TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

O presente ensaio busca discutir a relação do personagem Winston Smith, de 1984 e o autor do livro distópico George Orwell.

Por:   •  23/9/2016  •  Ensaio  •  987 Palavras (4 Páginas)  •  189 Visualizações

Página 1 de 4

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS

CENTRO DE LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO

FACULDADE DE LETRAS

LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS EM LÍNGUA PORTUGUESA – D

PROF. DR. RICARDO GAIOTTO DE MORAES

PAULO HENRIQUE RODRIGUES                         14177281

ANA PAULA ALVES DE OLIVEIRA                          14654529

ENSAIO ACADÊMICO

VERSÃO I

CAMPINAS

21/09/2015

Por Ana Paula Alves de Oliveira e Paulo Henrique Rodrigues

“Ao futuro e ao passado, a uma época em que o pensamento seja livre, em que os homens sejam diferentes uns dos outros e que não vivem sós - a uma época em que a verdade existir e o que foi feito não puder ser desfeito: Cumprimentos da era da uniformidade, da era da solidão, da era do grande irmão, da era do duplipensar”!

George Orwell, 1984

O presente ensaio busca discutir a relação do personagem Winston Smith, de 1984 e o autor do livro distópico George Orwell.

A literatura utópica apresenta aos seus leitores a possibilidade de criar uma sociedade perfeita dentro do contexto em que sua sociedade constitui-se atualmente, isso é, ela é sempre ligada a uma realidade presente pelo desejo de modificá-la. Dessa forma traz consigo uma característica específica: ser sempre datada, pois apresenta a solução de problemas históricos bem precisos. Entretanto, as obras utópicas durante o século XX, marcado pelo totalitarismo, capitalismo e sociedades imperfeitas deram a inspiração para o surgimento de uma utopia negativa, conhecida como Distopia, gênero literário que vem ganhando cada vez mais espaço entre os famosos “best-sellers”.

Uma vez que a utopia tem em sua característica ser a previsão de um futuro melhor para um grupo social, a distopia vem e mostra como uma continuação de características atuais de uma determinada sociedade, se não forem reprimidas, podem trazer o surgimento de uma sociedade malévola.

Uma das mais famosas distopias, o livro 1984 foi escrito por Eric Arthur Blair, sob o pseudônimo de George Orwell, pouco antes de morrer de tuberculose.  O livro foi lançado como um alerta às sociedades futuras sobre a repressão de governos totalitários e suas nuances.

Blair nasceu em Motihari, no ano de 1903 e foi criado na Inglaterra, foi estudante bolsista nas mais privilegiadas escolas, lugares em que prevaleciam os valores hegemônicos. O que o fez ser marginalizado pelas questões financeiras de sua família. Trabalhou como agente da polícia imperial em Mianmar, onde vivenciou opressão e xenofobia e anos depois se juntou ao Partido Operário de União Marxista e lutou na Guerra Civil Espanhola. Fatos que desenvolveram a aversão do autor quanto a divisão da sociedade em classes sociais. Podemos notar essa aversão presente em seu romance 1984, que foi publicado no ápice da guerra fria, um dos mais importantes acontecimentos políticos do nosso tempo. Foi inevitável seu uso como uma das armas desse conflito contra a Rússia.

Inspirado nas forças sociais liberadas pela política moderna, o livro se passa em uma Londres do futuro controlada pelo Partido Socialista Inglês (Ingsoc), governado pelo Grande Irmão.  O personagem principal Winston Smith, um editor do no Ministério da Verdade, encarregado em alterar informações por ordens do governo. Nesse ministério tudo o que fosse contra o governo do Grande Irmão era alterado ou apagado, notícias de jornais, revistas, artigos etc. E em seu lugar eram inseridos fatos “falsos” que sustentavam a ideologia do governo. Além disso, o Ingsoc controlava pensamentos, utilizando uma nova linguagem resumida denominada Novilíngua, onde palavras ganhavam novos significados e ideias que não interessavam ao partido deixavam de existir. A repressão intelectual para o controle social também acontecia por intermédio da Polícia do Pensamento que utilizavam teletelas, equipamentos que recebiam e captavam imagens simultaneamente, os membros da Polícia do Pensamento podiam vigiar o comportamento dos usuários e coibir ações indesejadas.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6.2 Kb)   pdf (142.4 Kb)   docx (12.6 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com