TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

POR QUE A LITERATURA NO ENSINO MÉDIO?

Tese: POR QUE A LITERATURA NO ENSINO MÉDIO?. Pesquise 798.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  10/5/2013  •  Tese  •  1.778 Palavras (8 Páginas)  •  517 Visualizações

Página 1 de 8

INTRODUÇÃO

As orientações que se seguem têm sua justifi cativa no fato de que os PCN do ensino

médio, ao incorporarem no estudo da linguagem os conteúdos de Literatura,

passaram ao largo dos debates que o ensino de tal disciplina vem suscitando,

além de negar a ela a autonomia e a especifi cidade que lhe são devidas.

Ao ler este texto, muitos educadores poderão perguntar onde está a literatura, a

gramática, a produção do texto escrito, as normas. Os conteúdos tradicionais foram

incorporados por uma perspectiva maior, que é a linguagem, entendida como

espaço dialógico, em que os locutores se comunicam. (PCN, 2002, p. 144).

Embora concordemos com o fato de que a Literatura seja um modo discursivo

entre vários (o jornalístico, o científi co, o coloquial, etc.), o discurso literário

decorre, diferentemente dos outros, de um modo de construção que vai além

das elaborações lingüísticas usuais, porque de todos os modos discursivos é o

menos pragmático, o que menos visa a aplicações práticas. Uma de suas marcas

é sua condição limítrofe, que outros denominam transgressão, que garante ao

participante do jogo da leitura literária o exercício da liberdade, e que pode levar

a limites extremos as possibilidades da língua:

E nisso reside sua função maior no quadro do ensino médio: pensada (a literatura)

dessa forma, ela pode ser um grande agenciador do amadurecimento

sensível do aluno, proporcionando-lhe um convívio com um domínio cuja principal

característica é o exercício da liberdade. Daí, favorecer-lhe o desenvolvimento

de um comportamento mais crítico e menos preconceituoso diante do

mundo. (OSAKABE, 2004).

Na defesa, pois, da especifi cidade da Literatura, torna-se necessário agora

ratifi car a importância de sua presença no currículo do ensino médio (importân-

2 Capítulo

Linguagens, Códigos e

suas Tecnologias

CONHECIMENTOS

DE LITERATURA

50 ORIENTAÇÕES CURRICULARES PARA O ENSINO MÉDIO

cia que parece ter sido colocada em questão), assim como atualizar as discussões

que têm sido travadas desde os últimos PCN.

1 POR QUE A LITERATURA NO ENSINO MÉDIO?

Considerando a Literatura como aparece no Dicionário Aurélio em seu primeiro signifi

cado – “Arte de compor ou escrever trabalhos artísticos em prosa ou verso” –,

tomemos o depoimento de uma mãe de aluno para contribuir com nossa refl exão.

Instada pela professora a responder o que signifi cava arte para ela, respondeu:

Arte é aquele conhecimento mais da delicadeza, não é? Fazer fl orzinha miudinha

de papel, cinzeiro no Dia das Mães... Eu outro dia ganhei... [ri] É não?

[Olha, sonda um pouco minha expressão...] É? Diga que eu não sei e vou bestando...

Não sei dessas coisas não, meu negócio é mesmo o que o pessoal bota

o nome de prendas do lar. Bom, mas... Basta. Não sei bem como é a coisa de

escola... O que eu faço é trazer menino, apanhar menino... Reunião aqui é quase

nunca e quando tem, não vou. Vou lá ouvir reclamação que eu não dou conta!

Mas se a dona moça me pede assim, quer ouvir uma coisa qualquer da gente, eu

não me faço de rogada... Como é mesmo a pergunta? Ah! Quando eu ia dizendo

que arte é um trabalho assim mais maneiro, é que é assim mesmo. Pode até não

ser, mas parece. É aquele trabalho que não é a luta de todo dia. Tá certo que

tem uns que lutam com isso mas... Arte é um que-fazer assim que inventa uma

alegriazinha, a senhora compreende? Quer dizer, trabalho mesmo não é, que

trabalho é como uma dor. E escola também. Pros pobres é. A gente acostuma

porque é a vida e... vai indo, vai indo... Perdi. Ali, sim: arte eu não sei. Não é isso

das festas na escola? Acho que na escola não carece disso, não. Essa arte, não.

Os meninos precisam ir levando jeito p’ra agüentar o trabalho daqui de fora. Se

fi ca muito animado, aquela coisa frouxa, eles amolecem e... Aqui fora isso vinga,

não. (LINHARES, 2003, p. 99).

Evidenciam-se nesse depoimento as tentativas de precisar a defi nição de arte,

começando por sua identifi cação com a prática artesanal (fazer fl orzinha, cinzeiro),

por isso a arte é um trabalho, mas um trabalho diferente. Trata-se de um

trabalho “mais maneiro”, mais alegre. Detectada a diferença, reconsidera-se o

antes afi rmado: arte não chega a ser trabalho, já que não é a luta de todos os dias.

Arte é “delicadeza” que amolece o homem e não deve fazer parte do currículo da

escola porque “aqui fora” não vinga, ou seja, não logra sucesso.

CONHECIMENTOS DE LITERATURA 51

Com

...

Baixar como (para membros premium)  txt (12.5 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com