TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ESTUDO SOBRE VARIAÇÃO DA BASE QUÍMICA DO ADITIVO PLASTIFICANTE NO CONCRETO AUTO ADENSÁVEL

Por:   •  11/2/2019  •  Artigo  •  1.886 Palavras (8 Páginas)  •  9 Visualizações

Página 1 de 8

ESTUDO SOBRE VARIAÇÃO DA BASE QUÍMICA DO ADITIVO PLASTIFICANTE NO CONCRETO AUTO ADENSÁVEL

Roberta Diel [1]

Eduardo Roberto Batiston [2]

[1] Acadêmica do Curso de Engenharia Civil, Universidade Comunitária Regional de Chapecó, e-mail: robertadiel@unochapeco.edu.br.

[2] Doutor em Engenharia Civil, Universidade Comunitária Regional de Chapecó, e-mail: erbatiston@unochapeco.edu.br.

RESUMO

O concreto auto adensável vem sendo um grande aliado para a construção civil, principalmente por possuir características únicas como sua capacidade de executar formas complexas, diminuir o número de trabalhadores, entre outros. Para que um concreto convencional se torne um concreto auto adensável é necessário o uso de aditivos, sendo que estes estão presentes no mercado em diversas marcas e características. A base química do aditivo tem grande influência nos resultados do concreto, como o tempo de pega e resistência a compressão. Para este estudo foram avaliadas as características do concreto auto adensável quando utilizado aditivo plastificante de base química lignosulfonato e naftaleno e aditivo superplastificante de base química policarboxilato. Para a avaliação das características reológicas do concreto foram realizados os ensaios de espalhamento, caixa L e funil V, comparando os resultados experimentais com os valores disponíveis na literatura. Além disso, corpos de prova foram moldados para avaliar a resistência à compressão do concreto em diferentes idades no estado endurecido. Os resultados obtidos mostram o aditivo superplastificante de base química policarboxilato como o mais eficiente, sendo que este apresentou em todas as etapas boa fluidez e coesão, homogeneidade e em nenhum momento apresentou segregação. Os resultados no ensaio de compressão também se mostraram superiores quando comparados aos concretos com utilização dos aditivos lignosulfonato e naftaleno.

Palavras-chave: Concreto auto adensável. Aditivo. Base química.

1 INTRODUÇÃO

Já há algum tempo vêm-se estudando a possibilidade de criar novos tipos de misturas que melhorem o desempenho do concreto. Essa preocupação surgiu através da verificação de que o concreto convencional possui algumas deficiências e em alguns casos não consegue atender o que lhe é solicitado.

Nesse contexto surge o concreto auto adensável (CAA), que é capaz de preencher as formas e passar por obstáculos apenas com a ação do seu peso próprio, não necessitando de nenhum meio de adensamento.

Entre as principais vantagens encontradas quando se faz o uso do CAA está a economia pela ausência de vibração, melhor trabalhabilidade do concreto, redução do número de trabalhadores na etapa de concretagem e a possibilidade de deixar o ambiente de trabalho mais tranquilo devido a ausência de ruídos ocasionados  pelos equipamentos de adensamento.

Os materiais utilizados para a produção do CAA podem ser os mesmos utilizados para a produção de concretos convencionais, apenas utilizando maior quantidade de finos e também aditivos plastificantes e superplastificantes, proporcionando maior facilidade de bombeamento, homogeneidade, resistência e durabilidade.

Definir o tipo de aditivo e conhecer sua base química altera e explica diretamente os resultados finais do concreto. As bases químicas encontradas nos aditivos plastificantes e superplastificantes são os lignossulfanatos, melanina, naftaleno e policarboxilato.

O que deve ser observado com cautela no uso de aditivos é a dosagem utilizada, sendo esta uma relação entre aditivo e cimento. Essa relação ocorre pois o sucesso do uso do aditivo está diretamente ligado ao tipo de cimento utilizado na mistura, pois podem ocorrer incompatibilidades. A quantidade ideal de aditivo pode ser observada em testes laboratoriais, sendo observado o momento em que a mistura não apresenta melhora na fluidez, conhecido como o ponto de saturação. A partir desse ponto o concreto pode apresentar segregação ou exsudação além de um tempo excessivo para efetuar a pega.

2 MATERIAIS E MÉTODOS

Antes de produzir o concreto realizou-se a caracterização dos materiais, gerando a curva granulométrica do agregado miúdo e graúdo, valores de massa específica, massa unitária e material pulverulento.

Os concretos foram avaliados no estado fresco através dos ensaios de espalhamento, caixa L e funil V conforme NBR 15823 (ABNT, 2010). Para avaliar a resistência a compressão foram moldados 09 corpos de prova para cada traço e os mesmos rompidos em 07, 21 e 28 dias, sendo rompido 03 corpos de prova em cada idade. Todos os ensaios foram realizados no Laboratório de Tecnologia do Concreto da UNOCHAPECO.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (12.8 Kb)   pdf (445.8 Kb)   docx (329 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com