TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

PROPAGAÇÃO DE INFECÇÕES ODONTOGÊNICAS, VIA SECUNDÁRIA

Por:   •  2/6/2017  •  Trabalho acadêmico  •  2.170 Palavras (9 Páginas)  •  1.438 Visualizações

Página 1 de 9

GENERALIDADES:

As infeccções odontogênicas podem se propagar de quatro formas: 

Por continuidade - se estabelece a medida que os tecidos adjacentes ao foco infeccioso são atingidos. Por exemplo, a infecção se origina no dente, invade o tecido ósseo adjacente perfura uma cortical e se propaga pelo tecido conjuntivo frouxo.

Via linfática - ocorre por meio dos capilares linfáticos envolvidos no trajeto da drenagem linfática. Seu tamanho aumenta e se tornam palpáveis e doloridos.

Via sanguínea - acontece através da corrente sanguínea, principalmente pelo sangue venoso.

Ao longo de bainhas nervosas - pouco frequente, quando ocorre alcança regiões distantes ao longo do seu trajeto.

ORIGEM DAS INFECÇÕES ODONTOGENICAS

Os processos infecciosos possuem duas origens principais: a partir dos tecidos periapicais, resultante de uma necrose pulpar com consequente invasão bacteriana nessa área; e a partir dos tecidos periodontais, como resultado de uma bolsa periodontal, na qual as bactérias invadem os tecidos adjacentes.Quando o processo atinge a região periapical ele tende a se espalhar para todos os lados procurando as regiões de menos resistência. O processo irá se espalhar pelo osso esponjoso da mandíbula e da maxila até encontrar uma cortical óssea. A partir daí a infecção tentará invadir essa cortical, espalhando-se pelos tecidos mais adjacentes. Dois fatores anatômicos determinantes que devem ser levados em consideração em relação à localização inicial das infecções odontogênicas, são: a espessura óssea em torno dos ápices radiculares e a relação do local de perfuração óssea com as inserções musculares na maxila e na mandíbula. Deve-se ter em mente a localização do ápice radicular no sentido vestíbulo-lingual, observando de qual tábua óssea esse se aproxima.

LOCALIZAÇÃO DOS ABCESSOS INICIAIS

Maxila: Infecções geradas em dentes SUPERIORES apresentam abcessos VESTIBULARES. EXCESSÕES = Os INCISIVOS LATERAIS apresentam raiz inclinada para o PALATO, a raiz LINGUAL dos 1° PRÉ -MOLAR.

Inserções musculares  

1)INCISIVOS se relacionam VESTIBULARMENTE com o M. ORBICULAR DA BOCA, com ápices abaixo deste.

2) CANINOS se relacionam VESTIBULARMENTE com o M.LEVANTADOR DO ÂNGULO DA BOCA, com ápices acima ou abaixo deste músculo, CASO A RAIZ SEJA LONGA ele se localiza acima do M. o que pode provocar infecções no ESPAÇO CANINO.

3) PRÉ MOLARES E MOLARES se relacionam com o M.BUCINADOR, com ápices, geralmente, abaixo deste músculo. MAS os MOLARES podem romper a parede vestibular acima do M. causando infecção do ESPAÇO BUCAL.

Mandíbula

Abcessos originados dos INCISIVOS, CANINOS E PRÉ- MOLARES em geral drenam para a PAREDE VESTIBULAR.  Na região dos MOLARES as infecções perfuram a PAREDE LIGUAL.

O PRIMEIRO E O SEGUNDO MOLAR podem drenar na VESTIBULAR e na LINGUAL, mas geralmente drenam para a lingual, e o TERCEIRO MOLAR quase sempre drena para a LINGUAL. O M. MILO-HIÓIDEO determinará a localização dos abcessos linguais. Em drenagens acima do M., os abcessos seguirão ao ESPAÇO SUBLINGUAL mas se for abaixo os abcessos seguirão para o ESPAÇO SUBMANDIBULAR.  Devido a linha MILO-HIÓIDEA, à medida que se caminha para a DISTAL aumentam as chances do ESPAÇO SUBMANDIBULAR ser afetado.

Infecções dos Espaços Fasciais

Grande parte das infecções odontogênicas são de pequeno porte sendo localizadas principalmente no vestíbulo bucal ou em áreas previsíveis e quando não são tratadas de modo adequado, elas tendem a progredir e se espalhar para os tecidos adjacentes ocasionando doenças mais graves.  E uma via de propagação é através da invasão dos espaços fasciais e estes espaços possuem características comuns:

São áreas bem delimitadas por fáscias e músculos;

Os espaços fasciais no indivíduo são virtuais, ou seja, são preenchidos por tecido conjuntivo frouxo, tecido adiposo, ou por estruturas neurovasculares, e devido principalmente a ser preenchido por tecido conjuntivo frouxo, acarreta em uma baixa capacidade de defesa, além de os espaços serem mal-irrigados. Quando há infecções, as fáscias que delimitam estes espaços podem ser perfuradas e irão espalhar-se pelo espaço fascial, preenchendo-o.

Espaços Fasciais Secundários

Localizam-se posteriormente em relação à maxila e à mandíbula e mantém íntimo contato com os espaços fasciais primários onde, se ocorrer uma infecção não tratada, pode acarretar em uma infecção nos espaços secundários, que são mais severas e perigosas.
Pergunta: Explique o motivo das infecções nos espaços secundários serem mais perigosas.

Espaço Massetérico

Limitado medialmente pelo ramo da mandíbula e lateralmente pelo músculo masséter.
É atingido por infecções originadas do espaço bucal e tem como sinais clínicos um leve inchaço em torno do ângulo da mandíbula e trismo.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (15.5 Kb)   pdf (165 Kb)   docx (19 Kb)  
Continuar por mais 8 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com