TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Análise do filme Capitão Fantástico

Por:   •  17/5/2020  •  Resenha  •  1.177 Palavras (5 Páginas)  •  8 Visualizações

Página 1 de 5

ANÁLISE DO FILME CAPITÃO FANTÁSTICO

O filme em trata da história de Ben, que vive longe da civilização com seus seis filhos e sua esposa no meio da floresta, com muitas aventuras e uma rotina rígida, com treinamentos, caça e estudo. No entanto o mesmo se vê em uma situação na qual é forçado a deixar o isolamento e leva sua família para encarar o mundo e testar seus limites em busca da despedida da sua esposa, Leslie, que faleceu.

A partir de uma análise sociológica do filme é possível relembrar vários temas tratados em sala de aula como como os fatos sociais, que segundo Émile Durkheim, sociólogo francês, são modos de agir, pensar e sentir de forma externa ao indivíduo, levando a entender que as ações são influenciadas pela sociedade a qual está inserido, assim exercem um poder coercivo sobre os indivíduos. Na sociedade a coerção se manifesta por meio de leis ou normas, ou seja, se aplica como um mecanismo de controle, como visto no filme quando, logo no início, o filho mais novo, Nai, sai do trailer sem roupa para comer e é repreendido pelo seu pai, sofrendo então coerção para usar roupa, além de Ben e seus filhos serem retirados a força do enterro de sua esposa.

Com a sociedade em constante modificação é possível exemplificar as solidariedades orgânica e mecânica, sendo ambas contrarias e relacionadas com a divisão do trabalho segundo Durkhein. No filme a solidariedade mecânica é representada quando os membros família compartilham as mesmas regras, valores, interesses, um ajudando o outro para a sobrevivência do grupo, sendo diferente da orgânica, na qual valoriza o individual, características das sociedades modernas e complexas, que é possível ser observada nas pessoas que habitam a cidade.

Apesar de a burocracia, atualmente, ser relacionada a algo negativo ligada a normas e documentos incontáveis, para Max Weber, a burocracia é o único modo de organizar grandes quantidades de pessoas efetivamente, porém já no século XIX ele já se preocupava com os efeitos sufocantes e desumanizantes que a estrutura burocrática e suas implicações para o futuro da democracia, o que é possível ser observado no modo de vida da família Cash, que possui menos pessoas, mas também possuía um tipo de burocracia em que cada um tinha o seu papel e hierarquia de comando.

No momento em que Bem ler o testamento de Leslie e descobre que ela queria ser cremada, resolvendo então seguir o seu desejo executando assim uma ação social sendo ela uma ação orientada ao outro, tendo sua fonte motivadora pautada em costumes e sistemas de valores.

Um dos pontos mais importantes retratados é a alienação, que não se encontra no modo de vida de Bem, pois segundo Karl Marx, ela é descrita como um momento onde os homens perdem-se a si mesmos e a seu trabalho no capitalismo, no qual o governo intervém pouco na economia favorecendo quem tem dinheiro, bem retratada por todo o filme principalmente durante a viagem de ônibus em que Bem apresenta para os filhos as lojas e diz “ Os negócios da América são os negócios. [...]A maioria dos cidadãos pratica compras como principal fonte de interação social. ”, onde ele ressalta a necessidade do convívio humano baseado no consumismo, assim evidenciando o sistema econômico capitalista também retratado na cena do assalto ao supermercado, que para Marx não seria roupo e sim, usufruir daquilo que foi produzido e roubado pelos donos dos meios de produção por meio de carga horaria exploradora e utilização da mão de obra barata. Com isso, é possível observar a luta de classes, que é um conceito Marxista vinculado com a economia política socialista, a qual envolve questões entre as classes do proletariado e a burguesia dentro da sociedade capitalista, em que, segundo ele só acabará quando o sistema capitalista for banido e desaparecerem as classes sociais, que são bem visíveis quando há um conflito ideológico entre o pai de sua esposa, que defendia o sistema capitalista com sua mansão, carros e dinheiro, e Ben que preferia viver na floresta, em que seu modo de vida tinham características do socialismo, tendo como visão o bem comum de todos dentro do grupo, sem um governo, mas com um líder e com características do comunismo que prega a abolição da propriedade privada e o fim da luta de classes, além da construção de um novo regime político e econômico que possibilite o estabelecimento de igualdade e a justiça social dos homens, como mostrada na cena em que o filho Rellian descorda do pai comemorar um feriado que as outras pessoas não comemoram e dar facas aos filhos, e então o pai dá a oportunidade dele argumentar afim de convencer os outros membros da família.

Durante todo o filme há conflito entre Ben e o pai de sua esposa, principalmente pelas diferenças éticas, que é o conjunto de valores e costumes difundidos por uma determinada sociedade e morais, que é o conjunto de normas que regulam a prática individual influenciada por um conjunto de valores éticos. Em que quando esses valores se chocam uns com os outros gera desentendimentos, mas quando um grupo compartilha dos mesmos valores gera o conceito de consciência coletiva, que segundo Durkheim, é definido como o conjunto de características e conhecimentos comuns de uma sociedade, que faz com que os indivíduos pensem e ajam de forma minimamente semelhante. Corresponde às normas e às práticas, aos códigos culturais, como a etiqueta, a moral e as representações coletivas.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (7.5 Kb)   pdf (68.4 Kb)   docx (9.9 Kb)  
Continuar por mais 4 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com