariado uma questão de gênero. São Paulo, ano 4 – nº.12, p. 8 – 9 out/Nov /dez, 2006.

A Evolução. A Evolução do Secretariado. Disponível em: http://marilia-carapinha.blogspot.com/2008/02/evoluo.html. Acesso em 15/01/2014.

WWW.executivajr.blogspot.com.br/2012/09/secretariado. Acesso em 26/01/2014.

www.set.vem.br/idex.php. Acesso em 03/02/2014.

www.revistagesec.org.br. Acesso em 03/02/2014.

www.sisdf.com.br. Acesso em 06/02/2014.

...

Baixar como  txt (19.3 Kb)  
Continuar por mais 10 páginas »