TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

FILOSOFIA MEDIEVAL Santo Agostinho (354-430)

Trabalho Universitário: FILOSOFIA MEDIEVAL Santo Agostinho (354-430). Pesquise 793.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  7/7/2014  •  506 Palavras (3 Páginas)  •  728 Visualizações

Página 1 de 3

FILOSOFIA MEDIEVAL

Santo Agostinho (354-430)

CARACTERÍSTICA DO PENSADOR NO MOMENTO MEDIEVAL

Aurélio Agostinho, conhecido como Santo Agostinho, bispo, escritor, teólogo, filósofo, Padre latino e Doutor da Igreja Católica. Nasceu em Tagaste, Norte da África, em 13 de novembro de 354. Seu pai era pagão, sua mãe cristã, depois canonizada: Santa Mônica. No período Medieval, Santo Agostinho escreveu mais de 400 sermões, 270 cartas que se assemelham aos tratados doutrinários e 150 livros, mas muito pouco de sua obra foi convertida para o português.

Quando o Império Romano do Ocidente começou a se desintegrar, desenvolveu o conceito de Igreja como a cidade espiritual de Deus. Aos 17 anos continuava sua educação na retórica. Vivendo como um pagão intelectual, desenvolveu uma relação estável com uma jovem mulher, com quem teve um filho. Durante os anos 373 e 374, Agostinho ensinou gramática em Tagaste. No ano seguinte, mudou-se para Cartago a fim de ocupar o cargo de professor da cadeira municipal de retórica durante os próximos nove anos. Desiludido pelo comportamento indisciplinado dos alunos, em 383, mudou-se para estabelecer uma escola em Roma.

TEORIA DO CONHECIMENTO

Buscando relacionar o ser humano com Deus, Santo Agostinho apresenta outro conceito, quando discute que o ser humano possui conhecimento inato à cerca da realidade. Com isto afirma que o saber vem de Deus o qual ilumina a mente e, assim, obtemos conhecimento. Isso fica claro na sua frase: "Compreender para crer, crer para compreender”.

Educação a partir das idéias: Fé, razão, Educação e predestinação

No processo histórico filosófico da educação na Sociedade Medieval, essa proposta teórica traz uma contextualização, tendo como base os conceitos e relatos históricos de Santo Agostinho. Dessa forma, destaca- se a intensa busca da felicidade.

O conhecimento é a capacidade de buscar verdades imutáveis por meio dos processos mentais. Portanto, como o homem era sujeito ao erro, uma verdade imutável não podia vir dele mesmo, mas sim de Deus, que é a própria perfeição.

A educação está mais evidenciada em duas obras de Santo Agostinho, De Doutrina e De Magistro, onde ele dá a idéia de que o professor mostra o caminho e o aluno segue, assim o saber brota de seu interior.

A predestinação é um conceito teológico, também relacionado à filosofia, que trata do relacionamento de Deus com o Homem, no sentido de que Deus consegue prever ou até decidir antecipadamente os acontecimentos no tempo e no espaço, utilizando de sua absoluta soberania. Segundo algumas correntes teológicas, Deus possuir esta capacidade não significa ter de usá-la na sua totalidade, abrindo assim espaço à atuação livre do Homem.

Santo Agostinho morreu em Hipona em 28 de agosto de 430.

As questões filosóficas que formam a base para a construção da chamada filosofia agostiniana como, contribuição a educação e ao conhecimento, trazendo a fé, razão, educação e predestinação do período Medieval para a contemporaneidade, percebemos na obra, Os Pensadores- Confissões” pg. 7 & 9 pg. 50 & 12, pg.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (3.3 Kb)  
Continuar por mais 2 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com