TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS: DISCIPLINA DE FISIOLOGIA APLICADA E PSICO BIOLOGIA

Por:   •  9/4/2016  •  Trabalho acadêmico  •  2.917 Palavras (12 Páginas)  •  383 Visualizações

Página 1 de 12

[pic 1]

Instituto de Ciências da Saúde 

Curso de Biomedicina 

 

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS: DISCIPLINA DE FISIOLOGIA APLICADA E PSICO BIOLOGIA

Birigui – SP

2015

[pic 2]

Instituto de Ciências da Saúde 

Curso de Biomedicina 

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS: DISCIPLINA DE FISIOLOGIA APLICADA E PSICO BIOLOGIA

Atividades Práticas Supervisionadas (APS) apresentadas à Coordenação do Curso de Biomedicina da Universidade Paulista – UNIP como requisito para aprovação na disciplina. Orientador: Professor ​.​Ms. Luís Cezar Farias de Oliveira.

Birigui – SP

2015

Sumário

Introdução...................................................................................................................................04

1a) Processo da dor: por que ocorre e as implicações com as fibras nervosas e substâncias químicas (proteínas, neurotransmissores) .......................................................................05;06;07

1-b) Acupuntura com tratamento da dor: onde age e como age, visto que na agulha não a medicamentos........................................................................................................................07;08

1c) ​Efeitos adversos ou contraindicações da acupuntura: existe? Quais e porque sim ou não..08

1d) Acupuntura: além do tratamento da dor, discutir possíveis alvos...................................08,09

Referências..................................................................................................................................10

Conclusão....................................................................................................................................11

INTRODUÇÃO:

A acupuntura, apesar de ser uma técnica da Medicina bastante antiga, vem sendo utilizada até o dia de hoje, pelo fato de ter comprovações científicas evidentes de seus resultados em relação a neurofisiologia da dor  para sua utilização. A ação da acupuntura está na ativação do sistema supressor da dor, onde ocorre uma estimulação repetida das terminações nervosas nos planos superficiais e profundos do corpo que integram as vias dolorosas proporcionando um alívio rápido da dor.

O procedimento trata-se da inserção de agulhas em pontos específicos da pele , chamados acupontos, com o objetivo de prevenir e curar doenças. A partir da estimulação desses pontos, pode-se alterar a dinâmica da circulação sanguínea e também promover o relaxamento muscular, sanando o espasmo e diminuindo  a inflamação e a dor , além disso pode-se obter a liberação de hormônios como cortisol e endorfinas, promovendo a analgesia.

A estimulação das fibras do tipo II, que veiculam a sensibilidade proprioceptiva em nervos periféricos, parece ser necessária para que o índice de sucesso da acupuntura seja elevado. Estas fibras são discriminativas e podem interferir nos sistemas supressores de dor. Razão pela qual aplicando-se a acupuntura durante um tempo maior, obtém-se analgesia mais intensa e prolonga-se a duração dos seus efeitos, que não cessam com a interrupção do estímulo. Esta observação reforça a possibilidade da participação de neuro-transmissores no seu mecanismo de ação. Além disso, foi relatada a redução da atividade neuronal de núcleos talâmicos mediais e de núcleos do tronco encefálico e lentidão do traçado eletroencefalográfico durante sessões de acupuntura. As vias serotoninérgicas também estão envolvidas na gênese da analgesia  induzida pela acupuntura, pois constatou-se o aumento da concentração de serotonina no LCR e nas estruturas neuronais do tronco encefálico inferior após aplicação de acupuntura. Foi também a demonstrado que os bloqueadores serotoninéricos anulam a ação da acupuntura.

Atualmente, admite-se que estímulos com intensidades e frequências diferentes são capazes de promover analgesia com características diferentes. Foi observado que a estimulação de alta intensidade e baixa frequência, similar àquela proporcionada pela acupuntura, é capaz de promover analgesia de longa duração, com efeitos cumulativos e reversíveis através da administração da naloxona, antagonista morfínico. Através deste tipo de estímulo, o eixo hipotálamo-hipofisário atuaria na liberação de beta-endorfina.

AÇÃO DA ACUPUNTURA NA NEUROFISIOLÓGIA DA DOR

1a) Processo da dor: por que ocorre e as implicações com as fibras nervosas e substâncias químicas (proteínas, neurotransmissores).

O Processo da dor é uma resposta fisiólogica do organismo a estímulos nocivos externos e internos que venham a desequilibrar o estado de homeostasia dos organismos vivos. A percepção da dor se inicia na periferia, através da ativação de nociceptores (receptor sensorial da dor). Esses estão presentes por todo o organismo e são classificados em três subtipos: Receptores mecânicos de altolimiar: detectam pressão; Receptores mecanotermais de baixolimiar: detectam pressão e calor; Receptores polimodais: detectam pressão, calor e fatores químicos. Os receptores mecânicos de altolimiar e os receptores mecanotermais de baixolimiar são inervados pelas fibras nervosas mielinizadas Aδ e Aβ, enquanto os receptores polimodais são inervados pela fibra nervosa nãomielinizada C.

As substâncias químicas que ativam os receptores polimodais são várias, dentre elas estão os mediadores inflamatórios como: prostaglandinas, leucotrienos, bradicininas, serotonina, substância P e histamina. Além de ativar os nociceptores, o estímulo doloroso é conduzido para a medula espinhal através das fibras Aδ, Aβ e C. Esses são considerados os primeiros moduladores da via da condução de dor, pois fazem sinapses com neurônios secundários da medula espinhal, que por sua vez, fazem sinapse com um terceiro neurônio no cérebro que completa a condução nociceptiva. Devido à mielina presente nas fibras Aδ e Aβ, acabam por transmitirem impulsos nervosos 10 vezes mais rápidos que as fibras C. Em consequência, a ativação periférica de mecanorreceptores de altolimiar ao longo das fibras Aδ e Aβ conduz para a medula espinhal rapidamente dor aguçada. Quando ocorrem lesões no tecido, há a liberação de mediadores químicos da inflamação que ativam receptores polimodais que transmitem o impulso através da fibra C para a medula espinhal, que é associada à sensação dolorosa latejante e ardente. Deste modo, em sua maior parte, as dores são bimodais por natureza resultando em sensação aguda.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (20.9 Kb)   pdf (167.4 Kb)   docx (203 Kb)  
Continuar por mais 11 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com