TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ATPS Psicologia E Serviço Social

Pesquisas Acadêmicas: ATPS Psicologia E Serviço Social. Pesquise 787.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  13/5/2014  •  2.314 Palavras (10 Páginas)  •  353 Visualizações

Página 1 de 10

Problemáticas psicossociais.

Dentre as inúmeras Questões Sociais, presente na vivencia e atuação profissional do Assistente Social, é evidente e estridente a humilhação social, que engloba em um mesmo conceito a desigualdade social, invisibilidade e exclusão social, ao realizar o relatório acadêmico solicitado, foi iniciado utilizando-se de uma reportagem corriqueira podendo constatar o habitual desrespeito ao ser humano, devido o uniforme traja e cargo que ocupa, foi analisada a reportagem de um jornal da cidade de cabo verde, correio das ilhas.

Correio das Ilhas: Auxiliares de serviços gerais do Hospital de São Filipe queixam-se de discriminação em 08 de Julho 2013. www.asemena.publ.cv/spipphp.

Os auxiliares dos serviços gerais do Hospital de São Filipe dizem-se alvo de discriminação em termos de pagamento de salários e subsídio de turno.

Dois trabalhadores da classe, que preferem anonimato, procuraram o asemanaonline para exigirem publicamente a regularização dessa situação.

Estes trabalhadores consideram discriminatório o facto dos outros funcionários, nomeadamente os médicos e enfermeiros, receberem seus salários em períodos certos, “enquanto para nós não há uma data certa”. "Estamos sem receber o salário do mês de Junho, juntando mais de quatro meses de subsídio de turno em atraso e não é justo”, reclamam.

“Já contatamos variadíssimas vezes o administrador e o delegado do Hospital de São Filipe, mas nunca nos deram uma explicação que nos convençam", disseram. Outra situação que os preocupa é a não cobertura medicamentosa junto das farmácias, "mas fazem-nos os respectivos descontos de seguro todos os meses, e queremos uma explicação", exigem. Caso não esta situação não seja regularizada nos próximos dias, ameaçam sair às ruas para realizar uma marcha de protesto.

Este diário digital constatou o administrador do Hospital, António José Lopes, e confirma que realmente houve atraso no pagamento devido a um reajuste na mobilidade do pessoal e do próprio orçamento.

“Entretanto, devo dizer que já foi autorizado o pagamento dos mesmos e doravante não haverá atrasos no pagamento dos salários, nem dos subsídios de turno”, garante o administrador.

Neste contexto, podemos averiguar a ausência de qualquer suporte social, de um assistente social que deveria estar atuando dentro desse hospital, se esse profissional faz parte do quadro de funcionários porque não interviu nesta questão, e se não tem esse profissional no hospital, algo está errado, ou é ausência ou negligencia, pois é de cunho profissional do Assistente Social se abster dos casos que firam os direitos do cidadão.

Auxiliar de serviços gerais, todo individuo pela sua própria natureza visa participar ou ser participante de um grupo ou equipe, isto num todo equivale a dizer, que o ser humano tende a se agrupar, e quando estes objetivos não são alcançados gera uma sensação de exclusão, algumas profissões pela própria sociedade que em si é continuada não só pelo sentimento discriminatório que vem dos tempos da burguesia que é anexado ao capitalismo. A aparência, a classe social, a nível escolar determina na maioria das vezes este rotulo em alguns casos torna-se a determinação de um caráter.

Ao vestir o “uniforme” para este profissional rotula-o na sua identidade pessoal, assumindo como apenas mais um entre os uniformes. A reportagem: correio da ilha, datada de oito de junho de 2013, destaca: Auxiliares de Serviços Gerais do Hospital de São Felipe queixam-se de descriminação, na web pagina, www.asemena.publ.cv/spipphp.

Nesse caso em específico demonstra esse diferencial de tratamento, fica obvio a discriminação e a invisibilidade social destes profissionais, sendo que outros profissionais destacados como mais importantes, como enfermeiros, médicos e etc., recebem seus salários pontualmente em datas determinadas e em períodos certos, entre tanto os auxiliares e serviços gerais ficam mercê da sorte de interesses internos da empresa que desqualifica seus serviços, e esta mesma empresa trata os seus interesses sem o devido valor, fica questão: Os auxiliares de serviços gerais não teriam sua relevância? Porque o profissional pode aguardar, esperar sem questionar seus direitos ou voz ativa, como qualquer outro cidadão ativo profissionalmente.

A humilhação é alimentada pelos empregadores que se mostra sem um compromisso real com o empregado. Tratando-o como uma subclasse, o desfecho desse caso no hospital São Felipe, foi apelar para lei, onde os profissionais são acolhidos e aparamente dissolvida a situação desagradável. Humilhação Social é uma experiência presente na sociedade moderna, que se sabem os verdadeiros precedentes, que realmente leva o homem a julgar e desprezar o próximo pela sua aparência ou uniforme que esta trajando, o que leva a pensarmos que trabalho braçal é inferior ao intelectual a cultura disseminada pelo capitalismo.

Com surgimento do capitalismo no Brasil, durante a revolução industrial, obrigou os produtores rurais e artesanais que tinha seu próprio sustento a se submeterem a o sistema capitalista, onde foram divididas as classes de trabalho e da mesma forma classes sociais.

Entre as características da sociedade capitalista está a alienação do trabalho, onde o proletariado executam tarefas e produzem algo, sem que se escolha meios para tal fim, e no final da execução da atividade não se obtêm os resultados e sim os donos dos meios do capital. Afinal para o proletariado é apenas uma engrenagem de um grande processo, homens invisíveis e desconhecidos onde não importa a pessoa que é e sim sua força produtiva.

Baseando-se no artigo do psicologo social, José Gonçalves Filho – Humilhação Social, um problema político em psicologia. Podemos refletir sobre a problematica e os efeitos colaterais das humilhações sociais e restrições vividas pelos cidadãos vulneraveis ao sistema capitalista.

Gonçalves Filho, realizou entravistas com operarios de uma empresa da cidade de São Paulo, nessas entrevistas pode se observar as dimenções do sofrimento dos trabalhadores que

se sentiam rotulados pelos suas funções no trabalho e uniformes que usavam, humilhados por pessoas da mesma categoria social, porem que se comportam de forma superior devido a categoria operacional que ocupam e pela vestimenta que trajam. O impacto gerado pela humilhação social causam reflexos emocionais e psiquicos, que obriga a nação a viver uma condição desumana onde e intende que o homem é util pelo que faz, e é tratado com a mesma referencia profissional e o uniforme que usa.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (14.9 Kb)  
Continuar por mais 9 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com