TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

Resenha Médeia

Trabalho Escolar: Resenha Médeia. Pesquise 807.000+ trabalhos acadêmicos

Por:   •  30/3/2014  •  994 Palavras (4 Páginas)  •  494 Visualizações

Página 1 de 4

Isso que é uma Vingança.

Medéia,de Eurípedes – Tradução: Miroel Silveira e Junia Silveira Gonçalves – Editora Martin Claret Ltda., 2004 – São Paulo - SP.

Eurípides (c. 480 a.C. - 406 a.C.) foi o mais jovem dos três grandes expoentes da tragédia grega clássica. Embora premiado poucas vezes nos concursos trágicos de Atenas (Dionísias Urbanas, Lenéias), (apesar de ter escrito cerca de 92 peças), no final do século V a.C., desfrutou de grande popularidade nos séculos subseqüentes, é atualmente muito mais popular que Ésquilo ou Sófocles. Os recursos dramáticos que utilizou em suas tragédias, notadamente as posteriores a 420 a.C., influenciaram diversos gêneros dramáticos posteriores, entre eles a "Comédia Nova", o drama (e também o melodrama) e a novela. Nascido em 480 a.C., perto de Atenas, Eurípedes foi desde a sua juventude um poeta mal compreendido. Apresentou as suas primeiras tragédias na Grande Dionisíaca de 445 a.C., mas só venceu a primeira competição em 441 a.C. A atração moderna por Eurípedes vem, sobretudo da sua atitude perante a vida que é muito mais semelhante à atitude dos dias de hoje, do que a dos seus contemporâneos. As suas peças não são acerca dos deuses ou a realeza, mas sobre pessoas reais. Colocou em cena camponeses ao lado de príncipes e deu igual peso aos seus sentimentos. Mostrou-nos a realidade da guerra, criticou a religião, falou dos excluídos da sociedade: as mulheres, os escravos e os velhos. As mulheres de Eurípedes eram mulheres fortes e nunca submissas, como fica claro em personagens como Medéia, Fedra, Alceste, Ifigênia. Em termos dramatúrgicos Eurípedes adicionou o Prólogo à peça, no qual “situa a cena” (apresenta o que se vai passar). E criou também o “deus ex machina” que servia muitas vezes para fazer o final da peça. Ao longo da sua vida, Eurípedes foi considerado quase um marginal e foi frequentemente satirizado nas comédias de Aristófanes. No final da vida, talvez desiludido com a natureza humana, viveu recluso rodeado de livros e morreu em 406 a.C., dois anos antes de Sófocles.

RESUMO:

Na Obra Medéia, é narrado a história de uma mulher (Medéia), que trai sua pátria e sua família e segue para Corinto na companhia de seu amado (Jasão), com quem se une e tem dois filhos. Tempos mais tarde, Jasão rompe todas as juras de fidelidade eterna e desposa Glauce - a filha de Creonte -, o rei de Corinto, o que faz com que Medéia sinta-se ultrajada e com sede de vingança. Sentindo-se ameaçado pela cólera e pela promessa de vingança de Medéia, Creonte a expulsa de Corinto, obrigando-lhe levar consigo seus dois filhos. Medéia suplica a Creonte que a deixe ficar por mais um dia em Corinto, dizendo-lhe que precisaria desse dia para encontrar um lugar seguro para o seu exílio. Creonte cede à sua súplica. Durante esse dia de permanência em Corinto, Medéia arquiteta um plano hediondo de vingança: encontra-se com Egeu, velho amigo, e faz com que este lhe faça um juramento de que a acolheria em seus Estados com máxima segurança. Após conseguir respaldo de Egeu, Medéia tem uma conversa com Jasão, em que ele lhe diz que tudo o que fez é para o bem de todos e, principalmente, de seus filhos, já que estes terão irmãos de sangue real. Mostra-se humilde e resignada, e pede a Jasão que permita a permanência de seus filhos em Corinto, para poupá-los do exílio e, já que seria necessário o consentimento de sua jovem esposa, Medéia lhe sugere que deixe as crianças levarem alguns presentes à filha de Creonte, a fim de que se torne mais fácil o atendimento à sua súplica. E assim foi.

Medéia

...

Baixar como (para membros premium)  txt (6 Kb)  
Continuar por mais 3 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com