TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Curso de Psicologia

Por:   •  8/5/2019  •  Resenha  •  4.407 Palavras (18 Páginas)  •  18 Visualizações

Página 1 de 18

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Curso de Psicologia

Acadêmica: Vanessa A. Montenegro Martinez.                   Data: 01/05/2019.

Professora: Isabella Fernandes Ferreira.   

 

Introdução

No século 16 as três correntes sociólogas que estabeleceram uma forte base para mudanças sociais foram o empirismo, racionalismo e iluminismo, porem antes de tal, é de conhecimento que as relações sociais  sempre existiram, porem a sociologia dita no século 19 pode se erguer em cima do acontecimento  estava acontecendo em  data, a Europa chegou a modernidade  que consequentemente veio o caos, que por ordem a sociologia teve sua forte influencia. A partir dai podemos citar vários acontecimentos que a sociologia pôde ajudar a dar um olhar mais afundo já que tais enormes transformações não são tão visíveis, poderíamos citar a partir disto, a revolução industrial, dando voltas em cima dessa transformação que veio a partir do capitalismo que colocou a produção que foi um dos altos da Europa ocidental possuindo assim uma evolução em ritmos diferentes em cada parte. A revolução trouxe consequências muito drásticas e ao mesmo tempo não visíveis para muitos, a mão de obra artesanal foi rapidamente deixada de lado pela produção massivas das maquinas,, e aos poucos os artesoes iam deixando seus campos para ir trabalhar nas cidades que começaram a ter uma aglomeração de pessoas, porem ainda se via uma tal liberdade nas cidades, pois a vida seria “melhor”, a partir disso os grandes donos das fabricas começaram a contratar cada vez mais pessoas com salários cada vez menores, que por consequência gerou fome, pobreza, entre outras situações não favoráveis para a classe proletariado. Como as cidades havia certa lotação de pessoas vinda do campo, já é de se imaginar que haveria  um efeito não muito agradável para a sociedade como por exemplo falta de saneamento básico, a agua suja que corria pelas casas e um acumulo muito grande de lixo, tudo isso ocasionava uma forma viável de surgir doenças e como a maioria das pessoas viviam de tal forma precária começaram a adquirir tais doenças, para se ter uma ideia de como o proletariado era tratado de forma absolutamente ruim, os banhos não eram de fácil acesso, apenas os libertinos e a nobreza tomavam banhos diariamente, a população era submetida a banhos apenas quando havia alguma ordem medica. Com esses fatos a taxa de mortalidade ia cada vez crescendo mais, foi apenas quando a revolução industrial chegou com forca na Inglaterra que as coisas começaram a “melhorar”, pois a agrícola cresceu e teve um forte crescimento em alimentos, em data no século 18, então teve uma pequena redução da taxa de mortalidade já que nem todas as pessoas q foram para as cidades trabalhavam, havia ainda assim um grande numero de mendigos e ladroes nas ruas, e as que trabalhavam não eram bem pagas, se trabalhava muitas horas para se ganhar pouco dinheiro ou quase nada. A condição dos trabalhadores sendo vista com olhos atuais eram assustadoras, sem alguma segurança no trabalho, crianças, mulheres e homens se submetiam a situações com riscos de morte, foi apenas em 1833 que as crianças tinham adquirido o direito de trabalhar em media 10 horas da idade de 9 a 13, pois elas tinham o dever de comparecer nas escolas,  tendo assim tendo o turno noturno reservado apenas para elas. A partir do que foi dito ate aqui já podemos imaginar que o salario não era o melhor muito menos o suficiente já que os aprendizes ganhavam ainda a metade paga pelos  operários e das mulheres eram um quarto e das crianças o  menor possível. A luta pelo reconhecimento do proletariado foi difícil, mas em ritmo lento conquistava-se os diretos  dos trabalhadores em vários países. Em  resultado disso as relações familiares tomaram um rumo diferente também, tanto em sexo, idade tanto nas relações sócias quanto jurídicas. E em questão de avanços, houveram vários controles como o controle de propriedades por parte das mulheres, a autonomia dos filhos, houve vários fatores de revolução social que tem grandes significados.

Não muito notável as relações afetivas também  foram com o tempo modificando, nas camadas existentes medievais que o casamento arranjado em busca de posses agora passavam a se tornar cada vez menos, agora cada vez mais estruturas como casamento a partir de um casamento era bem visto  e a estrutura de uma família passava a ser melhor com as relações, foi assim cada vez mais reconhecida a criança e o adolescente, cada vez mais foi passado a se dar mais importâncias para as pessoas em suas idades como por exemplo uma criança ganhava brinquedos e outros mimos, ganhando um pouco mais de reconhecimento familiar, porem os fatos de tempos passados ainda estavam enraizados e pouco despercebido entre as pessoas já que ainda havia a pratica do infanticídios e fora a relação de alguns pais com seus filhos ate atingirem uma certa idade que ultrapassasse a esperança de sobreviver, crianças ainda eram abandonadas por pais que não tinham condições de dar uma vida a elas. Os lugares onde podemos reconhecer um laço familiar grande que pode se reconhecer ate hoje, apenas nas casas burguês da Inglaterra. Como essa, houve outras mudanças que a revolução industrial nos mostra como a tecnologia nos faz avançar no tempo, a sociedade passou a perceber que depender a tecnologia imposta pela evolução trazia questões positivas, porem a sociedade em um todo passou a ser modificada com também as relações climáticas que ajudavam um tanto. Com isso a sociedade passou a ter novos valores morais tornando a dar mais importância ao estudo da sociedade por meio de teorias sócias.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (26.7 Kb)   pdf (135 Kb)   docx (16.8 Kb)  
Continuar por mais 17 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com