TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resenha Crítica de Direito Processual Penal

Por:   •  7/10/2021  •  Resenha  •  405 Palavras (2 Páginas)  •  18 Visualizações

Página 1 de 2

Resenha Crítica de Direito Processual Penal

O reconhecimento fotográfico é um sistema importante para o processo penal brasileiro, e respectivamente contribui de forma significativa para a investigação criminal. No entanto, o reconhecimento de pessoas podem ser uma problemática quando utilizada de forma errada, podendo causar danos e injustiças quando usada como único mecanismo probatório no processo.

O reconhecimento de pessoas está prescrito no artigo 226 do código processual penal brasileiro, sendo então um mecanismo importante para a investigação criminal, porém jamais pode ser usado como meio de prova, segundo o STJ, ainda que confirmado em juízo. Porém, sabe-se que como apresentado no documentário essa decisão não é respeitada e muitas pessoas são condenadas injustamente devido a prova fotográfica e a falta de perícia criminal.

Outrossim, o reconhecimento facial trata-se de uma técnica de identificação biométrica, na qual tem o objetivo de identificar um determinado sujeito com mais precisão e rapidez. Esses dados são disponibilizados em um banco de dados que contém mais de 50,2 milhões de brasileiros, conforme mencionado pela Polícia Federal. Dessa forma, é feita uma análise do perfil do sujeito com base em certas características, sendo elas: o contorno do rosto, cicatrizes, distância entre olhos e nariz, etc. No Brasil essa tecnologia é implementada em vinte estados. Sendo que três estados estudam a possibilidade de aplicá-lo, e os quatros demais não utilizam e nem planejam utilizá-lo.

No entanto, há críticas sobre a eficácia do reconhecimento facial, pois não possui 100% de eficácia, tendo a possibilidade de ocorrer falhas e gerar consequências gravíssimas. Tendo em vista isso, a população negra é a mais acometida a sofrer com as falhas do reconhecimento facial. Pois, conforme pesquisas feitas por meio do projeto Gender Shades, desenvolvido pelas pesquisadoras em inteligência artificial Joy Buolamwini e Timnit Gebru, foi observado que a maioria dos sistemas foram testados em pessoas brancas, por sua vez dificultando a eficácia para as demais raças existentes.

Diante disso, é óbvio e mais do que certa a problemática na vida desses injustiçados, no qual ficam com a ficha suja, dificultando a vida pessoal, principalmente ao tentarem ingressar no mercado de trabalho. Além disso, como mostrado na reportagem, muitos injustiçados voltam a serem réus em outros processos devido ao chamado “livro de reconhecimento”, em que ficam gravados imagens fotográficas de pessoas que por algum motivo foram ré, e assim sendo utilizadas para reconhecimentos de possíveis criminosos, por tanto sem levar em consideração os indivíduos inocentes presentes no então livro.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (2.7 Kb)   pdf (38.1 Kb)   docx (7.8 Kb)  
Continuar por mais 1 página »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com