TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

FUNDAMENTOS DO TRABALHO: PESQUISA SOBRE CADEIA PRODUTIVA E O PROCESSO DE PRODUÇÃO DE LEITE

Por:   •  15/11/2018  •  Pesquisas Acadêmicas  •  1.855 Palavras (8 Páginas)  •  122 Visualizações

Página 1 de 8

COLÉGIO ESTADUAL PROFESSORA MARIA AGUIAR TEIXEIRA

CURSO TÉCNICO EM RECURSOS HUMANOS

JENNIFER

SONIA

WILZA

FUNDAMENTOS DO TRABALHO:  PESQUISA SOBRE CADEIA PRODUTIVA E O PROCESSO DE PRODUÇÃO DE LEITE

CURITIBA

2018


INTRODUÇÃO

        O leite é produzido em todo o mundo e essencial à alimentação humana, sua importância pode ser observada desde o ambiente produtivo e econômico no mundo até em sistemas de agricultura familiar. Um dado interessante que pode ser levado em consideração é que segundo a Food and Agriculture Organization of the United Nations (2016), um órgão da ONU, informa que aproximidamente existem 150 milhões de lares em todo o mundo que estão envolvidos durante a produção leiteira, sendo característica da maioria dos países em desenvolvimento a partir dos pequenos agricultores e seus familiares, pois fornece retorno rápido aos produtores de pequena escala. No decorrer deste trabalho, pesquisamos sobre a cadeia produtiva, como funciona e quais seus segmentos durante o processo de produção, além da quantificação de trabalho necessário e de trabalhadores que estão envolvidos na produção. O método utilizado para a realização desta pesquisa foi baseado na leitura e fichamento de artigos e notícias relacionados ao tema proposto.


  1. CADEIA PRODUTIVA

Cadeia de produção é considerado como um conjunto de etapas consecutivas, onde os diversos insumos sofrem algum tipo de transformação, sua constituição de um produto final, seja ele um bem ou serviço, e sua colocação no mercado. Podemos compreender então que trata – se de uma sucessão de operações integradas, realizadas por diversas unidades interligadas, desde a extraçã e manuseio da matéria prima até a distribuição do produto. Assim como o autor Mario Otavio Batalha (1997) define que as cadeias produtivas são “a soma de todas as operações de produção e comercialização que foram necessárias para passar de uma ou várias matérias primas de base a um produto final, isto é, até que o produto chegue às mãos de seu usuário, seja ele um particular ou uma organização”.

A cadeia de produção possui a finalidade econômica, que inclui desde a exporação da matéria prima, em seu meio ambiente natural, até o seu retorno à natureza, passando pelos circuitos produtivos, de consumido, recuperação, tratamento e eliminação de efluentes e resíduos sólidos, compreendendo assim os setores de fornecimento de serviços, máquinas e equipamentos, bem como os setores de produção, processamento, armazenamento, distribuição e comercialização, serviços de apoio, além de todo o envolvimento tecnológico e institucional legal, normativo e regulatório. Assim, envolve o conjunto de agentes econômicos ligados à produção, distribuição e consumo de determinado bem ou serviço e as relações que se estabelecem entre eles.

O autor Mario Otavio Batalha (1997) divide a cadeia produtiva agroindustrial nos sgmentos de comercialização; industrialização e produção de matérias primas. No segmento da comercialização encontramos as empresas que estão em contato com o cliente final da cadeia de produção e que viabilizam o consumo e o comércio dos produtos finais (supermercados, mercearias, restaurantes, cantinas etc); incluindo nesse segmento as empresas responsáveis somente pela logística de distribuição; no segmento da industrialização estão localizadas as empresas responsáveis pela transformação das matérias primas em produtos finais destinados ao consumidor, destaca que o consumidor pode ser uma unidade familiar ou outra agroindústria e, no segmento da produção de matérias primas estão as empresas rurais que fornecem as matérias primas oriundas da agricultura, pecuária e piscicultura para que outras empresas as transformem em produtos finais utilizando – se de processos de produção automatizados ou não. No entorno da cadeira encontra – se os ambientes institucional e organizacional e ainda, os setores de suporte, que consistem nas atividades indiretas e complementares ao objetivo da cadeia. Elas fornecem os meios para o desenvolvimento das atividades dos segmentos principais e as opções técnicas e comerciais necessários à produção dos bens. Sobre as atividades de apoio, podemos exemplificar o sistema financeiro, as indústrias de embalagens, de aditivos, implementos, de equipamentos, inspeção sanitária, transporte, sistema de comunicação e associações, os quais podem impactar de maneira decisiva os vários elos da cadeia produtiva.

Levando em consideração que a cadeia produtiva é dinâmica, as relações com o mercado por todos os segmentos são determinantes para a sua competitividade e possibilita a visualização das condições dos segmentos e setores de suporte para a cadeia.

1.1 PROCESSO DE PRODUÇÃO DE LEITE

        A pecuária leiteira do Brasil nasceu em 1532 com a expedição colonizadora de Martim Afonso de Souza trazendo para a colônia portuguesa os primeiros bois e vacas. A partir de 1950 juntamente com o surto de industrialização do país, a pecuária leiteira inicia sua fase moderna. O salto mas qualitativo da pecuária leiteira ocorreu por volta de 1980 quando houve um dinamismo por parte do setor que possibilitou o progresso. A partir de 1991 no Brasil houve um processo de intensa transformação no setor da atividade láctea, sendo a produtividade o principal fator que explica esse crescimento de produção, além do processo de abertura da economia, da desregulamentação governamental e da estabilização econômica. Deve ser compreendido que as cadeias produtivas têm nos estudos da organização industrial a origem para análise do seu desempenho, de forma a possibilitar a descrição das condições em que a dinâmica do mercado, as regras governamentais e outros fatores.

        A produção de leite está distribuída por todo o país e a heterogeneidade do processo produtivo é marcante. Os produtores especializados investem em tecnologia e diferenciam seu produto recebendo mais pelo volume produzido e pela qualidade alcançada (CARVALHO e OLIVEIRA, 2006). A concentração dos produtores e das bacias leiteiras estão nos estados de Minas Gerais, Paraná e São Paulo.

        A indústria de latícinios brasileira é composta de empresas multinacionais, cooperativas e empresas nacionais. E ainda sobre a modernização da pecuária leiteira, os grandes pecuaristas pressionam as cooperativas para a adoção de novas tecnologias usadas afim de valorizar o produto final e ao serem pressionadas, estas cooperativas incentivam seus produtores a investir em tecnologia, preparando projetos financeiros para a compra de equipamentos e treinamento para seus produtores. E dessa forma, esse estudo para dinamizar a produção de leite visa proporcionar aos produtores mecanismos que possam atender aos preceitos legais dessa cadeia produtiva.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (12.4 Kb)   pdf (114.5 Kb)   docx (15.8 Kb)  
Continuar por mais 7 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com