TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Sistema Toyota De Produção

Por:   •  26/5/2014  •  905 Palavras (4 Páginas)  •  289 Visualizações

Página 1 de 4

INTRODUÇÃO

Durante o passar dos anos ocorreram inúmeras mudanças nas áreas do setor produtivo, no qual representaram uma quebra de paradigmas mundiais no plano social, econômico, técnico e organizacional, tornando significativa a adoção de novos padrões de produção e marcando fortes transformações com alterações nas formas de atuação e integração entre os meios produtivos.

A fim de sobreviver nestes cenários, que trazem elevadas pressões competitivas, as empresas estão tentando se tornar “enxutas” eliminando os desperdícios e flexibilizando os seus meios de produção e de serviços.

Para isto, muitos meios industriais vêem adotando os conceitos trazidos pelo Sistema Toyota de Produção, pois este busca redução de gastos, agilidade no processo e redução de tempo na fabricação do produto.

Entretanto, faz-se necessária a compreensão de seus princípios para poder aplicá-los corretamente, pois copiá-los em técnicas superficiais poderia resultar num fracasso.

DESENVOLVIMENTO

O Sistema Toyota de Produção

O novo sistema de produção que se revelou no Japão foi denominado Sistema Toyota de Produção, ou toyotismo por ter sido primeiramente desenvolvido nas indústrias Toyota, ou Produção Enxuta, dada a sua filosofia de produzir cada vez mais com menos.

Krafcik citado por Santos (2003) os batizou de lean production (produção enxuta) em oposição a buffered production que, segundo o autor, caracterizaria a produção em massa.

Para Ohno (1978), o espírito Toyota consiste na produção em séries pequenas de produtos com muitas diferenciações.

Segundo Okubaro (2001), “a produção enxuta combina as vantagens da produção artesanal e em massa, evitando os altos custos da primeira e a rigidez desta última. Com essa finalidade, a produção enxuta emprega equipes de trabalhadores multiqualificados em todos os níveis da organização, além de máquinas altamente flexíveis e cada vez mais automatizadas, para produzir imensos volumes de ampla variedade”. A figura I ilustra este conceito.

Princípios do Sistema Toyota de Produção

 Mecanismo da função produção

Shingo (1996), define-o como uma rede de processos e operações, utilizado para visualizar as perdas no setor produtivo, mapeando todo o processo.

 Princípio do não-custo

Segundo Shingo (1996), o lucro é igual ao preço menos o custo. Sendo o preço determinado pelo mercado, a única maneira de aumentar os lucros se dá por meio da redução de custos com a eliminação total das perdas.

Ohno e Shingo propõem sete classes de perdas para sustentar o processo sistemático de identificação e eliminação dessas (GHINATO, 1996):

 Perda por superprodução

 Perda por transporte

 Perda por processamento em si

 Perda por fabricação de produtos defeituosos

 Perda por movimentação

 Perda por espera

 Perda por estoque

Pilares do Sistema Toyota de Produção

Principais técnicas do Sistema Toyota de Produção

Muitas dessas técnicas podem ser utilizadas separadamente para determinado fim nas empresas. Conforme Müller (1996) é comum observar a aplicação de parcelas do STP nas fábricas brasileiras sem, contudo, haver qualquer vínculo maior com o STP. Assim é necessário conhecê-las bem para que uma análise do nível de sua contribuição para as metas da empresa possa ser feita.

Estudo de caso:

Utilizou-se a pesquisa

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6.3 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com