TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Terceira Margem Do Rio ( Resumo )

Trabalho Universitário: A Terceira Margem Do Rio ( Resumo ). Pesquise 794.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  19/6/2013  •  339 Palavras (2 Páginas)  •  2.063 Visualizações

Página 1 de 2

# A terceira margem do rio: ( Guimarães rosa)

A narrativa retrata a história de um pai que tem um casal de filhos e uma esposa,que vivem no sertão a beira de um rio. No inicio do conto, este homem se separa de sua esposa, abandona sua família e parte para o rio sobre uma canoa, sem nenhum motivo aparente, como uma tentativa de se retirar da vida social e exilar-se do mundo.

O conto é narrado por um narrador-personagem, cujo é representado pelo filho. Este filho relata todas as suas tentativas e de seus familiares em se comunicar com o pai, que permanece sem nenhum contato.

A família desiste do pai, procura esquecê-lo e seguir a vida naturalmente. A mãe, entregue ao sofrimento, se muda para outro local e a filha, casa-se e sai de casa. Somente o filho persiste em continuar naquela casa, disposto a ajudar o solitário remador, ainda com esperança de poder revê-lo.

No decorrer do tempo e da vida, aquele jovem, agora havia crescido. Com muitas tentativas fracassadas de entender, conversar e ter seu pai novamente, o narrador desesperado e melancólico se oferece para ficar no lugar do remador. Onde na verdade não havia mais ninguém. Só restara ele, sozinho naquele local. Pressupõe-se que o pai havia morrido, pois após tanto tempo, sem nenhum sinal de vida.

É neste período que encontramos o ápice da narrativa. O filho se depara com a beira do delírio. Este faz com que ele precise conscientizar-se do que é verdade ou ilusório. Na tentativa de entender, finalmente enxerga todo o tempo que perdera, na tentativa de ver o pai, esperando por algo inexistente.

Então, arruinado e adoecido, o “garoto” só pediu que tivesse o mesmo destino que o pai: “... me depositem também em uma canoinha de nada, nessa água que não a para, de longas beiras: e, eu, rio abaixo, rio afora, rio adentro ...”

...

Baixar como (para membros premium)  txt (1.8 Kb)  
Continuar por mais 1 página »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com