TrabalhosGratuitos.com - Trabalhos, Monografias, Artigos, Exames, Resumos de livros, Dissertações
Pesquisar

A Participação do Idoso no Mercado de Trabalho Brasileiro

Por:   •  18/1/2016  •  Artigo  •  3.795 Palavras (16 Páginas)  •  666 Visualizações

Página 1 de 16

A PARTICIPAÇÃO DO IDOSO NO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO: UM ESTUDO DE 2000 A 2013

Beatriz da Silva Pereira[1]

Ícaro de Mendonça Jucá[2]

Matheus Sensine da Costa Pinto[3]

Enimar Jerônimo Wendhausen[4]

Resumo

O seguinte estudo tem como objetivo fazer uma análise a cerca da participação do idoso no mercado de trabalho brasileiro no período compreendido entre os anos 2000 e 2013. Para tal abordagem do tema foram definidos os seguintes objetivos específicos: a) Apresentar o perfil da população idosa do Brasil que participou da População Economicamente Ativa (PEA) durante o período de 2000 a 2013 e a porcentagem de ocupação da mesma durante o período delimitado; b) Apresentar o potencial dessa mão de obra para o mercado de trabalho.

A presente análise é classificada quanto aos seus objetivos como sendo descritiva e quanto aos procedimentos, bibliográfica e documental. Ao analisar tal parcela do mercado de trabalho brasileiro, percebe-se que a mesma durante os treze anos analisados apresentou continuamente tendência de crescimento. Dados os fatores que justificam esse crescimento, conclui-se que a mesma tende a manter essa tendência. São cada vez mais notáveis os benefícios e o potencial que a mão de obra idosa possui. Alguns empregadores enxergando isso já começaram a investir na contratação de profissionais que estão na terceira idade.

Palavras-chave: Idoso, Mercado de Trabalho, Mão de Obra

Introdução

O envelhecimento da população mundial é um fenômeno que ocorre devido à combinação entre a diminuição da taxa de fertilidade e a maior longevidade de muitas pessoas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2050, um quinto da população do planeta será composta por idosos. Em relação ao Brasil, de acordo com a OMS, a população de idosos será de 70 milhões daqui a 35 anos, frente aos 26 milhões que foram registrados em 2013.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são classificados como idosas as pessoas a partir dos 60 anos de idade. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2013, os idosos representam aproximadamente 13% da população brasileira. No ano 2000, segundo o censo realizado, os idosos representavam apenas 8,5% da população brasileira.

O aumento da quantidade de idosos no Brasil é um fenômeno cercado de questionamentos devido aos problemas sociais que assolam o país e aos efeitos que tal realidade ocasiona na economia. Diante de um cenário no qual a proporção de idosos na população do Brasil aumenta com o passar dos anos, justifica-se a pesquisa por questionar e reconhecer a relevância que o idoso tem na realidade econômica do país.

O idoso enquanto agente econômico é alvo cada vez maior de estudo, pois o mesmo possui características próprias. Há uma tendência cada vez maior que idosos aposentados retornem ao mercado de trabalho ou mesmo adiem a aposentadoria por diversos motivos. Entender o papel do idoso na economia é uma questão que envolve não apenas a realidade presente, mas também se constitui em uma projeção da economia devido ao envelhecimento da população.

O presente estudo tem como objetivo geral apresentar um panorama acerca da participação do idoso no mercado de trabalho brasileiro entre 2000 e 2013. E como objetivos específicos: a) Apresentar o perfil da população idosa do Brasil que participou da População Economicamente Ativa (PEA) durante o período de 2000 a 2013 e a porcentagem de ocupação da mesma durante o período delimitado; b) Apresentar o potencial dessa mão de obra para o mercado de trabalho.

Tal análise é classificada quanto aos seus objetivos como sendo descritiva e quanto aos procedimentos, bibliográfica e documental. Para a elaboração deste estudo, utilizaram-se literaturas relativas ao tema terceira idade, artigos científicos sobre economia e idoso além de relatórios do IBGE sobre os Censos dos anos 2000 e 2010 juntamente com relatórios sobre as PNADS dos anos 2001 a 2009 e 2011 a 2013.

É importante destacar que o Censo tem periodicidade de dez anos e se constitui numa pesquisa aprofundada que abrange uma quantidade expressiva da população do país, ao passo que a PNAD tem periodicidade anual e utiliza amostra de domicílios.

Do ponto de vista estrutural, este artigo se divide em duas seções. A primeira traz um panorama a cerca da população a partir dos 60 anos. Expõe informações dos mesmos quanto ao gênero, motivos que levaram os mesmos a entrarem ou continuarem no mercado de trabalho e principais ocupações.

A segunda parte deste trabalho aborda características específicas da mão de obra idosa, as quais se constituem o grande potencial da mesma. É feita uma abordagem a cerca dos principais elementos que fazem da mão de obra idosa uma ferramenta importante e útil.

...

Baixar como (para membros premium)  txt (26.3 Kb)   pdf (188.2 Kb)   docx (25.1 Kb)  
Continuar por mais 15 páginas »
Disponível apenas no TrabalhosGratuitos.com