TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

IMPERIALISMO NO SÉCULO XIX E SUAS CONSEQUÊNCIAS NOS DIAS ATUAIS

Por:   •  11/4/2016  •  Trabalho acadêmico  •  1.232 Palavras (5 Páginas)  •  186 Visualizações

Página 1 de 5

INTRODUÇÃO

Ao início do período colonial no século XV, países europeus muito ricos e desenvolvidos como os ingleses, espanhóis, portugueses e franceses, precisaram expandir seus mercados de exploração e comércio. Firmaram então seus tentáculos na América, que até então era pouco explorada e conhecida, por fim essas colônias lhes renderam grandes lucros. Passando então esse grande período de exploração de terras além mar, com a chegada do século XIX o mundo passava por grandes transformações políticas, econômicas e sociais. O rompimento do sistema colonial provocou o começo de uma nova era de disputa por colônias, afinal estávamos no auge da revolução industrial, superproduções exigiam grandes disposições de consumidores e matéria prima. Iniciando assim uma corrida por novas “colônias” em busca de tudo que precisavam, chegando o momento que a África e boa parte da Ásia foram dominadas a praticamente “gosto e sabor” dos principais países ricos e poderosos daquele momento. Pretendemos com o texto, trazer à tona as heranças desse período tão importante para a história mundial chamado imperialismo.

DESENVOLVIMENTO

Todo o processo do imperialismo não se deu da noite para o dia. Até o século XIX, o litoral do continente africano era o único lugar que tinha presença colonial européia. Ali naquela região havia um único tipo de negócio, o tráfico negreiro que marcou o início da economia mercantil, aí então os europeus entraram de vez no território africano, desmantelando comunidades de todas as formas. A primeira ocupação imperialista se deu quando os franceses ocuparam a Argélia e logo em seguida também ocuparam a Tunísia, afixando suas posses na África Ocidental Francesa e na África Equatorial Francesa, logo após, dominaram também Madagascar e o Marrocos. Após o início da corrida imperialista, a Inglaterra conquistou o Egito e o Sudão, havendo continuidade mais tarde com a conquista da Rodésia, Uganda, Zanzibar, Quênia, África Oriental Inglesa, Serra Leoa, Costa do Ouro, Nigéria, e Gâmbia. A Bélgica conquistou toda a bacia do Congo. Os Alemães conquistaram e formaram a África Oriental Alemã, que era composta por Ruanda-Burundi e Tangancia, também conquistaram Camarões, Togo e a Namíbia. Os Italianos conquistaram o litoral Líbio, a Eritréia e a Somália. Na Ásia o imperialismo também foi resultado da participação de vários países ricos, Macau na China, Damão, Goa e Diu na Índia e Timor na Indonésia eram controlados por Portugueses. Os Espanhóis controlaram as Filipinas e os Holandeses a região de Java e Sumatra. Os Ingleses conquistaram a Índia por inteiro através de conflitos contra os Franceses, logo após foram até a China, onde passaram a explorar o ópio, o que resultou nas chamadas Guerras do Ópio, obtendo a vitória, os ingleses passam a dominar interesses políticos e econômicos na região. A Rússia, Estados Unidos, França, Alemanha e Japão também tiveram interesses confirmados no território chinês. Os Franceses também conquistaram a Península da Indochina, no caso o sul do Vietnã. Também conquistaram o Camboja, Laos e todo o território Vietnamita em seqüência. Os Estados Unidos e a Alemanha tiveram forte ação na conquista de várias ilhas espalhadas pelo Oceano Pacífico.

Após entendermos o tamanho das conquistas imperialistas no planeta, fica claro que não são poucos os problemas causados mundo afora nos países que foram dominados. O que os defensores dessa “política expansionista” chamam de projeto civilizatório, acabou trazendo mudanças e problemas que estão vivos até hoje. Os países africanos e asiáticos são talvez os que sentem até hoje os efeitos mais latentes do imperialismo do século XIX. Os problemas vividos e sentidos na época em que ocorreu tal “política imperialista” são das mais variadas ordens sociais, econômicas e políticas para esses territórios dominados. Os países interessados em riquezas naturais e controle de mercado, não se importavam muito, ou talvez nada com as diferenças existentes dentro de cada região e micro-região, ignoraram muitas vezes toda a história e crença de um povo inteiro, fizeram muitas vezes agrupamentos de diferentes culturas e etnias nos mesmo território. A maior prova disso nos dias atuais são que após o fim desse período de imperialismo, tais regiões se mostram com muitos problemas religiosos entre a mesma nação, países inteiros são banhados de sangue através de conflitos civis. Outra herança amaldiçoada do período imperialista foi à extração descabida e megalomaníaca de riquezas naturais dos territórios dominados. Hoje estes países poderiam usufruir de uma melhor condição social e econômica, mas pelo contrário, são reféns de

...

Baixar como (para membros premium)  txt (8 Kb)   pdf (77.7 Kb)   docx (12.1 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com