TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

OS JOGOS COMO INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Tese: OS JOGOS COMO INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Pesquise 792.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  2/6/2013  •  Tese  •  2.507 Palavras (11 Páginas)  •  762 Visualizações

Página 1 de 11

OS JOGOS COMO INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

RESUMO

O presente estudo teve por finalidade a prática pedagógica do professor e a importância dos jogos de Educação Infantil, ao serem incentivadas a estabelecer uma relação funcional dos mesmos na formação de conceitos e sugerir o resgate das brincadeiras tradicionais, como atividade lúdica e como instrumento metodológico de ensino, como também sensibilizar os professores de educação infantil do importante papel que os jogos, as brincadeiras e os brinquedos exercem no desenvolvimento da criança. Dessa forma, parte-se da concepção de que os jogos, na Educação Infantil, são essenciais para o desenvolvimento do processo de ensino aprendizagem. A falta de capacitação e não compreensão da importância dos jogos no processo ensino aprendizagem é o que leva o educador a não utilizá-los? Os resultados obtidos revelam que se deve investir na formação do educador e na conscientização dos pais quanto à importância do lúdico no processo de ensino aprendizagem como recurso pedagógico, eficaz na obtenção dos objetivos propostos. Conclui-se que é fundamental a participação da professora nas atividades, contribuindo na ampliação das experiências das crianças, proporcionando-lhes base sólida para suas atividades físico-motoras, sociais e culturais. Quanto mais as crianças sentirem e experimentarem, quanto mais aprenderem e assimilarem, quanto mais elementos reais tiverem em suas experiências, tanto mais produtivas e criativas serão as suas atividades desenvolvidas futuramente.

Palavras-chave: Educação Infantil. Resgate dos jogos e Brincadeiras. Educação. Conceitos.

INTRODUÇÃO

Muitos professores questionam que o dia a dia de sala de aula caiu na rotina onde os alunos já estão cansados de ter sempre a lousa cheia de conteúdos para copiar e exercícios para resolver e os professores sempre explicando e passando o seu conhecimento adiante e o resultado: os alunos menos interessados e sem motivação para estudar.

Neste contexto os jogos têm sido utilizados como atividade lúdica tanto com adultos como com crianças e de forma crescente, têm sido utilizados como objetivos pedagógicos.

Quando se sugerem os jogos para serem aplicados em sala de aula muitos ainda acham que assim se estará fugindo do plano curricular e os pais acreditam que as crianças então irão à escola somente para brincar e não estudar.

Muitos autores e estudiosos afirmam que os jogos são estimulantes para o aprendizado das crianças, pois podem ajudar tanto no desenvolvimento mental como físico das crianças que aprendem a interagir entre as equipes, a seguir regras e se tornam mais ágeis e astuciosas.

Segundo Huizinda (2002, p.33), os jogos podem ser vistos como recreação, pode ser visto como uma atividade que exige esforço físico, intelectual e escolar ao longo do tempo, os jogos podem liberar e canalizar as energias das crianças.

Dessa forma, a escolha desse tema tem como ponto de partida a necessidade de conhecer a importância do brincar para a criança e sua influência no comportamento e no progresso da aprendizagem, enfatizando os aspectos cognitivos e emocionais através da prática escolar.

O SIGNIFICADO DO JOGO

Os jogos na educação das séries iniciais são atividades que ajudam no desenvolvimento mental e físico das crianças. De uma forma geral os jogos auxiliam no desenvolvimento pessoal e social, pois as crianças aprendem a se interagir fazer trabalhos em equipe e a seguir regras, se tornam mais ágeis e astuciosos.

É necessário que o professor conheça as fases do desenvolvimento do aluno para verificar o que a criança já sabe e quais são as suas necessidades, a fim de sugerir atividades e elaborar perguntas no momento certo. O que as crianças dizem e fazem podem contar muito ao professor a respeito do seu pensamento e sua inteligência. O que não fazem ou não conseguem fazer, também pode contar muito a respeito de suas capacidades.

Para HUIZINDA (2002, p. 34):

Jogo infantil é uma atividade física e mental que favorece tanto o desenvolvimento pessoal como a sociabilidade, de forma integral e harmoniosa. A criança evolui com o jogo e o jogo da criança vai evoluindo paralelamente ao seu desenvolvimento, ou melhor, dizendo, integrado ao seu desenvolvimento.

Segundo Antunes (2002, p. 11) “A palavra jogo provém de jocu, substantivo masculino de origem latina que significa gracejo”. Jogo expressa um divertimento, brincadeira, passatempo sujeito a regras que devem ser observadas quando se joga, significa balanço. Oscilação, astúcia, ardil, manobra.

Para alguns estudiosos, como Platão (1948), não há um registro que indique quando os jogos existiram, mas segundo, referências históricas os jogos se originaram na França, mas as primeiras reflexões sobre a importância do brinquedo na educação começaram a aparecer na antiga Roma e na Grécia.

Para KISHIMOTO (2002, p. 28):

O jogo é visto como recreação, desde a antiguidade greco-romana, aparece como relaxamento necessário à atividade que exige esforço físico, intelectual e escolar por longo tempo, o jogo infantil fica limitado à recreação.

Ainda o mesmo autor, relata com o renascimento do período marcado pelos novos empreendimentos no campo das artes, e das ciências, das letras e culturas, o jogo passa a ter uma nova concepção, sendo visto como um meio facilitador da aprendizagem dos conteúdos escolares. Os jogos tem a intenção de ensinar os conteúdos de forma a torná-los mais compreensíveis e de uma maneira mais agradável, com intencionalidade educativa, na tentativa de superar o fracasso escolar.

Para KISHIMOTO (1995, p. 39):

Uma característica do século XVII é a popularização dos jogos educativos. Antes restritos aos príncipes e nobres, agora se tornam veículos de divulgação, crítica e doutrinação popular. “Utilizados para o desempenho de papeis, difusão de ideias e crítica de personagens, tais jogos penetram no cotidiano popular”.

O desenvolvimento da ciência e da técnica constitui a fonte propulsora dos jogos científicos e mecânicos surgem jogos magnéticos para ensinar História, Geografia e Gramática. As expansões dos meios de comunicação bem como o avanço do comércio estimulam o ensino de línguas vivas. Os jogos existentes no século XIX perduram até a I Guerra Mundial, mas com a aproximação da

...

Baixar como (para membros premium)  txt (16.7 Kb)  
Continuar por mais 10 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com