TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Apresentação Na Filosofia

Por:   •  9/10/2020  •  Seminário  •  857 Palavras (4 Páginas)  •  8 Visualizações

Página 1 de 4

1.0 INTRODUÇÃO

Segundo a Lei de Libras 10.436 de 2002, em seu artigo primeiro e parágrafo único a Língua Brasileira de Sinais: Libras é a forma da expressão e comunicação de um sistema linguístico com sua natureza visual-motora. O decreto 5626 de 2005 visa regulamentar essa lei e diz que é considerada pessoa surda aquele que por possuir perda auditiva, interage e compreende com o mundo de forma visual e manifesta sua cultura por meio da Língua de sinais. Surdo, por sua vez, é aquele que conhece e aprende sobre o mundo ao seu redor de forma visual (ROSA, 2011).

Em síntese, ressalta-se que a Língua de sinais é uma língua com estrutura gramatical própria e que em sua estrutura, possui regras assim como na língua portuguesa. Destacam-se os Classificadores que são essenciais no que diz respeito a língua de sinais. É comum ouvir das pessoas com prévio conhecimento que a libras é como mímica. Mas observa-se que essa comparação se faz equivocada, visto que o classificador possui assim como as gramáticas regras em sua desenvoltura. Sendo o classificador uma forma de representação viso-espacial, faz-se necessário sua utilização como forma de facilitar o entendimento (MESSIAS, 2008).

É possível através dele explicar qualquer tipo de situação por possuírem capacidade descritiva, icônica, ou seja, utilizando das regras gramaticais, torna-se possível explicar qualquer coisa, ainda que não conheça a língua por completo. Ou seja, qualquer um pode falar com o surdo de forma que ele compreenda, apenas utilizando classificadores ((ANDRÉ, 2005).

Classificadores não são gestos ou mímicas, como foi ridicularizado ao longo do desenvolvimento da Língua. Por causa da conicidade de alguns sinais, a Libras foi ridiculamente tratada como mímica e até gestos, é comprovado que a Língua de Sinais não é formada por gestos e sim por sinais originados culturalmente. Assim como a Língua de sinais e diferente em diversos países, também utilizamos símbolos diferentes para representar elementos de nossa cultura. Figura 1 se refere a um sinal icônico. Já a figura 2 refere-se ao classificador, jogar bola (MIRANDA, 2012).

GOOGLO IMAGEM ACADEMIC IMAGEM 1 SINAL ICÔNICO BOLA

GOOGLO IMAGEM ACADEMIC IMAGEM 2 CLASSIFICADOR JOGANDO BOLA

Diferentemente do que as pessoas pensam, a mímica e a pantomima não são língua de sinais, e diferem-se de a Libras por não possuírem regras gramaticais, e acabam equivocando-se consoante o uso da língua. Mas é possível sim comunicar-se com o surdo usando o princípio do conhecimento de classificadores. É comum notar o preconceito por parte daqueles que não tem conhecimento da língua, muitos são os que falam sobre os exageros nas expressões faciais e corporais sem se quer apreciar a beleza e a nobreza da transmissão de expressões e sentimentos riquíssimos que podem ser empregados com apenas um classificador. Seria como utilizar por exemplo na língua portuguesa uma hipérbole. Fazendo-se um comparativo “você muito bonita`` e você é bonita de mais, na libras apenas uma expressão de exagero consegue mudar a frase apresentando essa mesma variação como segue na figura bonita e você é bonita de mais, na libras apenas uma expressão de exagero consegue

...

Baixar como (para membros premium)  txt (5.4 Kb)   pdf (38.9 Kb)   docx (9.1 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com