TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A PRÁTICA DOCENTE E CRIATIVIDADE

Por:   •  29/6/2020  •  Trabalho acadêmico  •  2.371 Palavras (10 Páginas)  •  3 Visualizações

Página 1 de 10

[pic 1][pic 2]

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA

ALZIRA DE JESUS BARROSO MARTINS

CRIATIVIDADE E PRÁTICA DOCENTE

[pic 3]

Sete Lagoas

2015

ALZIRA DE JESUS BARROSO MARTINS

CRIATIVIDADE E PRÁTICA DOCENTE

Trabalho apresentado ao Curso de Pedagogia  da UNOPAR – Universidade Norte do Paraná, para as disciplinas de Ensino de História e Geografia, Ensino de Matemática, Ensino de Ciências Naturais e Saúde Infantil, Estágio Curricular Obrigatório III: Anos Iniciais do Ensino Fundamental, Seminário VII.

Professores: Cyntia França, Lilian Gavioli de Jesus, Keila Tatiana Boni, Andreia de Freitas Zômpero, Vilze Vidotte Costa, Rosely Montagnini.

Sete Lagoas

2015

1 INTRODUÇÃO

O presente trabalho tem como objetivo discorrer sobre o que é criatividade, suas implicações e importância para a prática docente.

Foram utilizados, como base, dois textos: “Criatividade e Processos de Criação”, de Fayga Ostrower (1977) e “O Professor e a formação docente: a criatividade e as crenças educativas, onde estão?”, de Isauro Beltran Nuñez e Alexandre Araujo Santos (2012).

A criatividade faz parte da natureza humana, nascemos com a capacidade de criar, e esta pode ser estimulada e se desenvolve nas pessoas em maior ou menor grau, dependendo do ambiente em que o indivíduo se encontra inserido, pois este interfere nos níveis em que o processo criativo se apresenta em cada um de nós. Pode-se afirmar que a criatividade é um potencial presente em todos os indivíduos desde o nascimento, todos nascem com algum grau de capacidade para criar e à medida que vai crescendo, ela pode ser inibida, destruída ou incentivada, dependendo de onde o indivíduo recebe essas motivações, uma vez que ela é promovida a partir de motivações intrínsecas do indivíduo (estímulos internos do próprio indivíduo), de sua paixão, de sua curiosidade perante algo que lhe chame a atenção para executar, e ao mesmo tempo, ocorre que a motivação extrínseca (estímulos do ambiente externo), aquela que parte dos aspectos ambientais e sociais, acaba gerando um grande impacto sobre a motivação intrínseca, inibindo muitas vezes, a sua capacidade de dar asas à imaginação, de correr riscos e errar, e conseqüentemente, ter medo dos resultados (DUARTE, 2011).

Criatividade é a mobilização das capacidades, motivação, cargas afetivas, necessidades, interesses, aptidões, que possibilitam a criança a criar, conceber, imaginar, construir, por meio da ação física ou mental, fazendo surgir algo que ela sinta como nova invenção (DICIONÁRIO PRÁTICO DE PEDAGOGIA, 2003, p. 75).

Segundo Sakamoto (2000, p. 52), "criatividade é a expressão de um potencial humano de realização, que se manifesta através das atividades humanas e gera produtos na ocorrência de seu processo".

2 DESENVOLVIMENTO

O tema dos dois textos é criatividade. O texto de Ostrower, livro produzido pela Editora Vozes, foi publicado em 1977. É destinado a educadores e pessoas que se interessam pelo assunto criatividade. Tem o objetivo de “se transformar numa denúncia extraordinariamente lúcida de tudo o no mundo de hoje contribui, não para construir o homem  partir do que ele traz gravado em si de mais irreversível e essencial – a sua, repita-se, liberdade –, mas para, ao contrário, aliená-lo dela” (...).

Já o texto de Nuñez e Santos, é um artigo teórico, e foi publicado em 2012. É destinado ao público que se interessa pelo assunto e tem como objetivo refletir sobre a criatividade e as crenças como elementos da formação docente e da atuação profissional do professor.

Para Ostrower (1977), a criatividade é um potencial inerente ao homem, as artes são vistas como área privilegiada do fazer humano e o criar só pode ser visto num sentido global. Todo indivíduo se desenvolve em uma realidade social e nele confrotam-se dois pólos de uma mesma relação: a sua criatividade e sua cultura. Assim, os processos criativos se interligam no nível individual e cultural. Criar é, basicamente, formar. O homem é um ser informador, capaz de estabelecer relacionamentos com múltiplos eventos, relacionando-os e dando-lhes significado. Ao relacionar fenômenos, o homem os interliga e os vincula a si mesmo.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (16.3 Kb)   pdf (112.4 Kb)   docx (30.2 Kb)  
Continuar por mais 9 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com