TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ANÁLISE CONTEMPOR NEA BASEADA NOS PRINCÍPIOS CLÁSSICOS DA ADMINISTRAÇÃO EM UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO VEICULAR

Por:   •  14/11/2018  •  Pesquisas Acadêmicas  •  684 Palavras (3 Páginas)  •  239 Visualizações

Página 1 de 3

ANÁLISE CONTEMPORÂNEA BASEADA NOS PRINCÍPIOS CLÁSSICOS DA ADMINISTRAÇÃO EM UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO VEICULAR

Kelson de Sousa Leal

Maria Lorena do Socorro Nascimento Araujo

Weverton Henrique Sinésio Rodrigues

Para aplicação das teorias clássicas da administração, foi escolhida uma empresa de rastreamento veicular com atuação em Teresina. Quanto aos princípios gerais da administração formulado por Fayol, foi identificado que:

  1. Quanto a divisão do trabalho: a empresa procurar separar os funcionários para cada função específica. Os instaladores do rastreador e sua manutenção são realizados por um grupo de pessoas; a parte de monitoramento é realizado por outras, as quais recebem treinamento do sistema utilizado pela empresa para prestar o serviço da melhor forma possível; a parte administrativa é que deixa a desejar, pois o dono da empresa é responsável pelos pagamentos, enquanto outra fica responsável pelo Marketing, monitoramento e marcação das instalações dos rastreadores, sempre a depender da ordem do patrão e da necessidade, pois a empresa não trabalha com contingente de pessoal o que ocasiona momentos de sobrecarga e baixa eficiência das funções. Acrescentaríamos na empresa uma gestão especializada para melhorar a parte administrativa.
  2. Quanto a autoridade e responsabilidade: as ordens em geral são dadas pelo dono juntamente com sua esposa a qual, na maioria das vezes, é obedecida a risca pelos funcionários. Mas em outras, principalmente quando ele ausenta-se, os funcionários fazem da forma que querem e quando querem. Adicionaríamos uma supervisão funcional e reuniões motivacionais.
  3. Disciplina: foi percebido que as ordens dadas são cumpridas, mas com ressalvas. São obedecidas quando o dono está presente, mas quando se ausenta, as ordens muitas vezes não são totalmente realizadas pelos funcionários; os colaboradores se tratam com respeito, mas quando uma pessoa começa a se destacar mais que as outras começam as “panelinhas” e deixam de repassar informações sobre a empresa com o intuito de prejudicar. Acrescentaríamos treinamento ao pessoal.
  4. Unidade de comando: infelizmente não é única. As ordens ficam sendo dadas pelo casal (donos) da empresa, e quando ambos estão com problemas conjugais, isso acaba afetando as ordens dadas, pois um fica passando a responsabilidade ao outro e um problema que poderia ser rapidamente resolvido, não é feito. Sem mencionar a dualidade de informações e comandos que são dados nessas situações.
  5. Unidade de direção: indiretamente e pela convivência isso acaba ocorrendo. Mas o proprietário não se preocupa em traçar planos e normas para a realização de cada função, pelo fato de já estar satisfeito com o que a empresa consegue produzir, pois consegue pagar seus funcionários e viver de forma confortável. Somaríamos planos e estratégias para um melhor funcionamento.
  6. Foi identificado que os interesses coletivos prevalecem sobre os individuais, pois se assim não fosse, a empresa apresentaria prejuízos financeiros o que impactaria no bem estar de seus donos.
  7. Centralização: o poder de comando é mantido no topo da organização com a figura dos donos.
  8. Remuneração de pessoal: este tópico já se torna mais subjetivo nesta empresa, pois o patrão determina um valor que vai pagar aos funcionários para realizar uma determinada função, mas que com o tempo, os funcionários passam a realizar várias funções e no final do mês não ocorre essa compensação. Definiríamos um salário padrão justo baseado nas funções, com bonificações.
  9. Ordem: como mencionado anteriormente, a ordem humana não é mantida, pois ocorre mutabilidade de funções, já quanto ao material, é mais fácil de se padronizar e organizar. Ordenaríamos os funcionários em funções específicas.
  10. Quanto ao aspecto lealdade, equidade: percebe-se que pelo fato de não possuir uma função para gerir os conflitos internos, os funcionários acabam não sendo comprometidos com seu emprego. O dono da empresa teria que exercer uma liderança exemplar para motivar seus colaboradores e traçar planos estratégicos com o intuito de acabar com estes conflitos.
  11. Estabilidade e duração de pessoal: percebemos que tem baixa rotatividade de pessoal, o que proporciona menos gasto com treinamento a futuros empregados e menos gasto com pagamento de rescisões contratuais.
  12. Espírito de equipe: baseado no exposto acima, é complicado falarmos que essa empresa possui união e harmonia. Criaríamos programas de motivação dos colaboradores, benefícios, recompensas e reconhecimento para proporcionar um clima harmonioso e de união aos funcionários da empresa.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (4.7 Kb)   pdf (45.3 Kb)   docx (12.7 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com