TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Precisamos falar sobre kevin

Por:   •  21/3/2017  •  Resenha  •  2.301 Palavras (10 Páginas)  •  341 Visualizações

Página 1 de 10

Sinopse

O filme se inicia mostrando Eva na sua vida atual como uma mulher sozinha, desempregada, e uma grande marca de um passado sombrio por que não dizer terrível ou cruel? Ela tenta se "adaptar" a sua nova vida aos poucos, tentando sobreviver aos frequentes maus tratos por outras pessoas a sua volta. O fruto desse sofrimento e melancolia que existe na protagonista vai sendo mostrado no filme por meio de flashbacks. A partir disso você vai entendendo de que forma tudo aconteceu, a história com seu marido Franklin e seu filho Kevin desde o momento do seu nascimento até sua adolescência.

No começo quando Eva fica grávida você percebe a repulsa dela em relação a criança, ela não queria ter tido esse filho de fato.Depois que Kevin cresce a dificuldade de Eva cuidar dele aumenta cada vez mais. O filho sempre se mostrou "estranho" desde o começo, indiferente com a mãe apesar de ter uma boa relação com Franklin.  Seu pai se mostra totalmente alheio as "maldades" do seu filho para com a mãe, em muitas tentativas ela o tenta alertar com relação a isso, mas todo esforço é em vão e a situação ainda começa a piorar com o nascimento da segunda filha, que ao contrário de Kevin, era uma menina doce e tinha uma ótima relação com Eva.

De fato, os olhares, o silêncio que por muitas vezes são mostrados no filme tem bastante peso na história. Essa história termina com um terrível final, que amedronta os telespectadores o assassinato da Família de Kevin e de diversas pessoas do seu convívio escolar.

Cena 1

A primeira cena escolhida para o trabalho mostra a personagem Eva levando seu filho Kevin, ainda bebê, para passear no carrinho pela rua,afim de fazer com que ele parasse de chorar. O passeio ocorreu depois de várias tentativas frustradas dela de fazer acalmar a criança.

 A mãe ,que estava exausta pelo choro, não consegue fazer a criança se acalmar de nenhuma forma. A falta de afeto mostrada por ela, parece causar na criança certo nervosismo que agrava mais ainda o choro. Ela tentará, antes do passeio, acalma-lo erguendo ele no ar e o balançando, forçando em si expressões de sorriso, tentando distrair o filho para que ele se sentisse mais seguro e tranquilo. Porém em nenhum momento ela o põe no colo para nina-lo, ou faz um sorriso sincero. Sempre exausta e com uma expressão de desgaste pela situação, ela não sabia como conectar-se emocionalmente com o menino. Acabará que suas tentativas de acalma-lo pareciam piorar o estado emocional dos dois.  Essa falta de conexão é acentuada durante todo o filme, porém, nesta cena percebe-se a dificuldade de relacionamento entre uma mãe que pode ter sofrido de depressão pós-parto, e que por isso, não criava laços maternos profundos com o filho. Pode ser afirmado, então, o começo do processo em cadeia que levou o Kevin a crescer e se tornar um ser humano violento, apático e sem escrúpulos.

Ao decorrer do passeio o Kevin não parava de chorar. Eva estava cada vez mais exausta com a situação. Ela já evitava olhar para o filho birrento, e olha para as outras pessoas na rua como certo constrangimento pelo incomodo causado por ele. Então eles se deparam com uma obra civil, onde um operário utilizava uma britadeira barulhenta. O barulho por um instante cessou, ou pelo menos se sobrepôs, o choro do Kevin. Essa breve trégua deu a mãe um instante de alívio, como se a angustia se esvaísse pelo som da máquina. Apesar deste som ser aparentemente mais agressivo, ele a libertou do choro do filho, que lhe pesava como uma obrigação que não era capaz de suportar. Porém a alegria dura pouco e Kevin torna a chorar, e desta vez mais forte do que antes tirando Eva do seu alivio e a colocando no mundo real. Ela rapidamente observa os olhares alheios que estranhava a situação inusitada que viam. Então, a cena finaliza com os dois prosseguindo com o passeio atordoante. O filme não mostra o fim, apenas corta para a próxima cena, eles já em casa com os dois dormindo. Então, no fim, o cansaço conseguiu vencer os dois.

Cena 2

                Após descobrir que Kevin seu filho, é o responsável pelosassassinatos em sua escola, Eva dirigi sozinha de volta para sua casa, ao entrar em sua residência, se depara com a casa vazia, em total escuridão e em um profundo silencio. Da mesma maneira calma e imparcial, que ela se manteve em quase todo o filme, ela chama pelo seu marido Franklin, e por sua filha caçula Lucy, não obtendo resposta, acende a luz da entrada e chama novamente pelo marido e a filha, ao não obter respostas ela segue para sala, quando vê as portas para o jardim abertas. Ela então anda calmamente, seu rosto nos mostra certo espanto e desalento, enquanto segue rumo a porta, talvez por supor, saber, que algo mais estava por vir, podemos perceber conforme ela se aproxima, em suas feições, o medo e receio do que estava por vir, o que ela veria. Ela então passa pela porta, nesse momento percebemos certa aversão em seus gestos, se depara com a imagem de seu marido atingido por duas flechas, uma no braço e umas nas costas, e sua filha com uma flecha no meio das costas, os dois já falecidos, estirados no jardim. Ouve-se apenas o barulho dos regadores de água, desespero ou culpa é expelido por Eva, suas pupilas já dilatadas, sua respiração mais ofegante nos mostra talvez a culpa ou o choque que ela sente, diante desse massacre, acredita-se quea auto piedade toma conta de Eva, no filme não mostra ela se aproximando de seu marido e filha já mortos no jardim, mais sabemos que isso aconteceu, pois ela aparece molhada, e ensanguentada,

quando segue de maneira fria e imparcial, ela simplesmente se vira e volta para dentro, estado de choque, ela continua a caminhar calmamente e a contracena que acompanha esse momento, é a cena de seu filho andando também de forma calma e fria, assim como Eva, logo após realizar os ataques na escola, nesse momento os gritos de desespero dos familiares e estudantes é o único som que se escuta. Ela então se deita na cama, não expressa reação para chamar a polícia, ambulância ou pedir ajuda,ela de forma inesperada, se entregaao seu leito, e as emoções ali presentes são de sofrimento profundo, mágoa, desânimo, auto piedade, desamparo, e de desespero.

                Acredita-se que nesse momento ela percebe que Kevin não queria ferir o pai, a Irmã ou a sociedade, a única pessoa que ele queria ferir é ela mesma, o alvo das flechas de Kevin era Eva, e não as pessoas que morreram naquele dia. E é nesse momento, que ela se entrega, pois agora ela era a única responsável por aquele que assassinou aqueles inocentes, sem uma justificativa coerente. Em momento nenhum ela demonstra raiva, aversão ou repulsa pelo que seu filho fez, pelo contrario apesar de surpresa, demonstrauma certa compreensão, talvez pelo remorso aparente em suas feições, ou pelo arrependimento de ter ou não feito algo que pudesse mudar aquela situação.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (14.5 Kb)   pdf (118.6 Kb)   docx (14.8 Kb)  
Continuar por mais 9 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com