TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

RESENHA CRÍTICA DO ARTIGO "MIOPIA EM MARKETING"

Artigo: RESENHA CRÍTICA DO ARTIGO "MIOPIA EM MARKETING". Pesquise 800.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  10/2/2015  •  480 Palavras (2 Páginas)  •  4.790 Visualizações

Página 1 de 2

RESENHA CRÍTICA DO ARTIGO “MIOPIA EM MARKETING”

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

LEVITT, THEODORE. Miopia em Marketing. Harvard Business Review–jul/ago/1960. Disponível em: <http://www.eniopadilha.com.br/documentos/levit_1960_pdf> Acesso em: 20 set. 2013

Para início de conversa e para melhor compreensão do texto, é interessante descrever o significado de “miopia”. Segundo a enciclopédia livre, Wikipédia, miopia é o distúrbio visual que acarreta uma focalização da imagem antes desta chegar à retina. Uma pessoa míope consegue ver objetos próximos com nitidez, mas os distantes são visualizados como se estivessem embaçados (desfocados).

No texto "Miopia em Marketing", Theodore Levitt informa o perigo que correm as organizações que são voltadas para o produto, mantendo uma relação afetiva com eles, ao invés de se orientarem para o mercado, para seus clientes.

O autor argumenta esta ideia, utilizando exemplos como o das ferrovias e da indústria cinematográfica, afirmando que o declínio delas não se deu pelo fato de outros segmentos terem tirado seus clientes, mas justamente pelo fato de não terem se adaptado a tempo para o que poderia chegar e ser mais útil para esta clientela.

Verifica-se que o grande erro que quase exterminou as ferrovias da sociedade moderna consiste em um posicionamento voltado a ferrovias e não ao setor de transporte ao realizar essa mudança de foco.

Hollywood também passou por problemas com o surgimento da televisão, pois vislumbrou na nova tecnologia uma séria ameaça aos negócios. O raciocínio era simples: por que uma pessoa sairia de casa para se deslocar até um cinema, sendo que agora ela poderia ter acesso a uma tela dentro de sua própria casa? A razão é lógica, o cinema não participa da indústria cinematográfica e sim do setor de entretenimento.

Em síntese, o autor enfatiza que a organização necessita entender sua função na relação do consumo do seu produto, colocando em perspectiva o valor

2

atribuído a este pelos seus clientes e consumidores. Sob este prisma, é fundamental que seus dirigentes estejam sempre atentos às necessidades explícitas, implícitas e latentes daqueles que consomem seus produtos, procurando identificar as variáveis que motivarão as pessoas a desejar fazer negócios com ela, e trazer para dentro da empresa o cliente, seus anseios e necessidades.

Portanto, para se evitar a miopia em marketing, ou seja, a visão curta, é primordial que a empresa procure entender as necessidades do consumidor de seus produtos, preocupando-se primeiramente com a entrega de satisfações, e não somente de objetos. Pode-se dizer, então, que é o comprador quem define o que a empresa irá oferecer. Além dos clientes, a empresa deve estar orientada para o mercado, considerando também a concorrência direta e indireta. Seu negócio deve ser enxergado de maneira genérica, sem o foco exclusivo no produto.

Dessa forma, enfatiza-se que a empresa necessita, basicamente, conhecer bem o seu ramo de atividade e desenvolver uma positiva relação entre cliente e produto. Toda empresa de sucesso desenvolve produtos e serviços de alta qualidade, fideliza os seus clientes pesquisando e analisando constantemente as necessidades e desejos de seu público-alvo.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.2 Kb)  
Continuar por mais 1 página »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com