TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Principais diferenças entre a abordagem evolucionista da diversidade cultural e a antropologia realizada por Franz Boas e Bronislaw Malinowski

Por:   •  23/11/2017  •  Resenha  •  403 Palavras (2 Páginas)  •  247 Visualizações

Página 1 de 2

A antropologia evolucionista surgiu no século XIX, com influência nos estudos em relação à evolução das espécies de Darwin, onde sua principal proposta é uma única linha de desenvolvimento humano em geral, que julga o valor do indivíduo a partir de características fenotípicas. No século XX, Franz Boas critica essa teoria e propõe uma nova antropologia, no qual o fundamento é o conceito de cultura mais importante para a diversidade humana.

O século XIX é marcado pelo Darwinismo Social, onde se considerava a sociedade europeia como o auge do processo evolutivo e as sociedades aborígenes eram tidas como mais primitivas, sendo uma espécie idêntica aos europeus evoluídos, todavia com o desenvolvimento social e cultural mais lento, mesmo que o processo evolutivo fosse o mesmo e passasse por várias etapas até chegar à dita “civilização”. Esse conceito de civilização era utilizado para justificar o domínio dos europeus sobre outros povos, deixando de lado as diferenças culturais em relação a sociedades tidas como inferiores. O método utilizado nessa época era o de comparação a partir de coleta de dados, colocando lado a lado as diferenças culturais para assim tentar traçar a trajetória evolutiva do homem, estabelecendo leis que regem a evolução e mapeando os estágios em que cada povo comparado se encontra.

A primeira crítica de Boas reside no fato cuja mentalidade humana não é algo uniforme. Em sua visão, nenhum detalhe deve passar despercebido e, para chegar a uma certa conclusão, o antropólogo deve fazer suas próprias observações e ter uma experiência com as novas culturas, sem se considerar superior a tais. Boas sugere o estudo das culturas tomadas de formas individuais e em sua totalidade, o que coloca fim às repartições de tarefas, já que o pesquisador deixa seu gabinete e o próprio efetua as pesquisas e passa a ter contato direto com o objeto de estudo, indo direto ao oposto da antropologia evolucionista, em que os observadores passavam as informações recolhidas para os estudiosos trabalharem em suas comparações. Ele também destaca a necessidade do acesso a língua da cultura na qual trabalha, de aprender atentamente e tentar se portar como tais.

Franz Boas foi considerado um dos primeiros etnógrafos, porém Malinowski foi um dos que mais marcaram esse tipo de pesquisa. Ninguém antes dele havia penetrado tão a fundo ao viver com as populações que estudava, recolhendo dados e materiais no idioma local, tentando romper qualquer contato com o mundo europeu.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (2.5 Kb)   pdf (51.9 Kb)   docx (9.3 Kb)  
Continuar por mais 1 página »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com