TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

O Processo - Franz Kafka

Por:   •  29/8/2019  •  Resenha  •  776 Palavras (4 Páginas)  •  130 Visualizações

Página 1 de 4

FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ

 

LUIZ CARLOS CRUZ MOREIRA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O PROCESSO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Araucária 2019

O PROCESSO

  1. Detenção – Conversa com a Senhora Grubach em seguida com a senhorita Burstner

Joseph K é preso sem saber qual a razão, no dia do seu 30º aniversário, ao acordar deparasse com dois vigias que não lhe dão qualquer informação sobre sua detenção, sendo que o mesmo não sabe que crime cometeu, esses guardas pedem para que ele apenas aguarde que mais adiante irá falar com seu inspetor. Senhor K, sem entender direito a situação continua a aguardar, até que esses vigias o obrigam a vestisse de “maneira apropriada pra a conversar com o Inspetor. K, imagina que a situação não passa de uma brincadeira que fora preparada por seus colegas do “banco”.

O inspetor se esforça muito para que o anúncio da prisão de Joseph K. seja oficial ao reorganizar um quarto para que este se pareça com um tribunal, o quarto da senhorita Burstner, entretanto K é novamente surpreendido com as considerações do Inspetor que não revela do que esta sendo acusado, apenas que ele está detido. K não observa que no tribunal forjado há 3 funcionários de baixo escalão do banco que podem ter sido colocados lá pra denegrir a sua imagem perante aos demais funcionários do banco, após uma breve “audiência” K é informado que, apesar de detido, deve continuar suas atividades no banco normalmente e não deve se atrasar no comprimento de suas obrigações.

No retorno do dia de trabalho o personagem principal aborda a senhora Grubach sobre o fato ocorrido pela no teatro e que neste caso pode demorar muito, neste episódio a senhora faz algumas comentários ofensivos sobre a senhorita, comentários esses que são rapidamente rebatidos por K, que não aceita que a senhora Grubach difame a mesma, ele se desculpa sobre a situação e K fica no aguardo da Senhorita Burstner que chega a pensão tarde, e, mesmo assim aceita conversar com ele, o mesmo tenta explicar sobre ocorrido naquela manhã e confessa que o quarto dela fora utilizado como um tribunal, somente neste momento ele percebe que suas coisas realmente foram “mexidas” no sequência dos fatos eles são interrompidos por batidas na porta vindas de outro quarto que são podem ter sido feitas pelo sobrinho da senhora Grusbach, um capitão que se hospedará no quarto ao lado, K é convidado a se retirar do quarto da senhorita, mas somente depois de agarrá-la e beijar sua boca, logo a segue para seu quarto para dormir.

  1.  Primeiro Inquérito

Após ser informado sobre uma audiência a ser realizada no próximo domingo, K deixa de aceitar um convite da chefia do banco, ele optou por ir a audiência com a esperança que conseguisse resolver rapidamente e que nesta ele pudesse descobrir do que estava sendo acusado.

Foi-lhe dado o número da casa onde teria de se dirigir e que ficava numa rua afastada dos subúrbios, onde de jamais tinha estado. Chegando lá se defrontou com diversas residências e com um volume grande de pessoas e, principalmente crianças, resolveu que, para evitar suspeitas, procuraria por um “carpinteiro chamado Lanz”, desta maneira iniciou sua procura pelas ruelas e escadarias, após diversas tentativas, já quase desistindo sentiu-se indignado e que aqueles acusadores não tinham o mínimo de respeito por sua posição social, quando já estava por desistir bate na porta de uma moça morena que lhe orienta a entrar numa sala, ele reluta mais acaba aceitando, chegando lá percebe que existem diversas pessoas, aparentemente separadas em dois grupos, é abordado pelo “Juiz que comandaria o inquérito” o qual chama sua atenção pelo atraso de uma hora e cinco minutos, e diz que abrirá uma exceção para ouvi-lo, K sente que um dos grupos está a seu favor, a partir dos comentários feitos na sua argumentação, isso ocorre após o juiz perguntar-lhe se é um pintor, neste momento K utiliza-se de sua arrogância e começa a colocar todo o processo em check, e argumentando que pra que aquilo seja considerado um processo ele precisa que seja reconhecido pela parte, após isso ele começa a criticar severamente o tribunal com acusações aos dois guardas e ao inspetor acusando de pedir suborno e até mesmo possibilidade de roubo de suas coisas. No final o Juiz o alertou que sua atitude o privou da vantagem que um interrogatório pode representar ao detido em todas as causas. Após abriu a porta e retornou.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (4.6 Kb)   pdf (74.5 Kb)   docx (232.2 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com