TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

L. S. VYGOTSKY: LÍNGUA E CONSTRUÇÃO SOCIAL DA CONSCIÊNCIA

Por:   •  6/2/2019  •  Resenha  •  798 Palavras (4 Páginas)  •  7 Visualizações

Página 1 de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO

COLEGIADO DE PSICOLOGIA

DISCIPLINA: Tópicos em Linguística

PROFESSORA: Edilane Ferreira

ALUNO: Aldrin Matheus Furtado Jatobá

DATA: 30/03/2016

SOUZA, S. J. E. L. S. Vygotsky: linguagem e construção social da consciência, In Infância e linguagem – Bakhtin, Vygotsky e Benjamin. São Paulo : Papirus, 2003.

L. S. VYGOTSKY: LÍNGUA E CONSTRUÇÃO SOCIAL DA CONSCIÊNCIA

Vygotsky e a crítica à psicologia contemporânea

O texto inicia-se com uma descrição das principais críticas feitas por Vygotsky as correntes psicológicas contemporâneas para elaboração de sua teoria. Segundo o que foi exposto, Vygotsky conclui que as correntes naturalistas e idealistas estudam o pensamento e a linguagem sem ter em conta o processo sócio-histórico de seu desenvolvimento  e seu objetivo é o de acabar com a dicotomia dos estudos psicológicos, ciência natural X ciência mental, construindo uma nova psicologia fundamentado no materialismo histórico e dialético. (Pág. 124)

O signo como instrumento da consciência

Neste tópico, o conceito principal de Vygotsky é apontado, o conceito de mediação. Considerando que toda fenômeno tem sua história, história esta que é marcada por mudanças quantitativas e qualitativas, Vygotsky percebeu que o homem interagia com o meio e participava da história através do uso de instrumentos e de signos criados pela sociedade no decorrer da história humana. Essa mediação através dos instrumentos é fundamental para que o homem possa intervir na realidade. (Pág. 125)

Linguagem, consciência e ideologia

A importância da linguagem no desenvolvimento das estruturas psicológicas superiores é então pontuada. Para Vygotsky, a história e a cultura e todo conhecimento que provém delas é internalizado pelo homem através da linguagem. Ou seja, é  na interação com outros homens, utilizando-se de signos, que o sujeito internaliza o que foi apreendido e passa a construir suas próprias ideias. Nesse ponto, o texto traz um paralelo entre Vygotsky e Bakhtin, pois ambos dão valor fundamental à palavra como o modo mais puro da interação social. Para Vygotsky, a palavra é o signo que fará parte do pensamento e da verbalização da linguagem, é o que garante a mediação entre o homem e seu meio; já para Bakhtin, a palavra além de instrumento da consciência, é também a matéria fundamental para criação ideológica. (Págs. 125; 126).

As raízes genéticas do pensamento e da palavra

Segundo o texto, o objetivo principal de Vygotsky foi elabora uma compreensão da palavra e do pensamento como conceitos que se relacionam e interagem entre si, pois para ele o pensamento forma a linguagem e esta forma o pensamento. Essa relação é tida como um produto do desenvolvimento da consciência humana, com raízes genéticas distintas, mas que em determinado momento do desenvolvimento (aproximadamente aos dois anos de idade) se complementam e se modificam entre si. (Pág. 127).

O significado da palavra: unidade é transformação

De acordo com o pensamento vygotskyano, a criança nos primeiros meses de vida não consegue verbalizar o que se passa em sua mente, nem transformar a palavra em pensamento, significar o mundo à sua volta. Porém, depois chegará o momento em que este pensamento se tornará verbal e a fala racional. Para Vygotsky, a palavra e seu significado é o elemento básico do pensamento verbal:

“O significado de uma palavra representa um amálgama tão estreito do pensamento e da linguagem, que fica difícil dizer se se trata de um fenômeno da fala ou de um fenômeno do pensamento. (Vygotsky, 1987, p. 104).

...

Baixar como (para membros premium)  txt (5.2 Kb)   pdf (74.5 Kb)   docx (8.9 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com