TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Análise do Filme Segunda Feira ao Sol

Por:   •  22/2/2016  •  Trabalho acadêmico  •  2.608 Palavras (11 Páginas)  •  3.151 Visualizações

Página 1 de 11

1 INTRODUÇÃO

O presente trabalho tratará da análise do filme Los Lunes Al Sol, ou Segunda-feira ao Sol, em uma tradução livre para o português. O filme espanhol com direção de Fernando León de Araona, também escrito por este em conjunto com Ignacio del Moral e produzido por Elías Quejereta e Jaume Roures, em seus cento e treze minutos de duração traz temáticas como o desemprego e os problemas de auto estima que este desencadeia, o sofrimento que o trabalho e a perda dele implicam. Com o intuito de relacionar e discorrer acerca destes temas o trabalho contará com o apoio de autores como Enriquez, Dejours e Bernal.

2 ANÁLISE

O filme Segunda-feira ao Sol, se passa em uma cidade costeira no norte da Espanhã, retrata a história de um grupo de homens que estão sendo vítimas de um desemprego de longa duração, após o fechamento do estaleiro em que trabalhavam devido a aquisição deste por investidores coreanos, com a intenção de construir no local um hotel turístico de luxo. A partir deste contexto estes homens saem em busca de uma nova forma de substância, se contentando muitas vezes com ocupações temporárias. Esta história foi o representante da Espanha ao Oscar 2003 de melhor filme estrangeiro e exibido na mostra Panorama, do Festival do Rio 2003, isso com um orçamento de US$ 4 milhões. O filme possui o elenco formado pelos atores: Bardem (Santa), Luis Tosar (José), José Angel Egido (Lino), Nieve de Medina (Ana), Enrique Villén (Reina), Celso Bugallo (Amador) Joaquin Climent (Rico), Aida Folch (Nata), Serge Riaboukine (Sergei), Laura Domínguez (Ángela), Pepo Oliva (Samuel), Fernando Tejero (Lázaro), Andrés Lima (Abogado).

 Os principais personagens são: Santa, José, Lino e Armador. Santa aparece na história como um homem conquistador e ex-líder sindical de sua categoria que não conseguiu encontrar outro emprego e que se sente injustiçado pela perda do seu. José trás o sofrimento de não ser mais o provedor da sua casa, diante do seu desemprego e a dificuldade de aceitar ser sustentado por sua mulher. Armador, um homem que também permanece desempregado e devido a isso vive em solidão, na trama acaba sendo abandonado por sua mulher e cometendo um possível suicídio. Já o personagem de Lino é construído ao decorrer da trama, sendo ele um homem que busca incansavelmente por um emprego, mas acaba se frustrando diante do preconceito com a sua idade e então vai perdendo sua autoestima e com isso a força de lutar para ingressar novamente no mercado de trabalho.

 Dentre os personagens que sofreram com a demissão em massa do estaleiro que aparecem no filme, os únicos com um novo emprego são Reina e Rico, o primeiro trabalha de segurança em um estádio de futebol e o outro a partir de um acordou feito com a empresa ganhou uma indenização e abriu um bar, sendo este o cenário principal do filme.  Outro papel que chama a atenção nesta história é o de Ana, mulher de José, que possui um trabalho e uma fábrica de linha de montagem enlatando atum, o qual desencadeia danos a sua saúde física e mental.

Observa-se então que o tema principal de Segunda-feira ao Sol é o trabalho, ou a falta dele. Afim de analisar e compreender as vivencias e enfrentamentos dos personagens deste filme, primeiramente é necessário entender o significado do trabalho na modernidade. 

Retornando a antiguidade clássica, berço de todo o conhecimento ocidental, encontra-se uma sociedade hedonista onde o trabalho era considerado algo sem valor praticado apenas por escravos. Caminhando pela história chega-se a Idade Média, onde o trabalho, apenas serviu era visto como uma obrigação por ser um castigo divino pelos pecados da humanidade. Com o declínio na Era Medieval e o aparecimento de cidades, juntamente com uma classe de comerciantes, que posteriormente se constituirá na Burguesia, houve a necessidade de um engrandecimento do trabalho, visto os interesses econômicos deste segmento, então com a reforma protestante o trabalho se transformou em algo nobre, pois somente com ele o homem poderia se tornar digno, e esse pensamento permaneceu até mesmo no pós Revolução Industrial.

[...] o conceito de trabalho, como logo veremos, surge com a modernidade, passando rapidamente a fazer parte dela. Surge, principalmente, a partir da conjunção destes três fenômenos fundamentais estreitamente relacionados entre si: no nível econômico, o capitalismo; no nível cultural, o iluminismo; e no nível político, a constituição e a hegemonia do Estado-Nação e a democracia burguesa. Sem levar em conta tudo isso, assim como o processo pelo qual esses três elementos foram formando a noção de trabalho e como essa foi sendo adquirida e internalizada pelos cidadãos, não seria inteligível a ideia de como o trabalho deixou de ser algo meramente instrumental e passou a ser o centro de nossas vidas. (BERNAL, p. 14. 2010)

...

Baixar como (para membros premium)  txt (16.3 Kb)   pdf (124.2 Kb)   docx (15.3 Kb)  
Continuar por mais 10 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com